Oriximiná - PA

A UFF vem desenvolvendo suas atividades em vários municípios do Estado do Rio de Janeiro, a fim de atender à demanda da população do interior, e cumprindo a proposta da política pública de educação que estimula a interiorização, ampliando sua oferta de cursos, assim como outras atividades acadêmicas.

Além de suas instalações no Estado, mantém também instalações no Estado do Pará desde 1972 quando foi criado o Campus Avançado na Região Amazônica, a Unidade Avançada José Veríssimo – UAJV - em Óbidos, estendendo suas ações para os Municípios de Oriximiná, Juruti, Terra Santa e Faro.

Logo após a regulamentação da Unidade Avançada José Veríssimo, pelo Conselho Universitário desta Universidade, a UFF inicia seus trabalhos acadêmicos naquela região, enviando equipes de atuação.

Em 1975, o Campus foi definitivamente transferido para Oriximiná, também no Estado do Pará, onde se mantém até hoje desenvolvendo atividades extensionistas articuladas com o ensino e a pesquisa e estende, ocasionalmente, suas atividades aos municípios limítrofes de Oriximiná.

 

Prefeitura Municipal de Oriximiná - Pará: http://www.oriximina.pa.gov.br/index.php

Notícias e Informes recentes

Orgulho na Microbiologia: Rede global reúne pesquisadores LGBTQIAPN+

#ParaTodosVerem Uma mão com luva roxa segura uma placa de Petri onde são vistas colônias microbianas crescidas em meio de cultura cujas cores e formas simulam a bandeira da comunidade LGBTQIAPN+

Com a proposta de ser um espaço para pesquisadores da área da Microbiologia em diferentes estágios de carreira compartilharem experiências e desafios enfrentados enquanto membros da comunidade LGBTQIAPN+, surgiu a iniciativa global Pride in Microbiology (PiM) Network.

UFF Responde: Doenças Respiratórias

#PraTodosVerem: Imagem representativa em fundo azul de um corpo humano com destaque para o pulmão.

Gripe, vírus sincicial, COVID-19 e influenza são exemplos de algumas das doenças respiratórias agudas mais encontradas no Brasil e no mundo. Além das agudas, outras doenças respiratórias, as crônicas, também se tornam protagonistas com a chegada do inverno. Segundo o Ministério da Saúde, as mais comuns no Brasil são: rinite, asma, sinusite que, em temperaturas frias, também tendem a se fazer mais presentes, causando coriza e outros sintomas.

Atualidades UFF: PEC das drogas pode causar superencarceramento no Brasil, afirma pesquisadora

Parlamentares da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados (CCJ) adiaram, na terça-feira (4), a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 45/2023, também conhecida como PEC das drogas, que pretende criminalizar a posse ou o porte de qualquer quantidade de entorpecentes. O pedido para analisar o texto tem um prazo de duas sessões, ou seja, a expectativa é que a próxima votação na CCJ ocorra na próxima terça, dia 11. A proposta tramita simultaneamente ao julgamento do Superior Tribunal Federal (STF) para descriminalizar o porte da maconha para uso pessoal.

Pesquisa revela mapa da violência contra idosos no Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu junho como mês da conscientização da violência contra a pessoa idosa, em busca de dar visibilidade à causa. Atentos a esse tema, pesquisadoras da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), analisaram as denúncias de violência aos idosos no período de 2020 e 2023.

Pesquisador da UFF participa de projeto internacional inédito para mapeamento do universo

O projeto Legacy Survey of Space and Time (LSST), que iniciará sua operação em 2026, pretende produzir o maior e mais completo mapa do Universo, com 37 bilhões de estrelas e galáxias, ao longo de 10 anos. A pesquisa inédita estende a fronteira da ciência em diversas áreas da astronomia e traz desafios com a análise de uma quantidade de dados sem precedentes.

UFF Responde: Cigarro Eletrônico

Em abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu por unanimidade manter a proibição da comercialização dos cigarros eletrônicos, também conhecidos como vapes, no Brasil. Apesar de serem facilmente comercializados online, a venda desses produtos é proibida desde 2009. A agência abriu uma consulta pública para coletar opiniões sobre a proibição. Dos mais de 13 mil participantes, 37% responderam que apoiam a decisão e 58% responderam que possuem outra opinião sobre o assunto. Quanto aos impactos da proibição, 58% avaliam como negativos, e 37% veem como positivos.

Páginas