Logotipo da UFF

língua portuguesa

#ProexEmAção divulga em parceria com o programa de extensão Dá Licença a palestra de abertura do I Encontro Internacional do GeoGebra em Língua Portuguesa, no dia 22/10 das 9h às 11h. O evento online terá como palestrante o professor José Manuel dos Santos (InED-ESD IPP), que é coordenador do Instituto GeoGebra de Portugal. O título da sua fala é "Computer Assisted Mathematics vs Computer Based Mathematics: Desafios para o Futuro da Educação Matemática".

#ProexEmAção divulga através do programa de extensão Dá Licença e o projeto Eventos em Educação Matemática em parceria com Instituto GeoGebra no Rio de Janeiro, o I Encontro Internacional do GeoGebra em Língua Portuguesa. O evento será online, gratuito, contará com oficinas, palestra, mesa-redonda e comunicações científicas. Todos os participantes receberão certificados.

Data: 22 e 23 de outubro (quinta-feira e sexta-feira)
Inscrições: de 12 a 21 de outubro
Prazo para submissão de trabalhos: 25 de setembro

Organizada pela professora Ida Alves, “Páginas paisagens Luso-brasileiras: estudos literários” reúne estudos teórico-críticos sobre a paisagem como estrutura de sentido na literatura de língua portuguesa, sob a perspectiva da crítica temática contemporânea.

Recém-lançado pela Eduff, “Construções correlatas aditivas em perspectiva funcional” propõe um novo olhar para a área de estudo da língua portuguesa. Apesar de o tema ser um tópico grande da sintaxe do português, as pesquisas ainda carecem de profundidade e atualizações. No livro, o professor de Letras da UFF Ivo Rosário apresenta novas reflexões sobre a área, em uma tentativa de preencher lacunas deixadas pelas pesquisas linguísticas que o antecederam.

A professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa Renata Flavia da Silva lança “Utopias comuns em múltiplas fronteiras: ensaios sobre literaturas africanas de língua portuguesa” (Eduff, 2017). A série de ensaios traz o rompimento do eixo utópico da luta anticolonial, ao exceder o âmbito literário e representar novos horizontes de rearticulação das identidades culturais e temporais.

Das águas do Tejo até a baía de Guanabara, os falantes da língua portuguesa constantemente a modificam, com seus variados usos. Seja um pescador do Rio São Francisco vendendo sua pesca ou um professor universitário de Lisboa, nossas escolhas no momento de falar e escrever não refletem apenas nossa cultura, mas também nossa percepção sobre a vida. É sobre uma dessas questões, que o pesquisador Eduardo Kenedy trata em “A língua portuguesa no Brasil e em Portugal: o caso das orações relativas” (Eduff, 2016).

Subscrever língua portuguesa