Logotipo da UFF

O que você sabe sobre adoecimento mental no ambiente de trabalho?

A grande quantidade de tarefas, prazos e pressões existente nos ambientes de trabalho é, com frequência, responsável por gerar um grave estresse que afeta a maioria dos trabalhadores, podendo resultar em problemas familiares, doenças e até mesmo algum problema mais grave.

Por esse e outros motivos que o tema saúde mental tem se tornado pauta de discussão nos últimos anos.

Para problematizar esta temática, a UFF promoverá pelo segundo ano consecutivo o Simpósio Setembro Amarelo, nos dias 09 e 10 deste mês. Neste encontro, serão abordados temas pertinentes à saúde mental no ambiente de trabalho, de estudo e familiar; além dos fatores que contribuem para o risco do suicídio e adoecimento mental - estresse, ansiedade, burnout e depressão.

Iniciativas realizadas na nossa universidade e fora dela, com foco na redução dos índices de adoecimento juntamente com ações que buscam oferecer apoio aos estudantes e servidores, também serão discutidas no evento. Outro objetivo é mapear e reunir práticas desenvolvidas aqui em relação ao tema: grupos de pesquisa, formas de atendimento, ligas de saúde mental, etc., visando construir uma rede de apoio para a comunidade acadêmica e aproximar os profissionais da área da saúde mental de estudantes e servidores.

Aliás, servidor, para saber se sua saúde mental está correndo risco, existem alguns sinais aos quais é preciso se atentar. O psicólogo César Afonso e o psiquiatra Igor de Paula, ambos da Progepe, levantaram alguns pontos importantes sobre a relação entre saúde mental e ambiente de trabalho para você observar. Caso necessário, procure ajuda de um profissional em alguma destas hipóteses:

  • Estresse e irritação no ambiente de trabalho com muita frequência, além da falta de paciência por causa das suas atividades e/ou colegas de equipe;
  • Sentimento de que as atividades e situações do cotidiano relacionadas ao trabalho são sempre mais difíceis e dolorosas do que de fato são;
  • Dificuldade em manter a concentração em suas atividades e viver o momento presente do seu ambiente de trabalho, estando boa parte do tempo focado em problemas;
  • Envolvimento dos seus problemas da vida pessoal com as suas atividades profissionais.

É claro que as situações mencionadas acima não se apresentam da mesma forma para todas as pessoas. Mas, quando se trata de saúde mental, sobretudo no ambiente de trabalho, é importante que empregador e colaborador mantenham um respeito mútuo. Afinal, se o servidor não estiver mentalmente saudável, não somente as suas atividades diárias estarão comprometidas, como também a relação com os demais colegas, chefia e outros. Por isso, se a chefia notar que o servidor está passando por algum tipo de sofrimento e precisa de ajuda (por exemplo: se o funcionário estiver apresentando atestados médicos em excesso), procure-o para conversar com discrição, preservando sua imagem, e sinalizando caminhos para uma possível ajuda.

Se necessário, o servidor interessado pode procurar ajuda médica em alguns locais de apoio da universidade, como na rede de suporte de saúde oferecida pela Casq/Progepe e no Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) da Faculdade de Psicologia. Além disso, existe também o Centro de Valorização da Vida (CVV) em Niterói e Volta Redonda, municípios onde a UFF possui campus, e a rede pública de saúde.

Para mais informações, entre em contato com a Progepe: (21) 2629-5275, e-mail casq.progepe@id.uff.br ou Rua Miguel de Frias, 77 (9º andar, sala 901), em Icaraí, Niterói.

Tags: