Logotipo da UFF

Prefeitura de Niterói e UFF assinam contrato para realizar experimentos de revitalização da Lagoa de Piratininga

Assinatura da Encomenda Tecnológica

A Prefeitura Municipal de Niterói e a Universidade Federal Fluminense (UFF) firmaram o Contrato de Encomenda Tecnológica para o desenvolvimento de experimentos na Lagoa de Piratininga com tecnologia inovadora para a redução da camada de lodo do local. Caso os estudos se mostrem eficientes, a Prefeitura poderá contratar a solução para aplicação em toda a Lagoa de Piratininga. 

O prazo do contrato é de nove meses com início imediato e tem o valor de R$ 455.180,00 reais. O coordenador do projeto é o professor Gilberto Tavares de Macedo Dias reunindo docentes, doutorandos e pós-doutorandos dos Institutos de Geociências e de Biologia da UFF e da startup BIOTECAM da COPPE/UFRJ.

De acordo com o reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, o projeto é mais um exemplo da integração entre a Universidade e a Prefeitura, gerando benefícios concretos para a população a partir do conhecimento acadêmico. “Realizamos a assinatura de um projeto para a remoção do lodo da Lagoa de Piratininga, uma iniciativa de revitalização sustentável do local. O modelo de parceria também é inovador na modalidade Encomenda Técnica, um formato recente disponível após a publicação do Marco Legal da Inovação. O projeto será desenvolvido pela UFF por meio de um conjunto de pesquisadores(as) dos Institutos de Biologia, Geociências, dentre outros”, afirmou.

A Fundação Euclides da Cunha (FEC) será responsável pela gestão administrativa e financeira do contrato. Segundo o diretor-presidente da FEC, Alberto Di Sabbato, a assinatura da Encomenda Tecnológica é mais um passo na direção do fortalecimento dos relacionamentos institucionais da Universidade com órgãos públicos do estado do Rio de Janeiro. “Nosso papel é de fornecer apoio administrativo para viabilizar a execução das cláusulas do contrato entre as partes. Trata-se de um projeto muito relevante para a UFF e para Niterói que pode colaborar com a recuperação do meio ambiente e de um recurso natural fundamental para a população da cidade".

 

Tecnologia inovadora

O projeto utiliza uma tecnologia probiótica chamada EM1® que combina microorganismos presentes no meio ambiente e altamente eficientes na degradação da matéria orgânica, como bactérias lácticas, fungos e leveduras.

Segundo a professora Miriam Araújo Carlos Crapez, do Instituto de Biologia da UFF, a tecnologia sustentável EM1® foi desenvolvida pelo professor Teruo Higa da EMRO-Japão, cuja representação é feita pela AMBIEM-Brasil. 

- “ O EM1® é um inoculante microbiano não nocivo e não patogênico, sem ingredientes geneticamente modificados ou quimicamente sintetizados, atóxico e aprovado pelo IBAMA e registrado na ANVISA. A tecnologia denominada PULMÃO™ foi desenvolvida no Brasil pela Startup BIOTECAM da COPPE/UFRJ e se baseia na introdução de grandes quantidades de ar, especialmente onde há acúmulo de matéria orgânica, formando ‘filmes finos de líquido’, que podem ser direcionados de forma controlada tanto para a coluna d’água como para o sedimento de fundo. A adição de microorganismos em mudballs, agentes biogeoquímicos dos ciclos do carbono e nitrogênio, juntamente com o oxigênio sobre a camada de lodo, possibilitará a melhoria no processo de consumo contínuo da matéria orgânica” explica a professora. 

A proposta deste projeto piloto é inédita no Rio de Janeiro, mas é utilizada em diversos países na revitalização de corpos hídricos e tratamento de esgoto. “Nossa expectativa é divulgar os resultados entre os tomadores de decisão e formar recursos humanos que utilizem esta biotecnologia”, afirma Miriam Crapez. 

Consulta pública

A contratação foi resultado de aprovação de Projeto de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PDTI) submetido à Consulta Pública realizada pela Unidade de Gestão do Programa Região Oceânica Sustentável da Prefeitura de Niterói. O chamamento tinha a finalidade de levantar propostas de possíveis interessados no desenvolvimento de experimentos aplicados para reduzir a camada de lodo da Lagoa de Piratininga. O projeto da UFF “Biodragagem utilizando as tecnologias mudball e pulmão” foi selecionado entre as propostas. 

A Lagoa de Piratininga é um dos mais importantes componentes do sistema lagunar do município de Niterói e região. O projeto é um avanço relevante para recuperação de suas águas. Há anos, a UFF e a Prefeitura estudam alternativas científicas para a retirada do lodo. Em 2019, foi realizada a Conferência "Lagoa de Piratininga: Como recuperá-la?" para reforçar a importância destas parcerias para a sociedade e como a Universidade pode contribuir no desenvolvimento sustentável e tecnológico da região. 

Compartilhe