Logotipo da UFF

Conheça o serviço de ginecologia para servidoras da UFF

O exame Papanicolau, também chamado de preventivo, é um procedimento importante para a saúde da mulher, responsável por diagnosticar, entre outras várias infecções, o câncer de colo de útero. Segundo o Instituto Nacional de Câncer, surgem 530 mil casos novos a cada ano no mundo, provocando 265 mil óbitos/ano

Em comemoração ao aniversário do médico Geórgios Papanicolau, criador do exame que leva o seu nome, entrevistamos o ginecologista e obstetra Doutor André Luís dos Santos Medeiros, que atende no Espaço de Saúde do Servidor, da Progepe.

Em que consiste o exame Papanicolau e quais doenças ele pode diagnosticar?

O exame preventivo consiste na coleta de material cérvico-vaginal do colo do útero, que depois será depositado em uma lâmina. Através da sua coloração, um patologista analisa as células da amostra e busca por indícios de infecções, principalmente a presença do vírus HPV, o principal causador do câncer de colo de útero. Mas o exame preventivo também pode diagnosticar outras doenças e infecções causadas por fungos, bactérias e protozoários.

Qual a idade ideal para começar a fazer o exame e a periodicidade para realização?

O Ministério da Saúde recomenda o exame preventivo em mulheres a partir dos 25 anos de idade, e após dois diagnósticos iguais, a cada 3 anos, mas na prática isso ocorre de maneira diferente. Essa indicação é baseada em protocolos de estudos internacionais, mas no Brasil a vida sexual das mulheres pode começar em idades diferentes, e a periodicidade com a qual elas têm uma consulta ginecológica também. Por isso os médicos geralmente indicam que o exame preventivo seja realizado logo na primeira consulta ginecológica após a mulher ter sua primeira relação sexual, além de aconselhar que ele seja realizado uma vez ao ano.

É preciso alguma preparação prévia para fazer o exame?

Não existe uma preparação prévia específica. As mulheres não devem: ter relações sexuais nas 72 horas anteriores à coleta do material; usar medicamentos locais; e estar no período menstrual, porque essas secreções e materiais podem mascarar o resultado do exame. Se a mulher estiver com infecção, é aconselhável tratamento para que o exame possa ser feito em seguida.

É aconselhável que grávidas façam o exame?

Elas podem e devem fazer. Nesse caso, a coleta é feita de forma diferente: o material é colhido na região externa do colo do útero e não no canal cervical por estar fechado durante a gestação.

Quais são os sintomas do câncer de colo de útero?

O grande problema deste tipo de câncer é que ele quase não apresenta sintomas, exceto nos estágios avançados. O tumor nasce no colo do útero e cresce lentamente, e muitas vezes a mulher não sente nada. Porém, em estágios avançados, algo que acontece é sangramento durante as relações sexuais, chamado de sinusorragia, porque o tumor às vezes pode sofrer um rompimento por conta da fricção. Além disso, a mulher pode sentir dor pélvica.

Qual é o papel dos homens na prevenção do câncer de colo de útero?

A principal forma de prevenção para os homens é a vacina contra o vírus HPV. Se homem e mulher estiverem vacinados, a sua transmissão e contágio serão dificultados. Além disso é extremamente importante o uso de preservativo nas relações sexuais, porque, apesar de não evitar em 100% o contágio pelo vírus, o uso do preservativo já reduz bastante as chances.

O câncer de colo do útero tem cura? Quais são os principais tratamentos?

Sim, mas o percentual de cura depende do estágio do câncer. Se descoberto no começo, a cura é efetiva. Quanto ao tratamento, é cirúrgico, e existem dois procedimentos, chamados CAF ou conização, em que um pedaço do colo do útero ou o útero inteiro, em estágios mais avançados, são retirados. Em casos muito avançados a cirurgia não é indicada, mas sim a radioterapia, que consiste em um aparelho que queima o local em que o câncer está instalado.

Qual é a importância do exame preventivo para as mulheres e no sistema de saúde básica do Brasil?

O câncer de colo de útero ainda é uma causa importante de morte no Brasil, principalmente na região Norte. Apesar de na teoria existir uma oferta de cobertura universal para a realização do exame preventivo, muitas mulheres ainda não o fazem, e é muito comum que as pacientes realizem o exame e não voltem para pegar o resultado e fazer uma nova consulta. Os dados precisos de mortalidade variam de acordo com o ano e região do país, mas com a aplicação da vacina quadrivalente, oferecida no SUS, estima-se que os números irão melhorar muito. Ela tem uma eficácia muito boa e cobre quatro tipos de vírus: o HPV 6, 11, 16 e 18. O câncer de colo uterino não surge de um dia para o outro, mas demora alguns anos para aparecer. O efeito protetor da vacina será visto nas próximas gerações, então até lá deve-se esperar para assistir a queda do câncer uterino. O exame preventivo é simples, barato, de baixo custo para o sistema de saúde e leva cerca de minutos para ser feito.

Como as interessadas podem agendar o atendimento?

As servidoras interessadas devem comparecer de segunda a sexta-feira, na recepção do Espaço de Saúde (localizado na Rua Miguel de Fria, nº 9 - Térreo, prédio anexo à Reitoria) e agendar o atendimento. O agendamento também pode ser realizado pelo telefone. É necessário apresentar identidade, CPF, contracheque e número do SIAPE.

Dúvidas e sugestões, podem ser esclarecidas no telefone (21) 2629-5279 ou no e-mail smedicareitoria@gmail.com.

Tags: