WEBVIDEOQUEST DE FISIOLOGIA VETERINÁRIA

 

IMPORTÂNCIA DA SALIVA NA MASTIGAÇÃO E DIGESTÃO

Nas glândulas salivares, existem dois tipos de células secretoras, denominadas de células serosas e mucosas. De acordo com a secreção destas células, temos 3 tipos de saliva:

Saliva tipo serosa- secretada pelas células serosas e caracteriza-se pela presença de eletrólitos e água, não contendo mucina.

Saliva tipo muscosa- Secretada pelas células mucosas, caracteriza pelo alto teor de mucina, tendo pouca quantidade de eletrólitos e água.

Saliva tipo mista- secretada por ambas a células. É uma mistura da secreção serosa e mucosa.

A saliva é um componente importante no processo digestivo. Durante a mastigação, ocorre umidificação dos alimentos e desprendimento de nutrientes essenciais e substâncias que estimulam a sensibilidade gustativa e a secreção da própria saliva e suco gástrico. Apresenta uma ação lubrificante principalmente devido a presença de mucina facilitando o deslizamento do alimento na deglutição e na ruminação.

Há ainda a presença de enzimas na saliva como a lípase salivar, nos ruminantes,que atua na hidrólise dos triglicerídeos, e a amilase salivar ou ptialina que inicia o processo de digestão dos carboidratos solúveis presentes no alimento.

Fatores que alteram a secreção de saliva

Mastigação- Os animais produzem mais saliva enquanto mastigam do que quando estão descansando. Em uma dieta com pouca fibra, o animal tende a mastigar menos e consequentemente produz menos saliva, o que pode afetar o pH e a microbiota ruminal, resultando em problemas metabólicos e de produção. Em um animal de grande desempenho, é comum a constante produção de ácidos gaxos voláteis no rúmen, o que tende a tornar o pH ruminal baixo. O controle do pH é feito pela absorção dos AGV´s pelo rúmen e pela enorme produção de saliva, que é rica em tempões bicarbonato e fosfato e neutralizam os ácidos formados no rúmen.

É correto afirmar que o pH ruminal promove uma seleção nos microorganismos presentes no rúmen. Em pH ácido, predomina microorganismos amidolíticos( quebram amido); em pH básico, predominam microorganismos celulolíticos(quebram celulose). Com isso, pode-se afirmar que o alimento ingerido pelo ruminante influenciará no microorganismo predominante no rúmen, já que o pH varia em função da quantidade de saliva produzida e a produção de saliva é diretamente proporcional à intensidade da mastigação.

Portanto, se for administrado um alimento volumoso ao animal, o tempo de mastigação será grande, haverá uma grande produçãode saliva, vai aumentar o pH e o desenvolvimento de microorganismos celulolíticos. Se houver a ingestão de um concentrado, o tempo de mastigação será pequeno, haverá menor produção de saliva, pH se tornará mais ácido e ocorrerá o desenvolvimento de microorganismos amidolíticos. Ou seja, o balanceamento adequado de concentrado e volumoso na dieta é muito importante nesse aspecto.

Distensão- a distensão da parede esofágica e ruminal estimula um aumento na produção de saliva.

Olfato- O olfato parece estimular a produção de saliva.

Outras Funções da saliva

• Ação lubrificante devido à ação da mucina facilitando o deslizamento do alimento na deglutição e ruminação.

• Hidrólise de triglicerídeos

• Atividade antibacteriana através das lisozimas.

• Apresenta propriedades antiespumantes que ajuda na prevenção de timpanismo

• Em algumas condições, pode possuir função excretora eliminando substâncias ingeridas em excesso, como potássio e mercúrio.