Influência do farelo da amêndoa da castanha-de-caju, utilizado na dieta de caprinos, sobre a oxidação dos lipídios da carne embalada a vácuo e estocada sob congelamento

Selene Maia de Morais, José Maria dos Santos Filho, Jorge Fernando Fuentes Zapata, Rozelúcia Barrôzo de Almeida, Davide Rondina, Frederico José Beserra

Resumo


Vinte e quatro caprinos machos sem raça definida (SRD), com idade entre cinco e seis meses, foram separados em inteirose castrados, e submetidos por seis meses a duas dietas, uma constituída por uma ração padrão e outra adicionada de fareloda amêndoa da castanha-de-caju (FACC), formando os seguintes grupos: ISC–inteiro sem castanha; CSC–castrado semcastanha; ICC–inteiro com castanha e CCC–castrado com castanha. Avaliou-se o efeito do FACC sobre a oxidação da gordurada carne embalada a vácuo e congelada por três e seis meses a -18°C. Ao final do experimento mediu-se o teor dassubstâncias reagentes ao ácido tiobarbitúrico (TBARS), expessa em termos de mg de malonaldeído por kg de carne. Após trêsmeses de estocagem não houve diferenças significativas entres os tratamentos (p>0,05). No sexto mês verificou-se umaelevação significativa (p<0,05) de malonaldeído (MDA), tanto em função do tempo de estocagem como dos tratamentosempregados. As amostras de carne dos animais que consumiram o FACC foram as que apresentaram as menores taxas deoxidação, para os dois grupos ICC e CCC, os quais continham 0,78 e 0,87mg de MAD/kg de carne, respectivamente. Estesvalores foram maiores entre os animais que não consumiram o FACC onde os grupos ISC e CSC continham 2,22 e 1,57mg deMDA/kg de carne. Este resultado demonstrou que o FACC pode reduzir o processo de oxidação da carne durante longosperíodos de estocagem.

Palavras-chave


carne caprina, armazenamento, lipídios, oxidação

Texto completo:

PDF


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV