Acervo
Vídeos
Galeria
Projetos


E o conhecimento vai aumentando: os sentidos da aprendizagem de jovens do Ensino Médio da EJA

Tipo de Projeto: 
Individual
Status do Projeto: 
Concluído

RESUMO.

BOAS, BRUNO DA CONCEIÇÃO VILAS. E o Conhecimento vai aumentando: os sentidos da aprendizagem de jovens do Ensino Médio da EJA.. Orientador: Paulo CesarR. Carrano. Niterói-RJ/UFF, 03/11/2015. Dissertação de Mestrado em Educação, 107 páginas. Campo de Confluência: Diversidade, Desigualdade Social e Educação. Linha de Pesquisa: Práticas Sociais e Educativas de Jovens e Adultos.

conhecimento.jpg  Este trabalho objetivou investigar os sentidos que jovens do Ensino Médio da EJA com trajetórias escolares marcadas pelo truncamento atribuem para seus processos de aprenzagem e ao aprendizado que tecem em suas vida. Foi investigado também como as variáveis, intra e extra escolares, intervém na construção desses sentidos. Foram utilizados dados quantitativos do Survey da pesquisa Jovens Fora de Série: Trajetórias Truncadas de estudantes do Ensino Médio no Estado do Rio de Janeiro, desenvolvido pelo Observatório Jovem (UFF/UNIRIO/UERJ/FAPERJ/CNPq). O banco de dados da referida pesquisa, é composto por 593 jovens estudantes da modalidade EJA e do Programa Autonomia de 14 escolas estaduais da cidade do Rio de Janeiro entre 15 e 29 anos. Porém nessa presente dissertação tecemos  uma análise mais aprofundada dos jovens com idade entre 18 e 29 anos, buscando  investigar nas narrativas biográficas desses sujeitos sinais que possibilitem a compreensão dos sentidos que estes atribuem a suas aprendizagem dentro e fora da instituição escolar. Foram utilizados procedimentos metodológicos variados, trabalhando também com a análise das 19 entrevistas, realizadas pela equipe da pesquisa “Jovens Fora de Série”. Foram selecionadas as entrevistas de três jovens com o intuito de tecer uma análise qualitativa dos sentidos que são atribuídos por esses sujeitos aos seus processos de aprendizagem. Como critério para a escolha dos sujeitos dessa dissertação foram escolhidos os sujeitos que em suas narrativas mencionavam de forma direta e com mais frequência sobre seus processos de aprendizagem e a importância que “aprender”, “adquirir conhecimento”, “estudar” tinham em suas biografias, assim como critérios de diversidade de gênero, local de moradia e localização da escola em que estudavam. Compreendeu-se que os afastamentos e retornos aos estudos, fazem parte de um processo de ressignificação de suas relações com sua aprendizagem a instituição escolar. Esses eventos são tomados como aprendizados subjetivos considerando-se que seu retorno para a instituição escolar demonstra uma (re)apropriação positiva e um reconhecimento da escola como um espaço necessário para seus desenvolvimentos pessoal e profissional no presente e futuro. Esse processo demonstra a busca por uma relação intima com os aprendizados escolares, construída a partir de suas expectativas pessoais e subjetivas. Entende-se que a percepção desse sujeitos acerca de seus processos de aprendizagem é fruto de uma relação carregada de sentido e que deriva diretamente das relações, positivas e negativas, que os mesmos estabeleceram entre as situações, outros sujeitos e instituições com algum aspecto de sua biografia. Também compreendeu-se que sua decisão de retornar aos estudos é também uma estratégia de mudança da realidade social na qual estão inseridos. A busca pela aquisição de conhecimentos através do retorno ao espaço escolar se deu por influências e motivações diversas e a partir da compreensão pessoal de que a escolarização representava uma possibilidade de melhora no campo pessoal e profissional o que resultaria na ampliação do campo de possibilidades para a consolidação de melhores condições de vida para si mesma/os, seus cônjuges, dependentes e familiares em geral. Conclui-se que ao longo de seus percursos biográficos esses sujeitos foram construindo e dotando de sentido suas aprendizagens, mesmo quando estiveram impossibilitados de frequentarem a escola, o que gerou neles a aquisição de aprendizados uteis e significativos para sua vida pessoal e profissional. Para interpretar nossos resultados, utilizamos o conceito de relação com o saber e aprendizagem de Bernard Charlot, e suportes existênciais, de Danilo Martuccelli.

Palavras chave: aprendizagem, juventude e escola