Sobre o Programa
Histórico

A EEIMVR - Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda foi pioneira na integração Universidade - Indústria, tendo sido fundada em 1961 como embrião de uma futura Universidade do Trabalho, que não se concretizou. Absorvida pela UFF, funcionou, até 1997 somente com o núcleo profissional do curso de Engenharia Metalúrgica, recebendo alunos de engenharia de todo o país que tivessem concluído o núcleo básico de estudos. Neste mesmo ano foi implantado o núcleo básico de engenharia em Volta Redonda. Em 2001 os cursos de graduação foram ampliados com a implantação dos cursos em Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção. No segundo semestre de 2005 foram implantados os cursos de graduação em Administração e Engenharia do Agronegócio.

Com a incorporação de novos professores das áreas de engenharias, física e matemática aplicada ao corpo docente da EEIMVR em 2006 foi ampliado o potencial para pesquisa multidisciplinar na instituição. Foram criados novos grupos de pesquisas que juntaram esforço na criação de um Mestrado Multidisciplinar em Modelagem Computacional em Ciência e Tecnologia. A implantação deste curso de pós-graduação certamente contribuirá para a elevação da qualidade da pesquisa realizada na EEIMVR.

Grupos de pesquisa que construíram com a elaboração do projeto de mestrado interdisciplinar:

  1. Matemática Aplicada e Computacional do Pólo Universitário do Sul Fluminense
  2. Grupo de Física da Matéria Condensada
  3. Otimização do Pólo Universitário de Volta Redonda
  4. Grupo de Computação de Alto Desempenho
Instalações e Infra-estrutura

- Laboratório de Computação Científica (LCC): O Laboratório é composto por duas salas com área de 60 m2 cada uma e abriga equipamento permanente de informática e livros de consulta para pesquisa. Entre os equipamentos, destacam-se estações individuais de trabalho interligadas em Rede de Alta Velocidade, um "Cluster Beowulf " para computação paralela e distribuída e uma Estação de Trabalho Dell Precision T7500 (224-4856) destinada para computação de alto desempenho. Além disto existem impressoras laserjet e projetores multimídias. Esses equipamentos, o material bibliográficos e diversos softwares foram adquiridos com recursos financeiros provenientes de projetos de pesquisa aprovados em vários Editais FAPERJ, CNPq e CAPES.

- Laboratório de Óptica Aplicada (LOA): Laboratório que conta com uma estrutura básica para a obtenção, tratamento e processamento de imagens digitais. Equipamentos disponíveis: mesa óptica, lasers, câmeras digitais e computador para tratamento de imagens.

- Sala dos Alunos do Programa: Disponibiliza espaço físico e mobiliário para os alunos do programa.

- Secretaria do Programa MCCT: Sala para a administração do programa.

- Biblioteca da EEIMVR/UFF: Disponibiliza material bibliográfico de pesquisa para o Programa de Pós-graduação e para diversas outras áreas em engenharia, física e matemática.

Acervo Bibliográfico do PPG-MCCT

Listagem de Livros que fazem parte do Acervo Bibliográfico do PPG-MCCT.

Listagem de Periódicos que fazem parte do Acervo Bibliográfico do PPG-MCCT.

Este material bibliográfico foi adquirido com recursos de diversos projetos de pesquisa e desenvolvimento com financiamento de agencias de fomentos e da universidade. Os livros e periódicos se encontram na Secretaria do Programa e estão disponível para consulta. Para mais detalhes entrar em contacto com a Secretaria do Programa.

Dissertações Defendidas que fazem parte do Acervo Bibliográfico do PPG-MCCT. As dissertações se encontram na Secretaria do Programa e estão disponível para consulta. Para mais detalhes entrar em contacto com a Secretaria do Programa.

Localização

- Endereço: Modelagem Computacional em Ciência e Tecnologia
Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda,
Av. dos Trabalhadores No 420, Vila Santa Cecília, Volta Redonda, RJ, Brasil
CEP: 27225-125

Telefone (55 24) 2107-3763 e 2107-3511
E-mail institucional: mcct@metal.eeimvr.uff.br

Instituições de Pós-Graduação em que nos espelhamos

Tradicionalmente, a maioria das universidades do mundo tem se estruturado em departamentos, que são responsáveis por um sistema específico de disciplinas. Em geral, o prestigio da universidade é determinado pelo sucesso e solidez de seus departamentos. Esta estrutura acaba influenciando no tipo e forma de pesquisa desenvolvida pela instituição. Atualmente, com o avanço das fronteiras do conhecimento e da tecnologia muitos desafios a serem enfrentados em termos de pesquisa são multi/interdisciplinares por natureza.

Um artigo publicado na revista Nature “The university of the future: The traditional model of the US research university - based on the preeminence of the single-discipline department - needs to be stretched and challenged, Vol 446, Issue no. 7139, 26 April 2007, p 949” (www.nature.com/nature) reforça a importância da interdisciplinaridade nos dias atuais. A First International Conference on Interdisciplinarity realizada na França em 1969 é outro exemplo que destaca o papel da interdisciplinaridade na universidade moderna. É claro que isto não invalida a pesquisa nas áreas específicas tradicionais, as quais consideramos de crucial importância para manter um continuado crescimento do conhecimento humano.

Para fazer frente à complexidade dos problemas atuais da sociedade a abordagem multi/interdisciplinar tem crescido nas ultimas décadas, abrindo novas fronteiras do conhecimento e tornando difusas e imprecisas as existentes. Como exemplos de áreas impactadas por esta abordagem podemos mencionar a biologia computacional, ciência dos materiais, nanociências, nanotecnologia, farmacologia e ciências climáticas. Entretanto, por ser relativamente jovem, o discurso interdisciplinar apresenta desafios até nos aspectos epistemológicos, que tem gerado discussões, controvérsias e confusões entre pesquisadores e instituições de fomento em ciência e tecnologia na hora de classificar e organizar o conhecimento. É comum ouvir palavras como: multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, embora não exista consenso nas próprias definições destes conceitos. Um artigo, da autoria de Rosali Fernandez de Souza e Roberta Pereira da Silva, publicado no VIII ENANCIB – Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação “Organização e representação do conhecimento no contexto de gestão e avaliação: domínios interdisciplinares em ciência e tecnologia” apresenta mais detalhes desta problemática.

No âmbito brasileiro o CNPq, a CAPES e a FINEP tem reformulado a Tabela de Áreas do Conhecimento em uso pelo sistema de ciência e tecnologia e incluído a Área Multi/Interdisciplinar. Segundo o Documento da Área Interdisciplinar da CAPES (http://www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacao/INTER03ago10.pdf) “entende-se por Interdisciplinaridade a convergência de duas ou mais áreas do conhecimento, não pertencentes à mesma classe, que contribua para o avanço das fronteiras da ciência e tecnologia, transfira métodos de uma área para outra, gerando novos conhecimentos ou disciplinas e faça surgir um novo profissional com um perfil distinto dos existentes, com formação básica sólida e integradora.”

“De uma proposta de Programa de Pós-graduação Interdisciplinar, espera-se que o produto final, em geração de conhecimento e qualidade de recursos humanos formados, seja maior que a soma das contribuições individuais das partes envolvidas”.

Em síntese, o Programa de Pós-graduação em Modelagem Computacional em Ciência e Tecnologia tem como objetivo aprofundar na compreensão e desenvolvimento do ferramental matemático e computacional multi/interdisciplinar que permita MODELAR, RESOLVER e SIMULAR alguns fenômenos, processos e sistemas que aparecem na ciência e tecnologia. Em particular, concentrando nossos esforços em três grandes linhas de pesquisa interconectadas:

1 - Métodos matemáticos e computacionais aplicados à engenharia e ciência,
2 - Física computacional,
3 - Otimização e pesquisa operacional.

Ressaltamos que a recomendação em 2009 deste curso de pós-graduação pela CAPES é resultado do empenho dos docentes permanentes e colaboradores integrantes do quadro deste Programa de Pós-Graduação acadêmico. Agradecemos a ajuda oferecida por outras universidades e instituições de pesquisas através dos professores/pesquisadores colaboradores, onde destacamos a COPPE/UFRJ, LNCC e a UNIFESP. Não podemos deixar de mencionar o apoio de vários professores do Instituto de Física da UFF, que também participam como colaboradores. A nossa expectativa é que toda comunidade da UFF acolha e apóie este empreendimento, para consolidar esta nova pós-graduação e, futuramente, possa impulsionar a geração de novas outras.

Listamos abaixo algumas Instituições de Pós-Graduações nacionais e internacionais em que nos espelhamos:
  1. Institute for Computational Engineering and Sciences
  2. Institute for Scientific Computation
  3. Center for Computational Physics
  4. Computation Institute, University of Chicago and Argonne National Laboratory established the Computation Institute in 2000
  5. University of Maryland Institute for Advanced Computer Studies
  6. Johann Radon Institute for Computational and Applied Mathematics
  7. Computer Science Research Institute, Sandia National Laboratories
  8. National Institute for Computational Sciences, The University of Tennessee
  9. Institute of Applied and Computational Mathematics
  10. The Cambridge Computational Biology Institute
  11. Institute of Computational Mathematics and Mathematical Geophysics
  12. Institute for Computational and Mathematical Engineering, Stanford University
  13. Applied & Computational Mathematics, California Institute of Technology
  14. Institute of Theoretical and Computational Physics
  15. Research Institute for Computational Sciences
  16. Master of Science Program in Computation for Design and Optimization, Massachusetts Institute of Technology
  17. Interdisciplinary Center for Applied Mathematics, Virginia Polytechnic Institute and State University
  18. École Doctorale Sciences Fondamentales et Appliquées, Universite de Nice Sophia Antipolis
  19. Laboratorio Nacional de Computação Científica, Programa de Pós-Graduação em Modelagem Computacional
  20. Instituto Politécnico do Rio de Janeiro/UERJ, Programa de Pós-Graduação em Modelagem Computacional
O que é Modelagem Computacional?

O conceito Modelagem Computacional é muito amplo. Listamos abaixo algumas definições bem próximas de nosso entendimento:
  1. Modelagem Computacional segundo “Wikipédia, a enciclopédia livre”.
  2. Envie por e-mail sua opinião ou indique outras definições.

 
 
CAPES

CNPq

FAPERJ

 

Pós-Graduação em Modelagem Computacional em Ciência e Tecnologia
© Copyright 2009 - Todos os Direitos Reservados