O conceito de resistência ao fluxo

A resistência é definida como sendo inversamente proporcional à quarta potência do raio da circunferência do vaso. Desta forma, o principal determinante à resistência ao fluxo é o espaço disponível para a passagem do sangue. Este conceito é fundamental, pois se o raio é diminuído pela metade, a resistência é aumentada 16 vezes . Sendo assim, pequenas variações nos diâmetros dos vasos se configuram em alterações importantes na resistência ao fluxo sanguíneo. Durante o exercício, há uma grande dilatação dos vasos sanguíneos que irrigam a musculatura esquelética e, em contrapartida, uma vasoconstrição nos vasos que irrigam as vísceras abdominais, aumentando a resistência nestes últimos vasos.

Quando a pressão é a mesma, porém, há uma variação na resistência em virtude de diferenças no diâmetro dos vasos: o fluxo será muito maior naquele vaso onde a resistência é pequena. Ao se comparar leitos vasculares em paralelo, todos os vasos encontram-se submetidos à mesma pressão; logo, aquele que apresentar maior resistência terá um fluxo menor. Desta forma, o controle do diâmetro vascular é o principal mecanismo de controle do fluxo sanguíneo corporal , pois, modificando-se o calibre dos vasos, é possível modular o fluxo do sangue para qualquer parte do corpo.

Se todos os vasos sistêmicos fossem colocados lado a lado, agrupados pelos seus tipos, suas áreas de secção transversa seriam:

Áreas da secção transversa e velocidades do fluxo sanguíneo

Vaso

Área de secção transversa cm²

Aorta

2,5

Pequenas artérias

20

Arteríolas

40

Capilares

2.500

Vênulas

250

Pequenas veias

80

Veias cavas

8

Como mostra a tabela acima, as áreas de secção transversa das veias são muito maiores que as das artérias, explicando o comportamento do sistema venoso de atuar como um reservatório de sangue.

Como o mesmo volume de sangue deve fluir através de cada segmento da circulação, a cada unidade de tempo, a velocidade do fluxo sanguíneo é inversamente proporcional à área da secção transversa vascular. A área total de secção transversa do leito capilar é muito grande, a despeito do fato de a área de seção transversa de cada capilar ser menor do que a de cada arteríola. Como resultado, a velocidade do fluxo sangüíneo torna-se muito lenta nos capilares , de forma análoga ao decréscimo na velocidade do fluxo nas regiões mais largas de um rio.

Topo