Moção de apoio às ocupações universitárias da USP e das demais universidades do Brasil

Nós, estudantes de História da Universidade Federal Fluminense, entendemos que a atual conjuntura brasileira é de precarização da educação em todos os seus níveis, e que os espaços públicos de ensino têm sofrido seguidos ataques de caráter privatizante, como evidenciam o crescimento da atuação das Fundações de Direito Privado no âmbito das universidades e o crônico déficit de professores, entre outros problemas. Em função disso, avaliamos como extremamente positivas as mobilizações de ocupação que se tem verificado nos últimos meses por todo o Brasil em contraposição a este quadro.

Dentro dessa perspectiva, os estudantes da UFF já ocupam a reitoria da Universidade há 34 dias! Tal manifestação se apresenta enquanto resposta ao descaso da reitoria da UFF, que tenta ignorar um movimento pela construção da moradia universitária, que há um ano e dois meses está acampado em um dos campi desta universidade numa clara demonstração de combatividade e resistência. Devido às nossas mobilizações através de passeatas e, principalmente, da ocupação da reitoria, conseguimos um comprometimento formal do Conselho Universitário para atender a algumas das demandas por assistência estudantil, como a aprovação da construção da moradia universitária, através exclusivamente de verbas públicas, com a garantia da não cobrança de taxas e gerida em co-gestão pela Universidade e os moradores. No entanto, compreendemos que este compromisso formal só se concretizará de fato se nos mantivermos num crescente de pressão pelos nossos direitos até a vitória real.

Compreendemos, porém, que nossa luta aqui na UFF encontra-se inserida num contexto mais amplo de resistência e garantia dos direitos já conquistados. Por isso, o Centro Acadêmico de História através de Assembléia, seu fórum máximo de deliberação, posicionou-se contrariamente à Reforma Universitária atualmente pautada pelo governo federal, e adotou uma postura de repúdio à cobertura tendenciosa da mídia burguesa e à violência, seja ela policial ou judicial, das quais os movimentos sociais são alvos constantes.

Ainda na linha de uma compreensão integrada das lutas dos estudantes, professores, técnico-administrativos e demais trabalhadores do Brasil, o Centro Acadêmico de História da UFF deliberou, também, o envio de uma comissão de estudantes para manifestar apoio à iniciativa promovida pelos combativos companheiros da USP que tocam sua ocupação, e convidamos os mesmos a conhecer e se solidarizar com a luta promovida na UFF.

Essa moção destina-se, portanto, a demonstrar de maneira enfática o nosso apoio às bandeiras defendias pelas ocupações da USP e demais universidades do país na luta contra o avanço neoliberal, através, também, de uma solidarização concreta e troca de experiências entre os movimentos, sejam eles de âmbito federal ou estadual.

Niterói, 01 de junho de 2007.
Centro Acadêmico de História da Universidade Federal Fluminense.