Diretório Acadêmico de Educação Física - Guilherme Ripoll
O Curso

 

CONSTRUINDO A

A ASSEMBLÉIA NACIONAL DE ESTUDANTES - LIVRE

Enquanto a UNE aplaudia cegamente o governo e apoiava o corrupto Sarney, não era assim que se portavam os estudantes. Das lutas, passeatas e ocupações de Reitoria pôde-se ouvir em alto e bom som o grito de ousadia da juventude, sempre resistindo aos ataques à educação e defendendo seus direitos. Desde a histórica ocupação da USP, provou-se que foi a UNE quem se acomodou e não os estudantes.

Do calor dessas lutas surgiu a necessidade de uma organização superior para o movimento estudantil. Assim, milhares de estudantes e centenas de entidades estudantis, como os DCEs da USP, UFRJ e UFMG, se engajaram em torno à construção do Congresso Nacional de Estudantes, uma iniciativa de organizar as lutas por fora da falida UNE. O evento foi um verdadeiro sucesso, reunindo ativistas de todo o país e decidiu por dar um passo que pode se tornar histórico: a construção de uma nova entidade nacional do movimento estudantil, a Assembléia Nacional de Estudantes – Livre, a ANEL.

Livre das amarras que prendem a UNE ao governo, a ANEL resgata a independência e refunda a democracia no movimento estudantil. Sem diretoria fixa eleita e com um funcionamento que garante o controle da entidade pelos próprios estudantes, a ANEL surge para organizar e coordenar as lutas estudantis por todo país. Justamente o papel que a UNE se recusa a cumprir, em nome de sua relação promíscua com o governo.