Transferência

Transferência Facultativa

É a vinculação à UFF de discente regularmente matriculado em Instituição de Ensino Superior, mediante aprovação e classificação em concurso público e obedecendo à legislação pertinente, ao Regulamento dos Cursos de Graduação e aos critérios estabelecidos em Edital específico divulgado anualmente na página http://www.coseac.uff.br/ .

 

Transferência Interinstitucional

É a vinculação, condicionada à existência de vagas, concedida ao aluno anteriormente matriculado em instituição pública de ensino superior, na qual tenha ingressado através de um concurso público.

Relação de Documentos

  1. Requerimento ao Reitor;
  2. Histórico escolar atualizado (original ou cópia autenticada);
  3. Programas das disciplinas cursadas e atividades cumpridas;
  4. Fluxograma do curso na instituição de origem;
  5. Declaração de que o requerente está regularmente matriculado na IES de origem (original e atualizada);
  6. Comprovação do tipo de ingresso na IES pública de origem;
  7. Cópia de documento oficial de Identidade do requerente.

Transferência Obrigatória (Ex-Officio)

É a vinculação do aluno por força da legislação federal, em qualquer época do ano, independente da existência de vagas, quando se tratar de Servidor Público Federal ou de membro das Forças Armadas, inclusive seus dependentes.

Procedimentos

O requerimento de transferência obrigatória deve ser feito na Reitoria da UFF, Rua Miguel de Frias n° 9, Térreo, no GCA (antigo SCA), em Icaraí, Niterói, pessoalmente ou por procuração, acompanhado dos documentos listados a seguir. O pedido de transferência será analisado nos termos da legislação em vigor.

  1. Requerimento ao Reitor – formulário padrão de requerimento a ser preenchido no GCA quando der entrada no pedido;
  2. Cópia autenticada do ato de transferência ex-officio ou remoção (dependendo do caso, pode ser um dos seguintes: cópia de publicação no diário oficial, boletim do Exército ou da Aeronáutica; Folha de Alterações da CR do servidor da Marinha, onde consta o desligamento);
  3. Declaração original da autoridade maior do órgão competente constando a remoção ou transferência ex-officio, com data da remoção, locais de origem e de destino;
  4. Histórico escolar atualizado (original ou cópia autenticada);
  5. Programas das disciplinas cursadas e atividades cumpridas;
  6. Declaração (original ou cópia autenticada) de que o requerente está regularmente matriculado na IES de origem, atualizada;
  7. Decreto de Reconhecimento ou Portaria de Autorização do curso na IES de origem;
  8. Prova do gênero da Instituição, se pública ou privada;
  9. Quando dependente de servidor: cópia de certidão de nascimento, casamento ou outros documentos que caracterizem a situação de dependência;
  10. Cópia de documento oficial de identidade do requerente;
  11. Cópia de comprovante de residência atual.
Grande área: 

Avalie esta página

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.

Compartilhe

A atualização mais recente deste conteúdo foi em 13/01/2016 - 12:52