Categoria
Atualização sobre as atividades em tempos de pandemia na UFF: Plano de Trabalho Remoto e Atividades AcadêmicasA pandemia do novo Coronavírus (SARS-Cov2) impôs mudanças profundas no funcionamento de toda a sociedade.  Desde o primeiro caso confirmado no Brasil, atuamos de forma assertiva e cuidadosa para garantir a saúde e preservar a vida das pessoas da nossa comunidade e da sociedade no entorno. As portarias 66623/2020 e 66635/2020 e a Decisão CEPEX 109/2020 levaram à suspensão do Calendário Acadêmico de 2020 por tempo indeterminado. Consequentemente, diversas ações administrativas foram tomadas visando garantir o funcionamento da instituição bem como contribuir para o enfrentamento à pandemia.    Plano de Trabalho Remoto (IS-PROGEPE nº 8) As Instruções Normativas do Ministério da Educação de números 19, 21, 28 e 35 definiram orientações aos órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração Pública Federal (Sipec), incluindo as universidades federais do Brasil, para disciplinar o trabalho remoto. Em razão disso, a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progepe) da UFF publicou a Instrução de Serviço nº 8para regulamentar e organizar as atividades remotas na instituição, neste momento excepcional. A IS 08 determina que os servidores docentes e técnico-administrativos preencham um Plano de Trabalho listando as atividades que serão desempenhadas remotamente. Esse foi um entendimento construído a partir de demandas da própria comunidade universitária para que fossem feitos registros do planejamento das atividades como forma de auxiliar a organização do trabalho nos setores e respaldar documentalmente os servidores. Este planejamento é um instrumento de gestão compartilhada que envolve todos os servidores e as chefias imediatas, cuja documentação deverá permanecer nos próprios setores de trabalho, sem qualquer ingerência da administração central. No caso dos docentes, este planejamento deve respeitar a liberdade acadêmica e a diversidade das atividades nas diferentes áreas de atuação. Esse instrumento visa também garantir segurança jurídica para os servidores da Universidade, tendo em vista esta nova forma de organização do trabalho. Atividades Acadêmicas A Decisão CEPEX 109/2020 no seu artigo 3o atribuiu às Pró-Reitorias a responsabilidade de regulamentar as atividades acadêmicas remotas. Em face disso, foram editadas a Nota da Prograd de 21 de março de 2020, a Instrução de Serviço PROGRAD 04/2020, as Instruções de Serviço PROPPI 002 e 003/2020, Instrução de Serviço PROEX 01/2020 e a Resolução CEPEX 01/2020 (Ad Referendum).  No seu conjunto, estas normativas estabelecem a vedação de aulas presenciais na graduação, a normatização da colação de grau administrativa no modelo remoto e a autorização da antecipação da colação de grau prevista em lei, além da forma de funcionamento dos cursos de extensão e de pós-graduação stricto e lato sensu, incluindo as defesas das teses, dissertações e monografias. Estas decisões levam em conta a conjuntura e a dinâmica institucional, sendo afetadas pelas grandes transformações que temos experimentado. Nesse contexto, está em curso a organização de uma nova reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEx) para discussão e deliberação acerca dos diferentes aspectos acadêmicos sempre buscando garantir inclusão social, acessibilidade, qualidade e contemporaneidade tecnológica. A administração central vem tratando de todos os temas de interesse da Instituição e da comunidade universitária de forma aberta, responsável, democrática e diligente, através da construção de decisões em ambiente de diálogo, sempre reconhecendo a excepcionalidade do momento, respeitando a diversidade de opiniões e, desta forma, colaborando para promover uma Universidade cada vez melhor.
O Enem deve ser adiado  Nós, dirigentes máximos das Instituições Públicas de Ensino no Estado do Rio de Janeiro, engajados em planejar regras seguras de pós-confinamento, protocolos de convivência e de saúde dentro de um cenário de notório descontrole pandêmico e colapso das redes hospitalares que mais nos aproxima de “lockdown” nas principais regiões do país, assistimos com perplexidade e desaprovação a decisão de manutenção do calendário do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) – 2020, conforme a publicação do edital n°25, de 30 de março de 2020, divulgada pelo site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Neste momento o Brasil contabiliza mais de 120.000 casos de contaminação e 8.000 mortos, com ameaça de novos e futuros ciclos pandêmicos e onde o tempo de isolamento social não pode ser seguramente definido. É crível que estes indicadores se tornarão maiores nas próximas semanas e com eles a desigualdade social já tão evidente em nosso cotidiano. Por outro lado, os estudantes brasileiros em vulnerabilidade social lutam pela defesa de suas vidas, pelos cuidados com a saúde, o cuidado de seus familiares e seguindo as orientações de isolamento social reiteradas pelas autoridades sanitárias nacionais e internacionais. Milhões destes estudantes não têm acesso à tecnologia ou à internet o que impede ações pedagógicas similares ao cotidiano escolar com aulas presenciais. Vários países como a China, EUA, França e Inglaterra adiaram seus exames nacionais para acesso ao ensino superior por acreditarem ser a decisão mais legítima e democrática a ser tomada neste momento pandêmico. Neste diapasão, repudiamos qualquer tentativa de difundir uma sensação de normalidade falseada como a manutenção do cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio/ENEM 2020 o qual, caso mantido, ampliará as desigualdades de acesso ao ensino superior. Repelimos também a retórica contida na propaganda oficial e difundida por diferentes mídias que foram utilizadas para divulgar o cronograma do ENEM. Finalmente, reiteramos a importância fundamental das Universidades Públicas, dos Institutos Federais, dos Centros Federais de Educação Tecnológica e do Colégio Pedro II que, no cumprimento de sua missão social, acadêmica e científica, a despeito das adversidades, se constituem como referência educacional e científica no país, na América Latina e no mundo. É nosso compromisso que nenhum estudante tenha o seu ingresso na universidade prejudicado pela crise da Covid-19. Assim, solicitamos ao Ministério da Educação que corrija o equívoco cometido ao não adiar o calendário do ENEM 2020 e postergue as datas de inscrição e a realização das provas, como recomendado inclusive pelo Conselho Nacional de Secretários da Educação (CONSED). Antonio Claudio Lucas da Nóbrega (Reitor - UFF) Denise Pires de Carvalho (Reitora - UFRJ) Jefferson Manhães de Azevedo (Reitor - IFF) Marcelo de Sousa Nogueira (Diretor Geral - CEFET) Maria Cristina de Assis (Reitora - UEZO) Oscar Halac (Reitor - Colégio Pedro II) Rafael Barreto Almada (Reitor - IFRJ) Raul Ernesto Lopez Palacio (Reitor - UENF) Ricardo Luiz Berbara (Reitor - UFRRJ) Ricardo Lodi Ribeiro (Reitor - UERJ) Ricardo Silva Cardoso (UNIRIO)
Comunicado à Comunidade Acadêmica da UFF04 de maio de 2020 Prezados e prezadas discentes, docentes, técnico-administrativos e prestadores de serviços, Enfrentamos atualmente o enorme desafio da pandemia da COVID-19. Desde o dia 26 de fevereiro, data da notificação do primeiro caso da doença no Brasil, buscamos agir rapidamente, mas com a devida cautela. A primeira providência foi chamar os especialistas da área da saúde para compor um Grupo de Trabalho (GT COVID-19), no dia 02 de março, com a finalidade de elaborar um Plano de Contingência e assessorar o Gabinete do Reitor na tomada de decisões que se mostravam necessárias diante do novo cenário. Com a confirmação da transmissão comunitária do vírus no estado do Rio de Janeiro no dia 12 de março, tomamos a decisão, devidamente embasada pela abordagem científica, de adiar o início do semestre letivo, inicialmente previsto para o dia 16 de março, para a grande parte dos nossos cursos que ainda não haviam iniciado suas aulas. Essa decisão visou proteger a todos, comunidade interna e externa, ao restringir a circulação e aglomeração de pessoas. Naquele momento, ainda não haviam sido decretadas as medidas de isolamento do estado e nem das prefeituras onde a UFF se encontra, mas iniciamos contatos pessoais e institucionais com as autoridades sanitárias a fim de articularmos as ações, abordagem necessária no campo da saúde coletiva. Poucos dias depois, foi decretado estado de emergência no estado do Rio de Janeiro e, pioneiramente, decidimos implementar o trabalho remoto para todos os servidores, mantendo presenciais apenas as atividades essenciais. Nesse contexto, consideramos importante manter toda a comunidade articulada; por isso, a necessidade desse comunicado, para que possamos nos aproximar mais, ainda que remotamente. Juntos, poderemos manter a importante tranquilidade para a tomada de decisões que nos afetam e impactam toda a sociedade. Sabemos que não há possibilidade de retorno às atividades acadêmicas presenciais no momento, e que toda ação relacionada a um possível retorno deverá ser muito bem planejada e avaliada frente à situação de cada município, já que estamos presentes em 09 municípios no estado do Rio de Janeiro e em Oriximiná no Pará, onde a UFF administra também o Hospital Maternidade São Domingos Sávio (HMSDS), através da sua unidade avançada José Veríssimo. Cumpre-nos compartilhar algumas das importantes ações da UFF, tanto no enfrentamento da pandemia, quanto para manter nossas atividades essenciais, e também para divulgar para a sociedade que nos financia que continuamos ativos, como sempre estivemos, e convictos da importância da Universidade Pública, da Ciência e do SUS nesse cenário ameaçador. A nossa missão de formar profissionais competentes e socialmente engajados não foi paralisada. Em complemento à decisão de suspensão do calendário por tempo indeterminado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEX), implementamos a colação de grau remota, uma solução acadêmico-administrativa disponível para todos os cursos de graduação, garantindo o direito do estudante em se graduar e oferecendo força de trabalho cidadã de alto nível para a sociedade. Em diversos âmbitos, estamos ampliando o número de processos no Sistema Eletrônico de Informação (SEI), para que tenham a viabilidade e agilidade necessárias, tramitando em formato digital, incluindo os processos que impactam a vida funcional do docente e as aquisições de bens e serviços. Documentos administrativos continuam sendo publicados, novos fluxos têm sido estabelecidos; reuniões, nomeações, enfim, ações que possibilitam nosso funcionamento. Atividades da pós-graduação  durante este período foram regulamentadas pela PROPPI na IS 02 e IS 03, mantendo-se publicações e pesquisas importantes, contribuindo inclusive para o mapeamento de dados e projeções relacionados à pandemia. Pesquisadores e extensionistas estão cotidianamente interagindo e trabalhando junto às autoridades sanitárias oferecendo subsídios técnico-científicos para as decisões que impactam toda a população. Também existem diversos projetos em andamento na busca de soluções inovadoras para o diagnóstico e tratamento da COVID-19. Estamos promovendo ativamente ações de mapeamento da saúde estudantil, inclusive da saúde mental, e de acesso digital. Elaboramos um Plano de Contingencia Internacional para oferecer assistência a professores, servidores técnico-administrativos e alunos que, no momento, estão em afastamento no exterior, bem como o devido acompanhamento de alunos estrangeiros que estão em nossa Universidade. Apoio também tem sido oferecido para as famílias de nossos estudantes do Colégio Universitário, por meio da doação de cestas básicas, assim como para estudantes que permaneceram nas moradias estudantis. Em relação aos contratados para prestação de serviços, como portaria e zeladoria, segurança patrimonial, limpeza, motoristas, a atuação presencial foi limitada a atividades consideradas essenciais nesse momento; no entanto, tomamos a decisão de manter o faturamento e repasse, com a condição de que todos os empregos sejam garantidos aos trabalhadores. Ações de sanitização dos espaços da UFF frequentados têm se somado aos esforços das atividades de manutenção da nossa estrutura física, com os devidos cuidados de proteção dos envolvidos. Foi também pensando na proteção dos nossos profissionais de saúde que atuam no HUAP e suas famílias que estabelecemos a Hospedagem Solidária (eles poderão permanecer gratuitamente em um hotel em Niterói ligado a um projeto social) e disponibilizamos rotas de transporte da UFF para aqueles que moram em outros municípios em todo o estado do RJ. Há muitas outras ações de extensão e de assistência em curso, como produção e distribuição de máscaras caseiras, produção de equipamentos de proteção individual para os profissionais da saúde e equipamentos para UTIs, produção e distribuição de álcool 700INPM, produção de vídeos educativos, serviços de apoio psicológico aos estudantes e servidores, serviços de apoio diagnóstico, apoio jurídico e de orientação para a sociedade, distribuição de cestas básicas, entre tantas outras, ocorrendo nos diversos municípios em que a UFF se encontra, que podem ser acompanhadas na página www.uff.br/coronavirus. Muitas dessas ações contam com voluntários das mais diversas localidades e grupos de docentes, discentes e técnicos fortemente engajados. O mais importante é que observamos uma grande rede de solidariedade e apoio nesse momento tão desafiador. Muitas ações nos tornam fortes juntos, como o projeto “A arte nos une”, que disponibilizou seu acervo cultural para nos lembrar que arte e cultura são elementos importantes para manter nossa saúde mental e qualidade de vida, assim como a EDUFF, que disponibilizou cem livros eletrônicos gratuitamente. As incertezas são enormes, o que certamente gera ansiedade e temor, mas temos plena convicção de que a Universidade Pública mais uma vez exercerá sua missão de estudar o mundo e propor soluções para uma nova realidade que, esperemos e lutemos, tenha base na ciência e na solidariedade. O momento ainda exige muito cuidado e, portanto, não há condições gerais nem segurança sanitária para retomarmos as atividades presenciais. Continuaremos a manter todos informados das nossas atividades e funcionamento. Somente juntos teremos força para enfrentar este enorme desafio e, por isso, queremos agradecer a todos vocês, que continuam se dedicando, que não medem esforços para fazer o que precisa ser feito e ir além. Muito obrigado a todos os profissionais do nosso HUAP e em Oriximiná, que estão na linha de frente, colocando em risco sua saúde para salvar vidas e muito obrigado também a todos vocês, que nos mais diversos locais da UFF, nos mostram a cada dia que toda ação é fundamental para manter a Universidade viva e a sociedade saudável. Sigamos juntos e fortalecidos e que todos, juntos com seus familiares, fiquem em casa e fiquem bem. Reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega Vice-Reitor da UFF, Fabio Barboza Passos
Nota sobre Retribuição por Titulação (RT)A Universidade Federal Fluminense foi surpreendida nessa semana com mais uma decisão do governo federal. O Ministério da Economia recentemente alterou, unilateralmente, alguns procedimentos sistêmicos para pagamento referente à Retribuição por Titulação (RT). Assim, alguns servidores tiveram o pagamento da RT suspenso automaticamente pelo próprio SIAPE. Isso ocorreu com aqueles servidores cujo cadastro da titulação estava assinalado no sistema sem que constasse os dados detalhados referentes ao diploma que originou a titulação. Para restabelecimento da remuneração, deverá ser realizada a atualização dos dados da titulação dos servidores. Para isso, será necessário que o servidor impactado pelos ajustes sistêmicos envie e-mail para dpap.ccpp.dap@id.uff.br contendo cópia digitalizada do diploma (frente e verso) referente a sua maior titulação ( especialização, mestrado ou doutorado). Observamos que, na hipótese de o diploma ter sido emitido em língua estrangeira, deverá ser enviada também a revalidação do diploma. Esclarecemos ainda que, quando do restabelecimento, os valores retroativos serão automaticamente implementados. Importante ressaltar que e-mail com diploma deverá ser enviado até o dia 12/04/2020, para que haja tempo hábil de realizarmos os procedimentos necessários, a fim de restabelecer a RT antes do fechamento da folha de pagamento deste mês. Após o referido prazo, os procedimentos continuarão sendo realizados com previsão de implantação para folha referente ao mês de maio, a ser paga em junho.
Nota sobre a unificação das pré-matrículas de candidatos a vagas de ações afirmativas na sede da UFF em NiteróiEm decorrência da severa restrição de financiamento das universidades federais amplamente divulgada, a Universidade Federal Fluminense realizará as pré-matrículas presenciais dos candidatos ingressantes pelas ações afirmativas na sede em Niterói. É o segundo ano de vigência desse modelo, que já foi experimentado em anos anteriores. A medida foi implementada a partir de estudos técnicos e de reuniões com diretores das unidades fora de sede e com o Diretório Central dos Estudantes. Não há previsão legal para utilizar o transporte institucional para conduzir candidatos para realização da pré-matrícula em Niterói. As pré-matrículas dos candidatos de ampla concorrência continuam normalmente nas unidades fora de sede, pois prescindem de comissão avaliadora. As matrículas de candidatos das vagas de ações afirmativas nos campi fora de sede eram realizadas presencialmente nas unidades. Para isso, a Pró-Reitoria de Graduação mobilizava mais de 100 pessoas para visitar cada unidade em nove cidades durante uma semana. Ao todo, a operação custava mais de meio milhão de reais por ano. Os cortes nas verbas de custeio, todavia, impediram a continuidade do modelo, na medida em que a instituição não possuía recurso para manutenção dos ônibus que transportavam os servidores das comissões e ficou impossibilitada de arcar com suas diárias. Candidatos de ampla concorrência não demandam avaliação das comissões de ações afirmativas e continuarão a ser pré-matriculados nas unidades fora de sede. A Prograd realizou um estudo sobre as cidades de origem dos candidatos e detectou que a maior parte não vive no local de aprovação. Por exemplo, 70% dos aprovados nas cotas para Campos dos Goytacazes em 2019 eram provenientes de outros municípios e teriam de realizar a viagem para a pré-matrícula de qualquer forma. Assim, no segundo semestre de 2019, houve a centralização de todo o processo para a sede em Niterói. A avaliação dessa primeira experiência mostrou que não houve alteração nas taxas de ocupação de vagas. Ao final, o preenchimento das matrícula se manteve igual. Ainda assim, sabemos que a unificação em Niterói gera ônus aos candidatos, atingindo, especialmente, aqueles aprovados em vagas de ações afirmativas e que vivem nas cidades para as quais foram aprovados. Em busca de minimizar esses efeitos, no decorrer de 2019, a Pró-Reitoria de Graduação sinalizou aos diretores das unidades fora de sede a possibilidade de constituição de comissões locais de verificação dos requisitos exigidos aos candidatos às vagas reservadas para as cotas. Na oportunidade, a Prograd se dispôs, diante de sua responsabilidade institucional, a fornecer capacitação e orientações pertinentes à atividade a estudantes, técnicos e docentes das localidades fora de sede para descentralizar as matrículas sem gerar ônus financeiro para a instituição. No entanto, essas propostas não foram adiante. O Edital do Processo Seletivo para Ingresso nos Cursos de Graduação por meio do SiSU 1º semestre de 2020  foi publicado na página da UFF em 17 de janeiro de 2020, já prevendo a unificação. É com base nele – e em outros dispositivos legais – que a instituição orienta os seus candidatos de forma equânime, isonômica e segura; organiza todo o atendimento ao público, capacitação de técnicos e gestores envolvidos no processo; e responde aos órgãos judiciais e de controle. Portanto, já se sabia com antecedência que a matrícula seria novamente centralizada. No dia 12 de fevereiro, a Pró-Reitoria de Graduação reforçou a informação aos diretores de unidades por meio de ofício: “todos os candidatos às vagas reservadas para as Políticas de Ação Afirmativa decorrentes da aplicação da Lei de Cotas (Lei nº 12.711/2012, de 29 de agosto de 2012) de Cursos de Graduação da sede e de fora da sede” seriam atendidos na UFASA Bloco A – Campus do Gragoatá – Niterói. A decisão foi adotada “seguindo uma perspectiva de assegurar o controle do fluxo de trabalho para atendimento adequado aos candidatos e para garantir segurança institucional ao processo como um todo”. O transporte de candidatos não é um item previsto em edital. Isso porque não há previsão legal de utilizar o transporte institucional para conduzir os ainda candidatos a vagas em cursos de graduação da UFF. Somente depois do processo de análise documental e de entrevistas para confirmar se os candidatos apresentam os requisitos exigidos para ingresso na vaga de cota escolhida, ocorre a formalização do vínculo de todo e qualquer candidato. O descumprimento do edital e o tratamento desigual aos candidatos trariam insegurança ao processo, comprometeriam o acesso à universidade e a possibilidade de responsabilização dos agentes envolvidos. A Pró-Reitoria irá convocar todos os diretores de unidade fora de sede para estudar soluções conjuntas de elaboração de comissões de avaliação de ação afirmativa descentralizadas com a participação de membros da comunidade local para a pré-matrícula do segundo semestre de 2020. Dessa forma, pode-se contribuir para uma solução concreta em tempos de severa restrição financeira com o envolvimento de professores, técnicos e estudantes nos procedimentos.
Nota de apoio e solidariedade ao Instituto de Ciências Humanas e Sociais de Volta RedondaA Universidade Federal Fluminense se solidariza inteiramente com o Instituto de Ciências Humanas e Sociais de Volta Redonda em decorrência dos fatos ocorridos envolvendo sua comunidade interna. Na sexta-feira, dia 13/12, o deputado federal Daniel Silveira circulou filmagens captadas sem autorização no Campus do Aterrado em Volta Redonda, expondo estudantes, técnicos administrativos e professores da UFF.  O Gabinete do Reitor se reuniu com o diretor do ICHS, Julio Cesar Andrade de Abreu, com a presença da Procuradoria Federal junto à UFF, para definir medidas judiciais cabíveis referentes aos atos do deputado federal. Será apresentada uma representação à Corregedoria Parlamentar da Câmara dos Deputados e outra à Procuradoria Geral da República para investigar a conduta do deputado federal Daniel Silveira. A UFF oferece seu apoio irrestrito à professora e a todos os membros do Centro de Memória do Sul Fluminense e do Núcleo de Prática Jurídica pela resistência às atitudes adotadas pelo deputado.  Daniel Silveira adentrou sem autorização as dependências do Instituto de Ciências Humanas e Sociais de Volta Redonda e veiculou imagens sem autorização dos seus servidores em um dos laboratórios pertencentes ao Centro de Memória do Sul Fluminense, assim como no Núcleo de Prática Jurídica e nos corredores do Instituto.  A Universidade Federal Fluminense possui imenso orgulho do ICHS de Volta Redonda. O Centro de Memória do Sul Fluminense Genival Luiz da Silva conserva e pesquisa um acervo material raríssimo sobre a história do município e sobre o período de luta contra a ditadura. Seu papel de guardião da memória social das lutas pelas liberdades democráticas se mantém com excelência e envolvimento da comunidade local.  O Núcleo de Prática Jurídica de Volta Redonda é um dos exemplos brilhantes de relacionamento e prestação de serviço da UFF à sociedade. O NPJ faz uma média de 80 atendimentos jurídicos gratuitos por mês a pessoas que não teriam acesso à assessoria jurídica especializada. O Núcleo é um projeto transformador da realidade local e que oferece atendimento em todas as áreas do Direito com grande relevância e impacto em Volta Redonda e região.  Além das representações acima mencionadas, será também aberta uma sindicância interna para investigar os fatos ocorridos e encaminhar os resultados aos órgãos responsáveis. Gabinete do Reitor
Reitoria faz vistoria em Moradia Estudantil e reforça medidas de combate a incêndioNa madrugada do dia 13 de dezembro, um incêndio de pequenas proporções atingiu uma das lavanderias comunitárias da Moradia Estudantil da Universidade Federal Fluminense. O fogo veio da tomada de energia da máquina de lavar roupas de uma das alas e foi contido rapidamente pelos próprios alunos utilizando extintores do local. Ninguém ficou ferido. Perícia técnica está sendo realizada para definir as causas do incêndio. Vigias e seguranças serão capacitados nas próximas semanas para prestar primeiros socorros e manusear extintores. A Universidade Federal Fluminense prestou assistência imediata à Moradia Estudantil. O vice-reitor Fabio Barboza Passos e o superintendente de Operações e Manutenção Mario Augusto Ronconi visitaram pessoalmente o local ainda pela manhã dessa sexta-feira. A instituição foi avisada pela madrugada da ocorrência e os coordenadores de segurança foram prontamente ativados. Há maquinas de lavagem e secagem automática de roupas, disponíveis para cada ala da Moradia Estudantil. O equipamento havia sido comprado recentemente e estava em funcionamento no momento do incêndio. Todos os extintores foram avaliados no mês de maio e estavam dentro do prazo de validade. A universidade já dedicou uma equipe de manutenção e limpeza para recuperar o espaço atingido pelo fogo. Medidas de prevenção e combate a incêndios Em julho, a UFF começou a elaborar um Plano de Combate e Prevenção de Incêndios para toda a instituição. A Moradia Estudantil foi construída seguindo as normativas e regulamentos do plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) e possui laudo dos bombeiros para funcionamento. Os zeladores da Moradia Estudantil fazem rondas esporádicas para verificar o funcionamento do espaço. Os demais equipamentos foram periciados para prevenir novas ocorrências e buscaremos formas de instalação de alarme e sinalização de incêndio no local. A superintendência de Operações e Manutenção já havia organizado, para o final de dezembro, uma semana de cursos para os novos vigias e porteiros com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Na ocasião, os recém-contratados receberão capacitações para prestação de primeiros socorros e utilização do extintor de incêndio.
UFF negocia energia e liga Biomédico e SPA de CamposA Universidade Federal Fluminense saiu vitoriosa das negociações com a Enel e o Ministério da Educação. A mobilização de diversos setores da comunidade universitária, com professores, técnicos e alunos, no ato público pelo restauração da energia fortaleceu a instituição. A UFF unida foi às ruas e conseguiu acordo favorável para, além de religar a reitoria, iluminar também os prédios do Biomédico, em Niterói, e o Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) de Campos. A universidade vai continuar a luta por recursos para o ensino superior público, gratuito e de qualidade, buscando verbas para o Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) e para projetos de ciência e tecnologia.