Biblioteca Central do Gragoatá: Passado. Presente! Futuro?O desenvolvimento desta exposição tem como objetivo o resgate e a preservação da memória institucional da Biblioteca Central do Gragoatá, uma das 29 unidades do Sistema de Bibliotecas da Superintendência de Documentação, que foi criada para alicercear os cursos de Ciências Sociais e Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal Fluminense. Ressaltando a importância da BCG nestes 25 anos de história para a comunidade acadêmica em que está inserida, que atualmente atende 105 cursos entre graduação e pós-graduação latu sensu e strictu sensu, além da comunidade externa nacional e internacional.
25 anos da Biblioteca Central do GragoatáConvidamos toda a comunidade acadêmica para o aniversário de 25 anos da Biblioteca Central do Gragoatá, a realizar-se no dia 25 de abril de 2019 às 18h no Espaço Cultural da BCG. O evento contará com a apresentação musical do "Coro Aprendriz", homenagens e abertura da exposição "Biblioteca Central do Gragoatá - Passado. Presente! Futuro?"
Exposição 43 anos do GTAR: "Ainda" em busca de um espaço43 anos do GTAR: 'ainda' em busca de um espaço na Biblioteca Central do Gragoatá/UFF A memória de lutas, ideias, resistências, amizades, dores e família que juntas constituem a força de um dos primeiros movimentos negros universitários do Brasil é apresentada na exposição "43 anos do GTAR: 'ainda' em busca de um espaço", aberta ao público na Biblioteca Central do Gragoatá da Universidade Federal Fluminense. A mostra segue até o dia 16 de abril e integra o conjunto de ações comemorativas dos 25 anos da BCG/UFF, inaugurada em 25 de abril de 1994. De acordo com a bibliotecária Angela Albuquerque, esta exposição pode ser considerada como um marco na história da BCG/UFF, por apresentar o pensamento social brasileiro a partir do negro: ele como sujeito da própria história. A mostra foi inaugurada em 3 de outubro passado, quando Angela assinava pela chefia da biblioteca. E, segundo ela, tem chamado bastante atenção pelo protagonismo do negro, em especial, o movimento feito no espaço acadêmico em um momento de altas complexidades. A atividade faz parte de um projeto que busca visibilizar a existência do primeiro grupo de trabalho, no espaço acadêmico, sobre pesquisas e estudos dos negros brasileiros, surgidos na UFF, na década de 1970, sob a orientação da historiadora Beatriz Nascimento e apoio do sociólogo Eduardo Oliveira e Oliveira. Durante todo o período da exposição até sua finalização em 16 de abril, professores, pesquisadores, estudantes e demais interessados podem agendar suas visitas com o guiamento dos curadores João Alipio Cunha, doutorando em Antropologia (Museu Nacional/UFRJ) e Sandra Martins, jornalista e mestra em História Comparada (IH/UFRJ). Ao fim da visitação, pode-se assistir, ainda, trechos do filme "Ôrí", de Raquel Gerber e roteiro e narração de Beatriz Nascimento. O documentário relata a atuação dos movimentos negros, no Brasil, entre os anos 1970 e 1980, encerrando a atividade com uma roda de conversa. O agendamento pode ser feito através do e-mail: expo43anosgtar@gmail.com. O GTAR foi uma das vertentes do Movimento Negro do Rio de Janeiro que construiu um espaço de reflexões e ações em uma universidade pública em pleno período da ditadura militar, nas décadas de 1970/1980. Intelectuais como Marlene de Oliveira Cunha, Andrelino Campos, Maria Maia de Oliveira Berriel, Carlos Hasenbelg, são alguns dos personagens que lançaram, construíram, apoiaram e incentivaram jovens negras e negros a constituir aquele espaço/tempo quilombola. Busca-se relembrar os seus pouco mais de 20 anos de atividades (1975/1995), e seu espraiar por outras trilhas até os atuais 43 anos de lutas, mobilizações, histórias e narrativas que constituem parte de uma história silenciada na Universidade Federal Fluminense. O Cultne - Acervo da Cultura Negra - registrou os dois dias do seminário de lançamento da exposição nos dias 3 e 4 de outubro de 2018, a visitação guiada e disponibilizou os 22 (vinte e dois) vídeos em: http://www.cultne.com.br/. Visite também a página da exposição "43 anos do GTAR: 'ainda' em busca de um espaço" no facebook.com/exposicaogtar. Serviço O que?"43 anos do GTAR: 'ainda' em busca de um espaço" Quando? Até 16 de abril de 2019 Horário? 8h30 às 21h (de 18/03 a 16/04) Agendamento de grupos: expo43anosgtar@gmail.com Facebook: facebook.com/exposicaogtar
Exposição 'Orgânico e Urbano' na BCGA Biblioteca Central do Gragoatá, em comemoração ao seu aniversário de 23 anos, convida para a abertura da exposição 'Orgânico e Urbano' no dia 25 de abril às 19h. Marcelo Melo, artista plástico/urbano e produtor cultural, atuante no leste, baixada e capital fluminense vem apresentar sua exposição individual 'Orgânico e Urbano', com curadoria da geógrafa Renata Baz. São mais de 40 obras, produzidas de 2013 a 2017, elaboradas com técnicas mistas, onde, a partir do seu autodidatismo, receber o convite e expor suas obras na Biblioteca Central do Gragoatá é representativo para sua trajetória. 'Orgânico e Urbano' já passou por São Gonçalo (2014), Niterói (2015/2016), Cachoeiras de Macacu (2016), da mesma forma que o artista gonçalense desterritorializado busca permanentemente, em diferentes espaços, o conhecimento, a experimentação, a interlocução com o público e o desenvolvimento técnico das suas artes. Tendo como conceitos estruturantes de sua vida e suas obras a representação da organicidade da natureza e a vivência nas ruas, a exposição traduz imagens intuídas, percebidas e amadurecidas pelo tempo de sua formação artística. Com satisfação e gratidão, Marcelo Melo vem convidar docentes, discentes, funcionários da UFF e amplo público, para um momento de imersão na sua linguagem artística.
Oficina de pequenos reparos e Visita guiadaA Biblioteca Central do Gragoatá juntamente com a 'Oficina de pequenos reparos' e o Laboratório de Conservação e Restauração de Documentos - Lacord, realizam atividades em comemoração à "Semana Nacional do Livro e da Biblioteca". Serão realizadas uma oficina de pequenos reparos e conservação de livros e uma visita guiada ao Lacord, dia 31/10 às 14h no 'Espaço multiuso' - térreo da BCG. As inscrições podem ser feitas em nosso formulário de inscrição e as vagas são limitadas! Haverá também durante todo esse mês uma 'Mesa temática' com a história do livro e da biblioteca, que ficará localizada no 1º piso da BCG.