Refugiados

O projeto de extensão Mediações e Diversidade Cultural na Biblioteca Parque de Niterói é coordenado pela professora Marielle Barros de Moraes do Departamento de Ciência da Informação da UFF, nos cursos de Arquivologia e de Biblioteconomia. No campo da informação, a relação entre os mediadores e os usuários é ponto focal das ações dos profissionais da informação. O projeto tem como norte a relação entre a comunidade de Niterói e os refugiados que vivem na cidade.

Desde 2015 a Venezuela vem passando por grave crise política e econômica e segundo o ACNUR, em junho de 2019 segundo dados de governos 4.001.917 de nacionais da Venezuela constam como solicitantes de reconhecimento da condição de refugiado, refugiados e residentes em seus sistemas. O Brasil é o quinto país de entrada de venezuelanos e hoje tem aproximadamente 62 mil pedidos de solicitação de refúgio além de mais de 30 mil portadores de visto temporário e um programa de interiorização no país desenvolvido pelo governo e parcerias.

Há 69 anos, no dia 10 de dezembro, era adotada e proclamada a Declaração Universal dos Direitos Humanos pela Assembleia Geral das Nações Unidas, por meio  da resolução 217 A III, que estabeleceu a proteção universal a todos os cidadãos do mundo. No próximo domingo, quando será comemorado o Dia Internacional dos Direitos Humanos, o sírio Anas Abdulrjab poderá celebrar duplamente, por ter encontrado no Brasil o acolhimento necessário para se refugiar e fixar residência e também pela conquista da revalidação do seu diploma de engenheiro pela UFF.

O último relatório “Tendências Globais” do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) apresentado pela ONU registra que 65,6 milhões de pessoas saíram de seus territórios de origem por perseguições e guerras, sendo mais de 300 mil só no último ano. O documento enfatiza também que uma em cada 113 pessoas em todo o mundo foi forçada a se deslocar - número superior à população do Reino Unido. O Acnur aponta ainda que metade dos refugiados são crianças e que 75 mil delas solicitam refúgio.

Desde 2011, com o início dos conflitos na Síria, o mundo vem acompanhando o drama enfrentado pela população do país. A maior parte das pessoas que deixa a região devastada pela guerra busca refúgio em nações vizinhas ou europeias, onde frequentemente são recebidas com hostilidade e xenofobia. Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), agência da ONU para refugiados, até 2016, em torno de 4,8 milhões de sírios foram recebidos em países próximos, enquanto cerca de 900 mil migraram para a Europa, muitos deles arriscando a vida atravessando o Mar Mediterrâneo.

Word DocumentXLSCSV
Subscrever Refugiados