infância

A partir da análise de filmes espanhóis, do período de 1950 a 1970, o cineasta Antônio Moreno analisa alguns dos principais temas da atualidade no livro “Cinema, infância e religiosidade na Espanha franquista”, que acaba de ser lançado pela Eduff. Na obra, a relação entre religiosidade e cinema é apresentada por meio da investigação de “El Pequeño Ruiseñor” e “Marcelino Pan y Vino”, dois dos filmes de uma filmografia que ficou conhecida, na Espanha, como “Cine com niños”.

Ao longo dos últimos 30 anos, o Serviço de Oftalmologia do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) vem realizando um trabalho fundamental de prevenção, diagnóstico e tratamento de diversas disfunções oculares, como glaucoma e catarata, além de transplantes, cirurgias de retina, estrabismo e plásticas oculares. Mensalmente, cerca de 800 pessoas são atendidas através do SUS.

Parte do universo lúdico de toda criança, o ato de desenhar é também a forma pela qual os pequenos conseguem expressar seus sentimentos e retratar as experiências sobre o mundo à sua volta. Por isso mesmo, os rabiscos infantis são comumente utilizados para analise e diagnóstico por psicólogos e pediatras. São também o objeto de um estudo aprofundado disponível no livro "Violências e vulnerabilidades nos desenhos infantis", organizado por Simone de Assis e Joviana Avanci e publicado pela Eduff em coedição com a Editora Fiocruz.

Partindo da análise de três obras da literatura angolana, a professora Roberta Franco discute infância e violência no livro recém-publicado pela Eduff  “Descortinando a inocência”. Na obra, a autora apresenta textos dos escritores Luandino Vieira, Pepetela e Ondjaki a fim de descortinar as relações entre ficção e história, com foco na imagem da criança e na presença da violência em diferentes contextos da sociedade angolana.

Subscrever infância