Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

inclusão

UFF discute ações afirmativas na pós-graduação

Imagem ilustrativa

Em maio de 2016, o então Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, assinou a portaria normativa que estabeleceu o prazo de 90 dias para que as instituições públicas de ensino superior apresentassem propostas de inclusão de negros, pardos, indígenas e pessoas com deficiência em seus programas de pós-graduação.

Inclusão é tema de lançamentos da Eduff

Quando: 
quarta-feira, 15 Junho, 2016 - 18:00 até 20:00

A discussão de políticas e práticas de inclusão une os três novos livros publicados pela Eduff. "Narrativas do nao ver", "Encontros entre surdos e ouvintes na escola regular: desafiando fronteiras" e "Por uma política da narratividade: pensando a escrita no trabalho de pesquisa", das psicólogas Carolina Manso, Luiza Teles e Luciana Franco, respectivamente, serão lançados no dia 15 de junho, às 18h, na Livraria Icaraí, em Niterói.

 

 

Eduff lança "Por uma política da narratividade"

No livro "Por uma política da narratividade: pensando a escrita no trabalho de pesquisa" (Eduff, 2016, R$ 25), a psicóloga Luciana Franco se lança no desafio de fazer pesquisa "com" o outro e não "sobre", a partir das impressões obtidas dos encontros com pessoas com deficiência e seus cuidadores. 

Os relatos e histórias que Luciana Franco narra são fruto dos encontros da autora durante um projeto de pesquisa no Instituto Benjamin Constant e da experiência como facilitadora em uma escola de ensino fundamental da rede privada do Rio de Janeiro.

Livro propõe quebra de paradigmas sobre cegueira

Definida como estado da pessoa cega, a deficiência visual é popularmente reconhecida como uma limitação de um dos sentidos humanos. Em decorrência desse estereótipo de privação, os deficientes encaram inúmeros impasses ao longo da vida, principalmente no que diz respeito à imagem de incapacidade. É esse rótulo que a psicóloga Carolina Manso busca desconstruir no livro "Narrativas do não ver", lançado pela Editora da Universidade Federal Fluminense (Eduff).

Divisão de Acessibilidade e Inclusão SENSIBILIZA- UFF está atendendo provisoriamente no setor acessível na BCG

Enquanto as obras da novas instalações no térreo do Bloco A, também no Gragoatá, não ficam prontas, a equipe do SENSIBILIZA vai fazer um plantão de atendimento na Biblioteca Central.  

Em breve, será inaugurada a nova sala, num local mais acessível, com mais comodidade para atendeimento da comunidade acadêmica com deficiência. 

Contamos com a compreensão de todos e agradecemos a parceria no movimento para tornar a UFF uma universidade inclusiva e cidadã.

UFF recebe visita do MEC para tratar de questões de acessibilidade e inclusão

A UFF recebeu nesta terça-feira a visita do MEC a fim de levantar dados sobre o avanço e as dificuldades de acessibilidade nos campi da universidade. A pauta reuniu integrantes da Proaes (Pró- Reitoria de Assuntos Estudantis), da equipe do Sensibiliza, parceiros das Superintendência de Documentação –SDC e Superintendência de Engenharia e Arquitetura e representantes do Ministério da Educação para discutir alguns assuntos de extrema importância para promover a inclusão na Federal Fluminense.

Páginas

Subscrever RSS - inclusão