Aedes aegypti

Atenção servidores e alunos!

Os 92 municípios do estado do Rio de Janeiro foram incluídos na área de recomendação da vacina contra febre amarela. A vacinação é a melhor forma de se prevenir contra esta grave doença!

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (SES), a vacina contra a febre amarela está na rotina de imunização das unidades de Atenção Primária – clínicas da família e centros municipais de saúde.

O Hospital Universitário Antonio Pedro (Huap), por meio da Unidade de Neurologia, Neurociência e Pesquisa Clínica da Faculdade de Medicina da UFF e a Unidade de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em Ribeirão Preto, são os dois únicos locais no Brasil que se tornaram referência nacional no atendimento e tratamento de neuropatias periféricas graves e de Síndrome de Guillian-Barré. 

A situação atual do país é muito grave em relação às viroses transmitidas por insetos (arboviroses). O alerta é do professor Flávio Moutinho, do departamento de Saúde Coletiva Veterinária e Saúde Pública da Faculdade de Veterinária da UFF.

Com um vasto conhecimento dos problemas relacionados às zoonoses, o especialista utiliza a epidemiologia como ferramenta de investigação imprescindível ao controle da dengue, zika e da febre Chikungunya.

O mosquito “Aedes aegypti”, transmissor da febre amarela, dengue, febre chikungunya e zika, não podia imaginar que ao mexer com quem estava aparentemente quieto, acabaria por deflagrar uma grande campanha de combate à sua espécie.

Word DocumentXLSCSV
Subscrever Aedes aegypti