Novo canal de comunicação do HUAP reduz risco de contágio por COVID-19

Print Friendly, PDF & Email
Crédito da fotografia: 
Unsplash

O Hospital Universitário Antonio Pedro (HUAP) anuncia a inauguração de um dispositivo de comunicação que promete facilitar o contato entre médicos e pacientes com quadros de saúde mais simples, no contexto de pandemia de COVID-19. Trata-se do HUAPfone. De acordo com Natalia Castro Fernandes, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e de Telecomunicações e uma das responsáveis pela implantação do dispositivo no HUAP, a ideia é tornar possível alguns tipos de atendimento via webconferência com a utilização de aplicativos de celular. Dessa forma, reduz-se o tempo de permanência do paciente no hospital e, consequentemente, os riscos de infecção por COVID-19.

O dispositivo funciona da seguinte forma: o paciente insere no sistema seu nome, número de prontuário e telefone através do qual pode ser encontrado. A partir daí, ele indica o serviço e a especialidade médica de que precisa no momento. O pedido é, então, automaticamente redirecionado para os médicos que, por meio das informações recebidas, requisitam ou não o prontuário do paciente. Em seguida, eles decidem-se por entrar em contato com o paciente imediatamente, para uma orientação rápida, ou aguardar o dia da consulta previamente marcada. “Caso o paciente precise de uma orientação médica, o responsável irá fazer uma videochamada com ele. Caso necessite renovar uma receita, ela será disponibilizada, reduzindo o seu tempo de permanência no hospital”, explica Natália.

De acordo com Yolanda Boechat, professora de geriatria da Faculdade de Medicina da UFF e também responsável pela implementação do dispositivo no HUAP, “neste momento em que estamos frente a uma epidemia viral, evitar que as pessoas saiam de casa é fundamental para reduzir o risco de contágio, evitando filas, aglomerações nas salas de espera, e também a utilização de transporte público. As orientações por telemonitoramento são, então, úteis para auxiliar os pacientes na decisão quanto às suas doenças de base e para tirar dúvidas com relação a situações novas. Eu já utilizo esse recurso em projetos de pesquisa realizados com a Amazônia. Por isso, posso garantir que o telemonitoramento será definitivo para reduzir a contaminação intra-hospitalar, evitar internações e a ida ao hospital desnecessariamente, em tempos de COVID-19”, ressalta.

Natália esclarece que o HUAPfone não se confunde com um atendimento emergencial, funcionando como um suporte ao acompanhamento dos pacientes, que poderão entrar em contato a qualquer momento, do dia ou da noite. Dependendo do que estiver sendo requisitando, o médico poderá responder de imediato, através de videochamada, ou solicitar via mensagem, tão logo seja possível, que se aguarde até a data agendada para a consulta. O retorno do médico ocorrerá no horário regular de atendimento do profissional no ambulatório.

Apesar de o dispositivo ter sido pensado inicialmente para agilizar e tornar mais eficiente a comunicação entre médico e paciente em meio à pandemia de COVID-19, tendo em vista a desatualização de cadastros e a ausência de bons canais de contato, já existe uma movimentação para torná-lo parte da rotina do hospital depois de terminado o período de crise. Segundo Natália, “setores de prontuário e de atendimento telefônico manifestaram interesse pela manutenção desse canal de comunicação em modo permanente, pois ele simplifica e otimiza os processos atualmente em curso”, comemora.

Para acessar o dispositivo, clique em: huapfone.huap.uff.br
 

Compartilhe