Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

Projeto voluntário de estudantes da UFF combate evasão universitária em Volta Redonda

Grupo de alunos que administra o Próximo Mais Próximo.

O Próximo mais Próximo (P+P) é um projeto social voluntário de alunos da UFF de Volta Redonda, com o objetivo de combater a evasão de estudantes da universidade. Para isso, desde 2003, eles custeiam transporte e alimentação de colegas com vulnerabilidade econômica por meio da organização de eventos, venda de chaveiros e doações, que podem ser feitas em sua sede no campus da UFF Vila. Nos últimos dois anos, 115 alunos foram beneficiados pela iniciativa.

O diretor financeiro da P+P, Diego Lima, explica que cerca de 90% da renda do empreendimento advém dos eventos organizados nos campi UFF Vila e UFF Aterrado. “Estamos passando por um processo de estruturação, com previsão de mais arrecadamento”, conta o também estudante de Engenharia de Agronegócios. Cerca de 10% são de doações diretas e da venda de chaveiros com a logo da UFF.

A iniciativa tem proporcionado mudanças na vida acadêmica dos alunos contemplados nesses 13 anos de atividades. O estudante de Matemática Emilson Faria Pessanha faz parte deste grupo grato ao projeto. “A P+P não pode parar nem regredir, pois verdadeiramente tem ajudado a pessoas que se encontram na mesma situação socioeconômica que a minha”, conta o graduando. O auxílio recebido por Emilson inclui almoço e transportes diários.

Quando presenciamos alunos [...] auxiliando voluntariamente seus colegas, temos que parabenizar todos os participantes” - Luis Duncan.

O estudante de Engenharia de Agronegócios Rafael Landim é outro universitário que também recebe o apoio do P+P. Após reconhecer a atuação do projeto na luta contra a evasão, ele afirma que o ideal seria o custeio integral das despesas com a faculdade de todos os beneficiados. “Quando ingressei na UFF, a proposta do projeto era exatamente essa: ajudar todos os estudantes contemplados durante todos os dias em que houvesse aulas, fossem elas o dia todo ou não. Infelizmente, essa ideia foi modificada há alguns anos”, ressalta.

Apesar da crítica, Rafael constata que o projeto faz a diferença em sua vida acadêmica. ”Sem o auxílio, seria muito difícil me manter na universidade e continuar estudando. A despesa com comida é uma das maiores dificuldades”, conclui. O estudante recebe vale-alimentação para os dois dias em que tem aulas em período integral na UFF.

Rafaela Mendes, integrante da Diretoria Financeira e também aluna do curso de Engenharia de Agronegócios, explica que no início o projeto custeava diariamente o almoço de todos aqueles que recebiam o benefício. No entanto, com a divulgação das ações do P+P e aumento da procura, tornou-se inviável a manutenção do auxílio integral. “Eu e o ex-presidente optamos por ajudar com o almoço nos dias em que o estudante passasse o dia inteiro na faculdade”, explica. Rafaela conta que, dessa forma, mais alunos puderam ser contemplados pela iniciativa.

Por ser uma ação voluntária, não tem valor de estágio para seus membros. No entanto, a atuação no projeto é uma oportunidade de participação em um empreendimento, com todas as tomadas de decisões e responsabilidades que isso demanda. Camila Ferreira é membro da Diretoria de Marketing e exemplifica esse aspecto do P+P: ”Você aprende na prática a transformar em realidade o ideal de melhores condições para os alunos carentes. O planejamento e a organização são fundamentais para que isso aconteça, e são, também, habilidades necessárias para qualquer profissional”, explica a mestranda de Engenharia Metalúrgica.

Também motivados pela iniciativa, docentes e funcionários da UFF auxiliam o trabalho feito pela P+P. O professor do Departamento de Engenharia de Produção, Luis Duncan, conta que a ação dos alunos o estimulou a participar do empreendimento. “Quando presenciamos alunos criando um projeto, gerenciando e participando ativamente dele e, assim, auxiliando voluntariamente seus colegas, temos que parabenizar todos os participantes”, enfatiza.

Para selecionar beneficiários e identificar suas carências, são realizadas entrevistas com os alunos que solicitam o auxílio. O professor Duncan e a funcionária da UFF de Volta Redonda, Cleide Cristina, têm cumprido essa função a convite dos coordenadores do P+P. O agendamento é feito, em geral, com dois ou três dias de antecedência.

Evasão no Ensino Superior

Segundo dados referentes a 2014, divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), 2.834.096 estudantes no Brasil se desvincularam de suas instituições de ensino ou trancaram suas matrículas. Isso equivale a 36% dos 7.828.013 que se matricularam naquele ano. 

Ainda de acordo com a pesquisa, no Estado do Rio de Janeiro havia 634.727 novos universitários e 305.218 alunos desvinculados ou com a matrícula trancada em 2014. Ou seja, as pessoas que trancaram ou se desvincularam da universidade no Rio de Janeiro representavam 48% dos matriculados.

Aqui no site da UFF há, também, números referentes à evasão e conclusão na universidade. Confira

Mais sobre o P+P

Parte do processo de estruturação do P+P foi a criação do seu novo site. Nele estão informações sobre o projeto, seus membros, seu trabalho e os eventos planejados. Também na página, estão o local e o horário nos quais é possível fazer uma doação. Além do site, é possível encontrar mais dados no Facebook, na página e no perfil do empreendimento.