Em noite de comemoração de seus 60 anos, UFF enfatiza compromisso com a sociedade

Print Friendly, PDF & Email
Crédito da fotografia: 
João Fanara

Nesta quarta-feira, 18 de dezembro, a Universidade Federal Fluminense deu início às celebrações de suas seis décadas de existência. Com uma plateia lotada, e a presença de ex-reitores, autoridades políticas, acadêmicas, e o público em geral, a solenidade foi aberta com a fala do reitor Antonio Cláudio da Nóbrega, seguida do concerto gratuito da Orquestra Sinfônica Nacional UFF (OSN). Essa foi a primeira de uma série de atividades comemorativas que marcarão o ano de 2020 em todos os campi da instituição. De acordo com Nóbrega, “essa é uma data extremamente importante porque marca não só o aniversário da UFF, mas a celebração da vida de uma universidade que tem uma relação tão íntima com a transformação da realidade brasileira – em particular, do estado do Rio de Janeiro – através da educação, do conhecimento, da inovação e da inclusão. É um momento de alegria e de reforço da nossa própria identidade como instrumento de avanço do país”.

O vice-reitor Fábio Passos ressaltou o crescimento e as conquistas da instituição ao longo desses 60 anos de existência, que culminaram em uma posição destacada frente às universidades do país: “A UFF foi criada da união de cinco outras faculdades, com a missão de formar mão de obra qualificada para o estado e isso se ampliou ao longo do tempo, não só na área de ensino. Resultou na transformação da instituição em uma universidade de grande porte, com uma extensão muito forte, e também voltada à pesquisa, capacitando a gente a estar entre as melhores. Temos hoje não só o maior número de alunos de graduação inscritos, mas também somos uma das melhores do país em ensino, pesquisa e extensão. Temos que celebrar isso!”, comemora. 

A Secretária Municipal da Fazenda de Niterói, Giovanna Victer, presente na solenidade, enfatizou o forte impacto da instituição na cidade e a próspera parceria entre a UFF e a Prefeitura: “no nosso país, em que as instituições ainda são muito frágeis e sobram momentos de crise, para a gente é uma honra poder compartilhar uma comemoração de aniversário de 60 anos de uma universidade gratuita, que tem uma relação com a cidade de pesquisa e extensão. Para nós é um privilégio contar com uma instituição como a Universidade Federal Fluminense, especialmente nesse momento onde não só a universidade mas vários setores da inteligência do país têm sido desvalorizados. A Prefeitura Municipal de Niterói têm reconhecido em políticas públicas a importância da UFF”.

Convidada de honra do evento, ex-vice reitora e professora aposentada de História, Aidyl de Carvalho Preis destacou sua trajetória na universidade, que se desenvolveu paralelamente ao crescimento da instituição ao longo do tempo: “Comecei na UFF como estudante. Portanto, sou da pré-história, sou de antes da fundação da universidade, e participei, inclusive, da luta de fundação da UFF. Primeiramente fui aluna, depois professora, e também diretora do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, de 1970 a 1974. Aquele foi um momento muito difícil para o país e as universidades; especialmente, para as ciências humanas e sociais. Mas em 1971, apesar de tudo conspirando contra, nós conseguimos, fundar o curso de Pós-graduação em História. Aydil, que além de docente de História é também uma parte da história viva da Universidade Federal Fluminense, ressaltou a importância de se afirmar e reafirmar o compromisso da instituição com a sociedade: “temos que ser fiéis à nossa missão de formar bem as lideranças de amanhã, comprometidas com a causa social, as transformações, e a criação de um conhecimento que seja útil a todos. É esse o compromisso que a sociedade exige de nós. É a sociedade que investe em nós e temos que retribuir”, conclui.

Localidade: 

Compartilhe