Eu sou: Técnico | Docente | Estudante

Agenda Acadêmica destaca ensino, pesquisa e extensão da UFF

Como parte das comemorações dos seus 55 anos, a UFF promove nos dias 25, 26 e 27 deste mês, a Agenda Acadêmica, edição 2015, no Campus do Gragoatá, em São Domingos. A solenidade de abertura será no dia 24, terça-feira, às 20h, no Teatro da UFF, na Reitoria, em Icaraí, e vai contar com a apresentação do Conjunto de Música Antiga da UFF. A festa de encerramento ocorrerá na segunda-feira, dia 30, às 17 horas no mesmo local da abertura, e contará com a participação do Quarteto de Cordas da UFF, em forma de trio. O evento deste ano, de acordo com os organizadores, será realizado de uma forma diferenciada para otimizar recursos. A programação, no entanto, mantém seu foco principal: apresentar à comunidade universitária e à população a produção universitária em suas três grandes áreas de atuação: ensino, pesquisa e extensão, no período 2014-2015.

"A Agenda Acadêmica 2015 é um momento que nos permite reconhecer que a UFF está preparada para enfrentar desafios. O congraçamento de todos os ‘campi’ neste ano é a prova que somos uma comunidade dinâmica, eficaz e pronta para o futuro", afirmou o reitor Sidney Mello.

Mais de dois mil alunos se inscreveram para participar do evento, que reúne quatro pró-reitorias da UFF: de Assuntos Estudantis (Proaes), de Pesquisa e Inovação (Proppi), de Extensão (Proex) e de Graduação (Prograd). Juntas, organizaram um espaço de convivência e troca de experiências entre as diversas áreas da universidade e também com a sociedade, que terá acesso à produção técnico-científica da instituição.

Segundo o vice-reitor Antonio Claudio da Nóbrega, a "celebração das múltiplas realizações, aproximação com a sociedade e prestação de contas à população que nos financia como instituição pública são elementos basilares da nossa agenda acadêmica”.

As atividades desenvolvidas buscam mobilizar a comunidade acadêmica, visando consolidar a participação de alunos, professores e técnico-administrativos, no intuito de divulgar os trabalhos que mais se destacaram ao longo do ano, assim como prestar contas à sociedade do esforço científico e tecnológico da UFF. Nessa perspectiva, cada pró-reitoria apresentará o resultado dos seus programas específicos para cada área.

Proaes

A 3ª Semana de Desenvolvimento Acadêmico (SDA) da Proaes tem como proposta a apresentação e divulgação dos estudos realizados nos projetos em desenvolvimento, cadastrados no Programa Bolsa de Desenvolvimento Acadêmico 2015-2016.

A SDA faz parte da Agenda Acadêmica da UFF, onde projetos de ensino, pesquisa e extensão, bem como os relatos das diversas modalidades de bolsas acadêmicas são apresentados por estudantes, com supervisão de seus orientadores.

A bolsa de desenvolvimento acadêmico é o principal auxílio social da UFF, que contempla atualmente 1.040 estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Além de social, a iniciativa também é uma bolsa acadêmica, uma vez que o estudante tem um professor orientador, que lhe oferece a possibilidade de tutoria, estudo ou iniciação científica, conforme a necessidade do aluno.

Na SDA, os diversos projetos e seus resultados são apresentados, o que evidencia o crescimento acadêmico dos estudantes, bem como o estudo e pesquisa realizados.

“Este é um momento muito especial, em que a produção acadêmica da UFF ganha visibilidade. Projetos de ensino, pesquisa  e extensão, bem como os relatos das diversas modalidades de bolsas são apresentados por estudantes, com a supervisão de seus orientadores. É também  uma oportunidade da instituição se enriquecer com o debate e o conhecimento dos demais trabalhos realizados.”, afirma o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Sérgio Mendonça.

Proex

A 20ª Semana de Extensão (Semext) da Proex tem como objetivo divulgar a produção acadêmica da Universidade Federal Fluminense na área da extensão universitária, possibilitar a troca de experiências entre as instituições, democratizar as ações da UFF e estimular a discussão, a ampliação e o aprofundamento de reflexões a respeito de temas específicos, caracterizados pela transdisciplinaridade.

Durante a Semext, os bolsistas de extensão apresentam seus artigos visando à divulgação das ações de extensão desenvolvidas na instituição, estimulando a interação e a articulação entre as diferentes áreas do conhecimento, além do intercâmbio de informações com outras instituições e a sociedade. Também concorrem ao Prêmio Josué de Castro de Extensão Universitária.

Em 2015, o evento chega a sua 20ª edição, onde foram submetidos 391 trabalhos, dos quais 360 foram aprovados pela Comissão Científica. Mesmo com recursos financeiros reduzidos, a Semext conta com duas inovações neste ano: a primeira refere-se às novas tecnologias implantadas no sistema de certificação on-line e na de avaliação dos trabalhos. A segunda está diretamente ligada ao meio ambiente, com o Programa de Extensão Ações Sustentáveis na UFF, que irá recolher óleo de cozinha usado, armazenado em garrafa PET e filmes de raios X para serem reaproveitados e terem o descarte correto.

“O processo de preparação e realização da Semext exige muito trabalho, mas é de grande satisfação”, diz Wainer da Silveira e Silva, pró-reitor de Extensão, que também ressalta ter tido o apoio de “uma exímia equipe, incansável em suas ações”. Sem o trabalho em conjunto, seria difícil prosseguir com um projeto tão importante para a UFF, que é a extensão universitária.

Prograd

Segundo o pró-reitor de Graduação, Renato Crespo Pereira, a agenda acadêmica é um evento de grande importância para a comunidade universitária. “É o espaço para a apresentação e socialização dos resultados das diversas ações acadêmicas desenvolvidas por meio de projetos que impactam tanto os alunos, em termos de formação e fixação de conteúdos, quanto à sociedade.” Para ele, o retorno à comunidade como um todo reforça o compromisso institucional com o ensino, a pesquisa e a extensão sem estar dissociado da sociedade e seus anseios, conquistas e potencial de desenvolvimento.

“As diversas iniciativas da Prograd estão diretamente relacionadas com esses aspectos, na medida em que temos exposição das ações de multiplicação do conhecimento e iniciação à docência, tanto de nível superior (monitoria) como ensino básico (Pibid)”, explicou Renato Crespo.

Para a Agenda Acadêmica, a Prograd mobilizou seis servidores (professores e técnicos) e aproximadamente 50 bolsistas, que estarão envolvidos na organização dos programas. No dia 25, a partir das 8h, aproximadamente 80 alunos inscritos participarão da 13ª Mostra de Iniciação à Docência na Educação Básica, com coordenação da professora Luciana Freitas.

Também no dia 25, ocorre a Mostra PET Economia, aberta ao público e com coordenação da professora Lerida Povoleri. Na ocasião, às 14h, no auditório da Faculdade de Economia, Bloco F, haverá exibição do filme "Um Sonho Intenso", seguido de debate com Rosa Furtado. A atividade tem parceria com o Núcleo de Economia Brasileira da Faculdade de Economia da UFF.

Dia 26, quinta-feira, sob a coordenação da professora Maura Ventura, 800 alunos participam do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência.  Na programação, a abertura do evento está prevista a partir das 8h, no Auditório Florestan Fernandes. Das 8h30 às 20h, em 15 salas do Bloco A, haverá apresentação de trabalhos. Nos pilotis do mesmo bloco, das 8h às 13h, apresentação de projetos.

Já o Programa de Monitoria contará com 1.038 alunos inscritos e será realizado em cada unidade, dias 26 e 27, e terá a coordenação do professor Luiz Sergio Lamego.

Proppi

A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação participará da Agenda Acadêmica apresentando os resumos dos projetos desenvolvidos pelos alunos no período de agosto de 2014 a julho de 2015. No evento, os estudantes inscritos realizarão seminários a fim de prestar contas das bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Tecnológica e Inovação (Pibiti e o Pibinova), que fazem parte da Proppi.

O seminário do Pibic envolverá 120 professores da UFF e 72 externos, que irão integrar as bancas avaliadoras. São 679 alunos inscritos. Serão escolhidos os dez melhores de cada área do conhecimento, que concorrerão ao Prêmio UFF Vasconcellos Torres de Ciência e Tecnologia na segunda fase, a ser realizada no dia 27 de novembro. A organização do seminário contará com a equipe composta pelo coordenador de Pesquisa, Saulo Cabral Bourguignon; o chefe da Divisão de Pesquisa, Fábio Aquino; os técnico-administrativos Marcelo Guerreiro e Sandro Segges; e as estagiárias Isabela Rocinha, Juliana Otero e Luana Vianna.
A grande novidade nas apresentações deste ano é que os alunos vão apresentar seus trabalhos com a utilização de projetores ou televisores. Nos anos anteriores, alguns trabalhos eram apresentados em forma de pôster. Todos os inscritos farão o seminário para a banca avaliadora, com a presença de professores e alunos. A intenção é reduzir custos e contribuir para o treinamento dos estudantes de iniciação científica, ao apresentarem seus trabalhos para um público maior.

Segundo o pró-reitor da Proppi, Roberto Kant de Lima, "é por meio da iniciação científica que os estudantes têm acesso aos conhecimentos básicos de ciência e tecnologia e são socializados na vida acadêmica”. Para ele, “a apresentação dos trabalhos na Agenda Acadêmica é um momento de celebração por mais um ciclo de trabalho concluído e de estímulo à qualificação permanente na universidade". Os resumos inscritos no seminário são publicados na revista eletrônica do Pibic, no site www.revistapibic.uff.br.

Já o Pibiti e o Pibinova, vinculadas à Agência de Inovação, terão suas apresentações divididas em três grandes áreas: Ciências da Vida, Engenharias e Exatas e da Terra e Humanas e Sociais Aplicadas. O programa tem 106 projetos inscritos e conta com o envolvimento de um técnico, um professor e dois bolsistas.
As várias modalidades de bolsas disponíveis na Proppi proporcionam um estímulo aos professores e alunos na consolidação da produção científica e da formação de novos profissionais. Além disso, ressalta-se a importância na educação básica do contato dos estudantes com a iniciação científica, o que ocorre por meio de bolsas para o ensino fundamental e médio. A partir de 2016, a parceria se estenderá à rede pública de educação.