icone pessoasEu sou: Técnico | Docente | Estudante

Medicina: UFF oferece mestrado e doutorado simultâneos à graduação

A Universidade Federal Fluminense é a quarta instituição federal de ensino superior do Brasil a ter um programa que permitirá ao aluno da Faculdade de Medicina cursar ao mesmo tempo a graduação e a pós-graduação, em nível de mestrado ou doutorado, em Ciências Cardiovasculares.

O objetivo, segundo o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares (PGCVV), cardiologista e médico nuclear, Cláudio Tinoco Mesquita, é reduzir significativamente a média de idade com que os estudantes ingressam no mestrado ou doutorado e assim aumentar o período produtivo desses pesquisadores na área.

De acordo com a vice-coordenadora, professora Christianne Bretas, o Programa de Treinamento em Pesquisa Médica (Modalidade MD-PhD) foi aprovado no início de 2017 pelo colegiado da Faculdade de Medicina da UFF e já selecionou dois candidatos no primeiro processo seletivo ocorrido no primeiro semestre. “Em 2018 faremos outro processo para ampliar o número de alunos cursando esse novo modelo de ensino”, garantiu.

O pré-requisito fundamental para o interessado se candidatar, ressaltam os coordenadores, é que ele esteja munido de uma grande vontade de ingressar em um curso que transformará a sua carreira. Os cursos simultâneos irão capacitá-lo a percorrer dois caminhos promissores, aperfeiçoando seu desempenho profissional, tanto como pesquisador quanto como professor de nível superior.

Professor Cláudio Tinoco e alunos de pós-graduação - 2017Para se inscrever no processo de seleção do mestrado e doutorado do PGCCV, o estudante deverá trazer documentos de identificação (RG e CPF), curriculum vitae, diploma e histórico escolar da graduação, bem como anteprojeto de dissertação e carta de aceite do orientador, devendo o candidato ser alocado em uma das áreas de concentração: Cardiologia ou Ciências Biomédicas.

O candidato inscrito para a área de concentração em Cardiologia deverá apresentar no ato da inscrição, graduação em Medicina e comprovação de residência médica ou curso de especialização em área médica. Já o aluno inscrito para a área de concentração em Ciências Biomédicas deverá apresentar graduação em uma delas, tais como, Fisioterapia, Odontologia, Farmácia, Nutrição, Enfermagem, Psicologia, Educação Física, Biologia, Biomedicina, dentre outras ou ainda em quaisquer outras áreas que possam contribuir para o avanço das Ciências Cardiovasculares; bem como curso de especialização ou equivalente; além dos documentos de identificação”. A faculdade está de braços abertos para receber todos que se interessam pelas linhas de pesquisa da pós-graduação e querem, com isso, fazer parte desta história”, ressaltou Mesquita.

Para o coordenador do curso, o Brasil só se desenvolverá como nação plena se investir maciçamente na educação e na ciência. “É fundamental que os jovens tenham uma percepção mais atrativa da área da pesquisa. Para o Brasil se industrializar, melhorar a sua balança comercial e prosperar, precisamos de mais mestres e doutores no país. Dentro dessa perspectiva, pretendemos alcançar entre 5% a 10% dos alunos do curso médico em um futuro próximo”, concluiu.

Um dos aprovados na seleção, estudante Erito Marques de Souza filho, 36 anos, casado, decidiu enfrentar os desafios inerentes à dupla jornada de estudos. Citou Aristóteles ao falar que sempre buscou “encontrar a justa medida para equilibrar a vida particular e acadêmica”. Para ele, o fato de ainda não ter filhos foi um facilitador na decisão de cursar o doutorado em Ciências Cardiovasculares, em paralelo ao nono ano da graduação em medicina.

Segundo Erito, quatro alunos passaram pelo processo seletivo. O nível de exigência da seleção foi muito alto, afirmou. Além de ter um Coeficiente de Rendimento (CR) acima de 8.8, o aluno tinha que apresentar um extenso conjunto de publicações na área e ter passado com nota acima de 9.0 nas disciplinas de Iniciação Científica.

“Dividir o tempo entre o doutorado e o curso de Medicina e ter uma boa base em pesquisa não é tarefa fácil, pois o volume de textos para estudar é extenso. A formação é muito longa: seis anos de graduação, dois de residência médica e quatro de doutorado, totalizando 12 anos de estudos. Nesse aspecto, a UFF inovou e se alinhou aos grandes centros de formação do mundo, encurtando o tempo de graduação do médico. Nesse sentido, vou aliar a pesquisa à clínica cardiológica”, ressaltou.

Professores Cláudio Tinoco Mesquita e Christianne BretasPor fim, Erito afirmou que pretende dar aulas na área médica e trabalhar com pesquisa. “Precisamos mudar o paradigma na formação médica”. Segundo ele, as escolas de medicina no Brasil em muitos aspectos são reféns do que é feito em outros países, pois faltam estudos adaptados à realidade nacional e com pacientes brasileiros. Os cortes no orçamento também dificultam, mas sua expectativa é muito boa em relação aos professores e à estrutura do curso de doutorado, pois o programa do curso de Ciências Cardiovasculares tem um excelente nível.

Na entrevista a seguir, os professores Cláudio Tinoco Mesquita e Christianne Bretas falam sobre essa nova modalidade de pós-graduação.

Os cursos serão oferecidos somente aos alunos já graduados ou os graduandos também poderão acumular a graduação com os dois, mestrado e doutorado?

Cláudio Tinoco: Temos a possibilidade de concomitância com a graduação de Biomedicina há três anos, através do Programa da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Proppi) de Altos Estudos, e agora temos a possibilidade de um programa conjunto com a graduação de Medicina: o MD/PhD, sendo a UFF uma das quatro universidades pioneiras no país a incorporar esta modalidade de pós-graduação. Mas, por enquanto, o MD/PhD está sendo oferecido na UFF exclusivamente na PGCVV para alunos do curso de Medicina.

Qual a expectativa de adesão entre alunos e professores?

Cláudio Tinoco: No primeiro processo seletivo tivemos uma excelente procura. Dois alunos foram selecionados e um está desenvolvendo seu projeto. Esperamos que em breve mais estudantes tenham interesse e busquem esta excelente oportunidade de aprimorar suas capacidades. Quanto aos professores, vamos abrir um processo de credenciamento de novos docentes para pós-graduação em Ciências Cardiovasculares nas próximas semanas, aumentando com isso a oferta de disciplinas e de professores em diferentes linhas de pesquisa oferecidas aos estudantes.

A carga horária das aulas e tempo dos cursos serão os mesmos ou por serem simultâneos terão uma carga horária e duração menores?

Cláudio Tinoco: A duração é a mesma de um doutorado normal: quatro anos após a matrícula no programa. Sendo que os alunos de medicina precisam ficar cientes de que ao final do curso, a residência médica terá que aguardar a conclusão do doutorado.

Haverá aumento no número de professores de determinada disciplina?

Cláudio Tinoco: Temos 21 professores do PGCCV, mas estamos em processo de expansão, visto que credenciaremos novos docentes até o final deste mês.

O que representa para a UFF e para o aluno participar desses dois processos seletivos e cursá-los simultaneamente?

Christianne Bretas: Hoje um estudante que começa o curso de Medicina com 17 anos, caso estude ininterruptamente, só termina o doutorado aos 33 anos de idade. Seguindo o roteiro original, são seis anos de graduação, quatro anos de residência médica, mais dois de mestrado e, então, quatro anos de doutorado. Com o PTPM, os participantes poderão concluir o doutorado até em dois anos depois do término curso de Graduação em Medicina.

Que outras universidades do Brasil oferecem essa nova modalidade de pós-graduação?

Cláudio Tinoco: O Programa MD-PhD já é um sucesso em algumas universidades do Brasil, como a UFRJ, Unicamp e Unifesp; e agora poderemos oferecer na UFF. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) está incentivando formalmente este tipo de iniciativa, a fim de atrair jovens estudantes de Medicina de alto desempenho para a carreira acadêmica. Os alunos que têm ótimo perfil na graduação e com resultados excepcionais na Iniciação Científica poderão ser selecionados para cursarem em concomitância a graduação e parte do doutorado.

A criação dessa nova modalidade de pós-graduação vai ampliar a oferta de recursos recebidos pela UFF?

Christianne Bretas: Esperamos receber mais bolsas de doutorado especificamente para esta modalidade. A Capes já abriu um edital assim no passado e está incentivando todas as universidades a seguir esta mesma iniciativa.

Outras informações para o processo seletivo estão no site do PGCVV: http://poscardio.sites.uff.br/

Público-alvo: 
Localidade: 

Compartilhe