UFF cria protocolo pioneiro de acompanhamento dos servidores recuperados da Covid-19

Print Friendly, PDF & Email

Pacientes que apresentaram a Covid-19 e se recuperaram, especialmente das formas mais severas, podem apresentar sintomas persistentes de longo prazo. A Universidade Federal Fluminense (UFF) disponibilizou um serviço de acompanhamento médico para docentes e técnicos-administrativos recuperados da doença. O objetivo do protocolo de atendimento é oferecer orientação clínica e monitoramento dos efeitos pós-Covid-19.

O serviço está disponível para todos os servidores públicos da UFF por meio de atendimento presencial na Coordenação de Atenção Integral à Saúde e Qualidade de Vida (CASQ). Os horários serão exclusivos e devem ser agendados pelo email: sme.das.casq@id.uff.br. Por ser uma doença de conhecimento científico limitado até o momento, é indefinido o tempo exato de duração de possíveis sequelas. Depois da primeira consulta, os servidores serão acompanhados e o retorno acontecerá de acordo com as manifestações clínicas dos pacientes.

De acordo com o reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, o Protocolo de Acompanhamento de Pacientes Recuperados de Covid-19 é uma ação pioneira para prestar atendimento clínico especializado aos servidores de Universidade. “Essa medida é extremamente importante, particularmente por duas razões. A primeira é para prestar assistência médica gratuita e de fácil acesso aos nossos servidores recuperados da doença, sejam os que atuam no Hospital Universitário Antonio Pedro (HUAP), sejam os professores e técnicos administrativos. Esse apoio é fundamental para cuidar da saúde e prestar orientações. O segundo ponto é levantar dados que podem colaborar com o conhecimento acadêmico a partir do monitoramento de sintomas posteriores à Covid-19”, afirmou o reitor.

Acompanhamento na UFF da síndrome pós-covid

A Covid-19 é uma doença nova que desafia os procedimentos médicos, demandando acompanhamento e pesquisa clínica para descobrir potenciais efeitos duradouros. O que se sabe até o momento é que sequelas podem permanecer de 3 a 6 meses após a recuperação da enfermidade, necessitando de medidas de acompanhamento multidisciplinar e reabilitação.

Segundo o chefe da seção médica, Dr. Jorge Eduardo Costa, dentre as principais repercussões, destacam-se aquelas de saúde mental, sistema músculo-esquelético, sistema respiratório, sistema cardiovascular, sistema endócrino e sistema nervoso.

- “Nossa preocupação é com síndromes pós-Covid, ou seja, um quadro clínico que está se apresentando em parte da população que teve a doença. Mais da metade dos pacientes graves está apresentando sintomas de dor de cabeça, falta de ar, cansaço, fraqueza; muitas pessoas estão ficando por até três meses com problemas de olfato e paladar, algumas com problemas neurológicos, ansiedade, nervosismo, pessoas apresentaram pneumonia de origem bacteriana, outras apresentaram tromboses e doenças venosas”, explicou o médico.

O atendimento será com hora marcada com a especialista em infectologia Dr. Jurema Nunes Mello, que já está orientada com todo o protocolo de atendimento.

- “Isso será muito importante para trazer conforto e orientação para o servidor e, o mais importante, que ele possa se sentir assistido e tratado naquilo que for necessário. Já temos uma ficha de coleta de dados para poder atender os pacientes. Todos aqueles que tiveram Covid-19, tendo sintomas ou não, e precisam de algum tipo de orientação e queiram comparecer, serão bem-vindos”, detalhou Jorge Costa.

Os horários serão exclusivos e devem ser agendados pelo email: sme.das.casq@id.uff.br.

 
Localidade: