Victória Caroline (Estagiária de Jornalismo)

Levar o conhecimento científico ao ambiente escolar é uma marca presente em várias iniciativas da UFF no intuito de aproximar o universo acadêmico e a sociedade. Uma delas é o projeto Horta Escolar, aplicado na Escola Municipal Alberto Francisco Torres, em Niterói, com apoio da Faculdade de Nutrição. O ambiente, em fase de implantação, funcionará como laboratório vivo, permitindo o desenvolvimento de diversas atividades pedagógicas nas áreas de nutrição, biologia e educação ambiental.

Promover educação de qualidade e gerar energia sustentável são tarefas complexas e aparentemente distintas, mas o Projeto Barco Escola, desenvolvido pela Engenharia de Recursos Hídricos e do Meio Ambiente consegue integrá-las com sucesso. Esta é mais uma iniciativa da UFF que foca no ensino e no desenvolvimento tecnológico e científico e reflete a busca por soluções que beneficiem diretamente a sociedade.

Em todo o mundo o uso da bicicleta como meio de transporte tem sido cada vez mais difundido, não só para lazer, mas também para as atividades cotidianas. No Brasil, entretanto, o planejamento das cidades ainda prioriza os transportes motorizados, causando problemas urbanos como engarrafamentos, poluição e economia. Por considerar urgente que a mobilidade seja repensada pela sociedade, a UFF incentiva ações de sustentabilidade através de diversos projetos na área.

Em sua busca constante por diagnósticos e tratamentos cada vez mais eficazes, o Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), através do Serviço de Alergia e Imunologia Clínica, oferece de forma gratuita para a população diversos procedimentos especializados como os tratamentos de rinite, asma, dermatite atópica, imunodeficiência e urticária crônica. Atualmente, são beneficiados pelo serviço em torno de 2500 pacientes ao ano.

Buscando popularizar a ciência, a UFF tem apresentado diferentes projetos que transpõem o conhecimento científico para além dos muros da universidade. A mais recente iniciativa de democratização científica é o Dose de Ciência, evento que terá sua primeira edição realizada pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (Proppi) na próxima quarta-feira, 25 de outubro.

Criada em outubro de 2016, a Feira Orgânica e Agroecológica da Faculdade de Nutrição acontece toda terça-feira, das 8h às 16h, no campus do Valonguinho, e entrou para a programação não só dos alunos da UFF, mas também da população de Niterói. O que começou como um evento durante a Agenda Acadêmica realizada pela universidade, é hoje um ambiente para venda de produtos orgânicos e, principalmente, para troca de conhecimento entre estudantes e produtores.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com a maior taxa de transtornos de ansiedade no mundo e o quinto em casos de depressão. Essa realidade também está presente no ambiente universitário, demandando mobilizações efetivas das instituições de ensino superior no auxílio aos seus estudantes.

Com o objetivo de incentivar o uso de fontes alternativas de energia, a Equipe Arariboia trabalha há cinco anos na construção de um barco solar, tecnologia ainda pouco aplicada no Brasil e que pode gerar importantes avanços em sustentabilidade para o país.

O avanço científico beneficia não somente estudantes e pesquisadores, mas principalmente a sociedade, já que áreas como a medicina, computação e engenharia, têm impacto direto na vida da população. Para isso, é preciso que as universidades invistam também em infraestrutura, pois a maioria das áreas depende de equipamentos com tecnologia de ponta para desenvolverem seus projetos.

O Exame Nacional de Avaliação do Desempenho dos Estudantes (Enade) é o instrumento que o governo federal utiliza para avaliar o ensino superior e garantir a qualidade e eficiência da educação nos âmbitos público e privado. Ele tem como objetivo analisar o rendimento dos alunos matriculados em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos de graduação.

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) consiste em um documento no qual é definida a missão da universidade, para atingir as metas e objetivos institucionais para os próximos cinco anos (2018-2022). Essas propostas são estabelecidas por meio dos resultados de uma consulta pública à comunidade da UFF, da qual todos são convidados a participar – docentes, técnicos administrativos e discentes, além de moradores dos municípios onde a UFF está instalada.

A Fórmula SAE acontece nos EUA desde 1981, entretanto, sua primeira competição no Brasil ocorreu apenas em 2004. Neste mesmo ano, através de dois ex-membros do Baja – outra competição automotiva estudantil –, a UFF iniciou sua participação no projeto com a Equipe Buffalo de Fórmula SAE

Buscando entender o funcionamento e as consequências das transformações ambientais ligadas a questões climáticas, a professora do Departamento de Geografia, Rosemary Vieira, criou o Laboratório de Processos Sedimentares e Ambientais (LAPSA), que realiza estudos na Península Antártica e nas montanhas Ellsworth, através de expedições realizadas anualmente, além de desenvolver projetos no Brasil, na região amazônica e em lagunas costeiras, como a Baía de Guanabara.

A partir do interesse em estabelecer debates sobre a questão da liberdade religiosa na sociedade – principalmente através das escolas –, os docentes do departamento de História da UFF Campos, Erika Arantes e Rodrigo de Castro, fundaram o grupo de pesquisa denominado Relações Étnico-raciais e Religiões Afro-brasileiras (Reafro). Como parte da iniciativa, foi criado, também, o curso sobre intolerância religiosa, que almeja expandir os questionamentos acerca do tema nas instituições de ensino, considerando a importância da inclusão dos professores da educação básica nas atividades.

Criado em abril de 2016, o Centro de Estudos para Sistemas Sustentáveis (Cess), da Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica do campus de Volta Redonda, tem como objetivo desenvolver projetos que fomentem a sustentabilidade dos serviços urbanos, industriais e logísticos, em âmbito nacional e internacional.

A participação de uma equipe brasileira de estudantes em uma competição da NASA ganhou destaque nos veículos de comunicação não só pela dedicação desses jovens, mas pelo ineditismo da empreitada. O grupo denominado SpaceTroopers foi o primeiro a representar o Brasil no NASA Human Exploration Rover Challenge, evento que em março de 2017 teve sua 24º edição, reunindo estudantes de vários países.

Nos últimos anos, o Brasil sediou dois grandes eventos esportivos, a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016, que além de estimularem o gosto pela prática esportiva, fomentaram o surgimento de projetos sociais com essa temática. A UFF, conhecida não só pelo ensino e pela pesquisa de alto nível, mas também pelo apoio ao esporte universitário, vem desenvolvendo, em parceria com o Ministério dos Esportes, projetos de incentivo a essas atividades como ferramenta de inclusão social, instrumento pedagógico e lazer.

Quando se trata de problemas renais é comum pensar de imediato nos conhecidos cálculos e infecções, entretanto, disfunções relacionadas aos rins podem ser graves e gerar até falência do órgão, como é o caso da doença renal crônica (DRC). Caracterizada pela perda progressiva e irreversível das funções dos rins, a doença tem como principais causas no Brasil a hipertensão e a diabetes, seguidas de obesidade e glomerulopatia.

A Universidade Federal Fluminense, através do Departamento de Estudos Culturais e Mídia, surpreendeu com sua criatividade ao inaugurar um museu virtual que, além de fornecer amplo acervo, propõe o estudo dos memes - fenômeno cultural típico da internet - como objeto de pesquisa. Quem pensa que memes são apenas uma nova forma de gerar humor nas redes sociais, pode segurar esse forninho.

Subscrever Victória Caroline (Estagiária de Jornalismo)