Cinema na UFF - Centro de Artes UFF

Subscrever feed Cinema na UFF - Centro de Artes UFF
Portal do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense
Atualizado: 30 minutos 3 segundos atrás

AD ASTRA – RUMO ÀS ESTRELAS

ter, 15/10/2019 - 14:44

EUA, 2019, 124’, 14 anos
De James Gray
Com Brad Pitt, Tommy Lee Jones, Ruth Negga, Donald Sutherland

Roy McBride é um engenheiro espacial que decide empreender a maior jornada de sua vida: viajar para o espaço, cruzar a galáxia e tentar descobrir o que aconteceu com seu pai, um astronauta que se perdeu há vinte anos no caminho para Netuno. Do mesmo diretor de Z: a cidade perdida, Era uma vez em Nova York e Amantes.

Categorias: Centro de Artes UFF

MEU NOME É DANIEL

ter, 15/10/2019 - 14:41

Brasil, 2018, 83’, 12 anos
De Daniel Gonçalves

Daniel Gonçalves nasceu com uma deficiência que nenhum médico foi capaz de diagnosticar. No documentário pessoal, o jovem cineasta, residente no Rio de Janeiro, traça o caminho de sua vida para tentar compreender sua condição. Através de imagens de arquivo da família e de cenas gravadas hoje em dia, vamos passear por momentos, histórias e reflexões de Daniel. O longa venceu o Troféu Barroco de Melhor Filme – Júri Popular na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes e ganhou o prêmio “Documental Calificado Oscar” do Festival Internacional de Cine de Cartagena, realizado na Colômbia. Com o prêmio, o filme está qualificado para disputar o Oscar da categoria Melhor Documentário em 2020.

Categorias: Centro de Artes UFF

ELEIÇÕES

ter, 15/10/2019 - 14:38

Brasil, 2018, 100´, 12 anos
De Alice Riff

A rotina do ensino médio da Escola Estadual Doutor Alarico da Silveira, localizada no centro de São Paulo, é alterada por conta das eleições do grêmio estudantil que se aproximam. Durante este período é possível identificar como as consequências do processo eleitoral afetam as relações entre os alunos, assim como as eleições presidenciais, em proporções bem maiores, conseguem alterar a atmosfera de um país.

Categorias: Centro de Artes UFF

A NOITE AMARELA

seg, 07/10/2019 - 15:09

Brasil, 2019, 102′, 12 anos
De Ramon Porto Mota
Com Rana Sui, Ana Rita Gurgel, Felipe Espíndola

Em um breve feriado, um grupo de jovens decide ir até uma ilha. No entanto, o lugar se mostra extremamente escuro, tanto durante o dia quanto à noite, e acontecimentos sinistros ocorrem enquanto os amigos estão por lá. Ou seriam meras alucinações?

Categorias: Centro de Artes UFF

GRETA

seg, 07/10/2019 - 15:01

Brasil, 2019, 97′, 18 anos
De Armando Praça
Com Marco Nanini, Démick Lopes, Denise Weinberg

Pedro é um enfermeiro de 70 anos que trabalha em um hospital público de Fortaleza. Sua melhor amiga é Daniela, artista transexual que enfrenta graves problemas de saúde. Quando ela precisa ser internada, mas não encontra leito disponível, Pedro sequestra um paciente recém-chegado, Jean, e o abriga em sua casa. Inicialmente, o enfermeiro tem medo do rapaz agressivo, que se esconde da polícia. Depois, nasce entre eles uma relação de cumplicidade e afeto. Melhor Filme, Ator e Diretor no Festival Nacional Cine Ceará 2019 e Melhor Filme no Festival de Cinema Lésbico e Gay de Milão 2019.

Categorias: Centro de Artes UFF

DOMINGO

seg, 07/10/2019 - 14:57

Brasil/França, 2018, 95′, 16 anos
De Fellipe Barbosa e Clara Linhart
Com Itala Nandi, Camila Morgado, Augusto Madeira, Chay Sued

Múltiplos pontos de vista de uma família burguesa do interior gaúcho no dia 1º de janeiro de 2003, quando o Brasil vivia a histórica posse do presidente Luís Inácio Lula da Silva. Durante uma festa extravagante, muitas verdades estão prestes a vir à tona e o mal estar entre os convidados fica evidente. Melhor Filme e Direção de Arte no Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira 2019 e Melhor Atriz (Itala Nandi) no Festival do Rio 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

RESGATES

seg, 07/10/2019 - 14:54

Brasil, 2019, 39′, livre
De Zhai Sichen

No interior do Palácio São Cristóvão, destruído pelo incêndio de setembro de 2018, acontece um trabalho árduo e minucioso de resgate de acervos. Entre memórias, sentimentos e o compromisso com a educação pública e a ciência no Brasil, estudantes e trabalhadores ligados à instituição se dedicam a dar continuidade a um símbolo cultural do país, o Museu Nacional.

————

Trabalhando profissionalmente desde 2009 na área do audiovisual, Zhai Sichen se formou em cinema pela PUC-Rio. Tem no currículo longas e curtas-metragens, filmes institucionais e videoclipes. Atualmente é servidor da UFRJ.

Victor Bittar é graduado em Ciências Biológicas (bacharel e licenciatura) na UFF, seguido de mestrado em Arqueologia, com ênfase em Bioantropologia, no Museu Nacional – UFRJ. Também graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na Estácio, hoje é funcionário do Museu Nacional, no departamento de Antropologia, como Bioarqueologo. No resgate ocupa o cargo de Coordenador Logístico/Executivo, responsável por manter o funcionamento das operações e fazer a interface com as
empresas contratadas.

 

Categorias: Centro de Artes UFF

SÓCRATES

seg, 30/09/2019 - 12:01

Brasil, 2018, 71′, 16 anos
De Alex Moratto
Com Christian Malheiros, Tales Ordakji, Caio Martinez Pacheco

Depois da morte de sua mãe, o jovem Sócrates, que foi criado apenas por ela durante os últimos tempos, precisa fazer tudo o que for possível para que consiga sobreviver na realidade da miséria, somado com o preconceito por ser homossexual. Seus valores e ideais são colocados na balança com o medo de não conseguir se virar sozinho. Prêmio Félix de Melhor Filme de Ficção no Festival Rio 2018, Melhor Filme, Diretor e Ator no Festival Mix Brasil 2018, prêmio Someone to Watch no Independent Spirit Awards 2019 e outros sete prêmios internacionais.

Categorias: Centro de Artes UFF

4º BRICS FILM FESTIVAL

seg, 30/09/2019 - 11:53

3 a 8 de outubro – Entrada franca (exceto Ganga Bruta – OSN CINE)

A Mostra Clássicos BRICS será uma oportunidade para conhecer obras-primas do cinema brasileiro, russo, indiano, chinês e sul-africano, inclusive grandes filmes muito pouco conhecidos fora de seus próprios países, exibidos em cópias restauradas. Serão dez filmes de diferentes épocas e estilos. Curadoria dos Profs. Dr. João Luiz Vieira e Dr. Rafael de Luna Freire.

 

Dia 03, quinta, 18h

SORGO VERMELHO | RED SORGHUM
Hong gao liang, China, 1987, 95′, 18 anos
De Zhang Yimou
Com Gong Li, Jiang Wen, Teng Rujun, Liu Ji, Qian Ming

No norte da China entre as décadas de 1920 e 1930, uma jovem mulher tem seu casamento arranjado com um velho leproso e dono de uma destilaria. O filme acompanha sua vida, entre o amor e o negócio, enfrentando a violência de criminosos e a brutalidade da invasão do país durante a guerra Sino-Japonesa. Urso de Ouro no festival de Berlim 1988 e Melhor Ator no Golden Phoenix Awards, China 1989.  

Dia 03, quinta, 20h10

FOI EM MAIO | IT WAS THE MONTH OF MAY
Byl mesyats may, Rússia, 1970, 115′, 16 anos
De Marlen Khutsiev
Com Aleksandr Arzhilovsky, Pyotr Todorovskiy, Sergey Shakurov

Poucos dias após a rendição nazista e o fim da Segunda Guerra Mundial, um grupo de soldados soviéticos vive dias de paz em território alemão. Apesar da aparente tranquilidade, uma inquietude vai tomando conta dos soldados que, aos poucos, irão descobrir horrores da guerra, que só então começa a revelar suas marcas.

 

Dia 04, sexta, 19h | Dia 05, sábado, 10h30 | Dia 06, domingo, 10h30
Ingressos: Dia 04 > R$ 30 e R$ 15 | Dias 05 e 06 > R$ 20 e R$ 10

GANGA BRUTA – OSN CINE
Brasil, 1933, 82′, 14 anos
De Humberto Mauro
Com Durval Bellini, Dea Selva, Lu Marival

Em plena noite de núpcias, por desconfiar de sua infidelidade, Marcos mata sua esposa. Atormentado pelo episódio e apesar de absolvido pela justiça, o engenheiro aceita emprego numa fábrica do interior. Lá, conhece Sônia, irmã de criação de seu colega Décio. O desejo pela sedutora Sônia levará Marcos e Décio a uma nova tragédia.

 

Dia 05, sábado, 18h

UM BURRO NUMA ALDEIA BRÂMANE | DONKEY IN A BRAHMIN VILLAGE
Agraharathil Kazhutai, Índia, 1977, 96′, 14 anos
De John Abraham
Com M.B. Srinivasan, Swathi, Srilalitha

Um professor decide adotar um pequeno burro órfão. Diante de gozações de colegas e alunos, ele o leva para sua aldeia Brâmane natal e contrata uma garota cega para cuidar dele. Em meio à superstição e religiosidade da população local, o burro é considerado ora maldito, ora milagroso, provocando inúmeras consequências.

 

Dia 05, sábado, 20h10

VOLTE, ÁFRICA | COME BACK, ÁFRICA
Come Back, África, África do Sul, 1959, 86′, 16 anos
De Lionel Rogosin

O zulu Zachariah chega a Joanesburgo vindo de sua aldeia em busca de trabalho para alimentar sua família. Na cidade grande, ele se depara com a opressão e a injustiça impostas aos negros pelo regime Apartheid, enquanto passa por diversos empregos e trava relações com outras pessoas na mesma situação. Prêmio Pasinetti no Festival de Veneza 1959.

 

Dia 06, domingo, 18h

FRAGMENTO DE UM IMPÉRIO | FRAGMENT OF AN EMPIRE
Oblomok Imperii, Rússia, 1929, 109′, 14 anos
De Fridrikh Ermler
Com Fyodor Nikitin, Lyudmila Semyonova, Valeri Solovtsov

Na Primeira Guerra Mundial, um soldado czarista sofre um choque que o faz perder a memória. Mais de dez anos depois, ele finalmente se recupera da amnésia e parte em busca de sua antiga esposa. Entretanto, ao retornar a São Petersburgo – agora Leningrado – ele descobre como as radicais mudanças da Revolução Russa afetaram não apenas a sociedade, mas também sua antiga vida, incluindo seu trabalho e casamento.

 

Dia 06, domingo, 20h20

ELES NÃO USAM BLACK-TIE
Brasil, 1981, 120′, 14 anos
De Leon Hirszman
Com Gianfrancesco Guarnieri, Fernanda Montenegro e Carlos Alberto Riccelli

O jovem operário Tião namora Maria e sonha com uma vida melhor para o casal. Ambos trabalham numa fábrica na qual uma greve está prestes a estourar. O posicionamento em relação à greve vai opor Tião e seu pai, Otávio, líder sindical veterano, gerando um conflito em sua família e, até mesmo, em seu relacionamento com Maria. Prêmio Especial do Júri e Prêmio da Crítica no Festival de Veneza 1981, Prêmio Coral no Festival de Havana 1981 e outros sete prêmios internacionais.

 

Dia 07, segunda, 18h

TOLOS | FOOLS
Fools, África do Sul, 1997, 90′, 16 anos
De Ramadan Suleman
Com Patrick Shai, Dambisa Kente, Hlomla Dandala

Em 1989, antes da libertação de Nelson Mandela, o jovem Zani retorna a sua cidade natal após completar os estudos e confronta o professor de meia-idade Zamani, que havia estuprado sua irmã. Os protestos do idealista Zani contra o regime Apartheid fazem Zamani refletir sobre o conforto e o vazio de sua vida e carreira em conivência com a opressão do regime. Prêmio do Júri no Festival de Locarno 1997. 

 

Dia 07, segunda, 20h10

A DEUSA | THE GODDESS
Shénnǚ, China, 1934, 85′, 16 anos
De Yonggang Wu
Com Lingyu Ruan e Zhizhi Zhang

Uma jovem mãe solteira é obrigada a se prostituir nas ruas de Xangai e para escapar da polícia, acaba se tornando refém de um violento cafetão. Ela suporta todo tipo de provação e economiza dinheiro secretamente para dar uma boa educação para seu filho. Mas sua vida noturna ameaça esse sonho.

 

Dia 08, terça, 20h

A TENDA DO CIRCO | THE CIRCUS TENT
Thampu, Índia, 1978, 130′, 12 anos
De Govindan Aravindan
Com Gopi, Venu, Sriraman e Jalaja

O filme acompanha a chegada, a instalação, os espetáculos e, ao fim, a partida de um circo em uma pequena cidade no sul da Índia. Pequenas histórias envolvendo vários personagens, da companhia mambembe e da cidade, se desenrolam tendo o circo como fio condutor.

Categorias: Centro de Artes UFF

OSN Cine – Ganga Bruta

qui, 26/09/2019 - 16:40

A Orquestra Sinfônica Nacional UFF apresenta no dia 4 de outubro, às 19h, e nos dias 5 e 6 de outubro, às 10h30, no Cine Arte UFF, a série OSN Cine. As exibições fazem parte da programação do 4º Festival de Cinema do BRICS, que reúne produções e atividades voltadas para o cinema dos membros do grupo BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O filme Ganga Bruta será exibido com execução da trilha sonora ao vivo pela OSN UFF. O regente convidado Thiago Santos comandará a Orquestra nestas apresentações que contarão com composições de Radamés Gnattali (1906 – 1988).  

A série OSN Cine une duas formas de arte distintas, mas que se complementam de forma ímpar: a música e o cinema. Ambas encontraram na cultura brasileira o terreno fértil e propício para o surgimento de grandes artistas. Dois deles estarão em evidência no OSN Cine deste ano: um dos maiores cineastas brasileiros, Humberto Mauro, idealizador do mais significativo ciclo regional de nosso cinema, inspiração de Glauber Rocha e do Cinema Novo; e Radamés Gnattali, um dos mais profícuos arranjadores brasileiros de todos os tempos, artista de destaque tanto na música popular quanto na música erudita.

Nesta exibição especial do filme Ganga Bruta, obra de 1933, com direção de Humberto Mauro e trilha de Gnattali, o público poderá conferir a junção do trabalho destes dois grandes nomes. A plateia também será contemplada com a presença do maestro Thiago Santos, um dos principais nomes da nova geração de regentes brasileiros.

 

Ficha técnica:

Ganga Bruta
Brasil, 1933, 82′, 14 anos
De Humberto Mauro
Com Déa Selva, Durval Bellini, Lu Marival e Décio Murilo

Em sua noite de núpcias, Marcos mata a esposa ao descobrir que ela não era virgem. O escândalo repercute, mas ele é absolvido. Muda-se para Guaraíba, onde dirige as construções de uma fábrica, auxiliado por Décio, que vive com sua mãe paralítica, e Sônia, sua irmã de criação. Sônia se interessa por Marcos, mas Décio, que a ama platonicamente, teme que algo aconteça entre os dois. Marcos ainda vive atormentado pelas recordações de seu noivado com a esposa que assassinara. Um retrato da vida brasileira nos anos 1930, onde predominam a sensualidade, a repressão sexual e a violência urbana.

 

BRICS

O 4º Festival de Cinema do BRICS reúne produções e atividades voltadas para o cinema dos membros do grupo BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul –, com edições anuais intercaladas entre os cinco países.

Em 2019, o Brasil sedia o BRICS, e Niterói foi a cidade escolhida para acolher, entre os dias 23 de setembro e 9 de outubro, a quarta edição do festival. O evento é realizado pelo Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense (UFF), com a cooperação da prefeitura de Niterói, apoio institucional da Ancine e patrocínio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério da Cidadania.

A 4ª edição do Festival de Cinema do BRICS busca valorizar o passado, o presente e o futuro do cinema, com ações voltadas para a história cinematográfica dos países membros do bloco e para dar espaço para novos talentos do audiovisual. O evento conta com diversas atividades, cursos e mostras, todos abertos ao público. Além disso, a 4ª edição evidencia a importância da universidade pública na formação audiovisual no Brasil e a sua participação na produção e manutenção de acervos audiovisuais.

Nota de programa

Se Ganga Bruta (1933) marca o cinema nacional como um dos mais importantes filmes brasileiros de todos os tempos, para o jovem Radamés Gnattali (1906-1988) é o início de sua atividade como compositor de trilhas sonoras – nos 50 anos seguintes, escreveu música para mais de 35 filmes incluindo Rio 40 Graus (1955), O Homem do Sputnik (1959) e Eles Não Usam Black-tie (1981). Como o longa de Humberto Mauro surgiu na transição do cinema silencioso para o falado, a trilha essencialmente orquestral de Gnattali cumpre papel fundamental no desenrolar da trama, numa espécie de tradução musical da narrativa. Ao longo do filme, uma variedade de gêneros e estilos musicais caracterizam e conceituam personagens, sentimentos e locações. Como traço marcante da produção de Radamés Gnattali, sua fácil circulação entre a música de concerto e a música popular nos faz ouvir em Ganga Bruta seresta, maxixe, batuque, valsa, inserções de trechos da Abertura 1812 de Tchaikovsky além de canções românticas – incluindo Teus Olhos, Água Parada, concebida como leitmotiv do casal protagonista – e a marchinha de carnaval Ta-Hí, grande sucesso nos anos 1930 na voz de Carmen Miranda.

Radamés Gnattali

Radamés Gnattali nasceu em 1906, em Porto Alegre. Foi um compositor, arranjador, maestro, pianista e violista. Filho de dois apaixonados por música, recebeu aulas de piano dadas pela mãe, lições de violino com a prima, além da influência do pai que era músico. Se forma pianista pelo Instituto de Belas Artes de Porto Alegre aos 18 anos de idade.

Por 4 anos, toca Viola no quarteto de cordas Henrique Oswald. Em fins de 1920, se muda para o Rio de Janeiro, onde se torna integrante do quarteto Hotel Central. Em 1930, apresenta as suas primeiras composições, todas elas de repertório erudito. À música popular, ele apenas vai se aproximar em 1932, em virtude da necessidade financeira de subsistência. Muitos de seus trabalhos nessa época são realizados sob o pseudônimo Vero, em uma tentativa de encobrimento de seu repertório popular. Sua carreira cresce conectada à música popular. Seus arranjos se tornam muito cobiçados. Cria a Orquestra Carioca, primeira rádio dedicada exclusivamente à música brasileira. Em 1943, surge a Orquestra Brasileira de Radamés Gnattali, com a intenção de levar uma brasilidade maior às orquestrações. 

Após o fim das orquestras radiofônicas (pelo advento da televisão), seu trabalho retoma um foco maior novamente para a música erudita, além de ser maestro e arranjador em algumas TVs.

Em janeiro de 1983, recebeu um Prêmio Shell na categoria de música erudita. Um dos maiores responsáveis pela diluição das fronteiras entre erudito e popular no Brasil, ele morreu em 1988, no Rio de Janeiro, tendo composto em sua vida a trilha sonora de mais de 35 filmes. 

 

Thiago Santos – Regente convidado

Thiago Santos tem sido apontado como um dos mais promissores jovens regentes brasileiros da atualidade. Após atuar como maestro assistente da BBC Philharmonic e da Royal Liverpool Philharmonic, na Inglaterra (2014-2016), retornou ao Brasil e desde então tem dirigido regularmente diversas orquestras pelo país, dentre elas: a Sinfônica Nacional-UFF, Sinfônica da UFRJ, Sinfônica de Sergipe e Sinfônica Jovem de Goiás.

Também trabalhou com a Filarmônica de Minas Gerais, Sinfônica de Porto Alegre e Sinfônica de São José dos Campos.

Por duas temporadas (2017 e 2018), foi maestro titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba, sendo reconhecido por importante expansão artística do grupo e sua consolidação no cenário orquestral nacional. Foi o primeiro latino-americano contemplado com a bolsa de estudos Leverhulme Arts Scholar para o renomado programa de regência orquestral do Royal Northern College of Music, em Manchester (Inglaterra).

4 a 6 de outubro de 2019
Sexta | 19h, sábado e domingo | 10h30
Cine Arte UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói
Ingressos – Sexta: R$30,00 (inteira) e 15,00 (meia).
Sábado e domingo: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Classificação etária: 14 anos

Categorias: Centro de Artes UFF

A MÚSICA DO TEMPO – DO SONHO DO IMPÉRIO AO IMPÉRIO DO SONHO

seg, 23/09/2019 - 17:28

Brasil, 2017, 97’, livre
De João Velho

Documentário musical produzido e idealizado pela equipe do Centro de Artes UFF e protagonizado pelo Conjunto Música Antiga da UFF. O fio condutor são os mitos em torno do Quinto Império e do Sebastianismo, desde suas origens na corte portuguesa, nos séculos XV e XVI, até o culto ao Rei Sebastião na religião afro-maranhense Tambor de Mina, encontrada principalmente no Maranhão.

Categorias: Centro de Artes UFF

PANORAMA DA 3ª MOSTRA DO FILME MARGINAL

seg, 23/09/2019 - 17:19

Por meio de uma parceria entre o cineclube Sala Escura, do Departamento de Cinema e Vídeo da UFF, e a Mostra do Filme Marginal, a sessão apresenta seis curtas-metragens realizados entre 2017 e 2019. Após a exibição, haverá debate com as realizadoras e os realizadores dos filmes. A sessão é um recorte da 3ª Mostra do Filme Marginal, que aconteceu no Rio de Janeiro entre 14 e 22 de setembro de 2019.

 

MANGA COM LEITE
Brasil, 2019, 9’ | De Nathali de Deus

Manga com leite é uma história de busca à ancestralidade que parte do olhar de uma criança. Diara é uma menina de 10 anos que tem a companhia de uma árvore antiga em seu quintal, que irá lhe ensinar qual o significado de resistência.  

COROAÇÃO
Brasil, 2019, 9’
De Juciara Áwô e Luana Arah, com Mariana Maia, Rubens Barbot, Sonia Regina

A performer Mariana Maia transita seu corpo pela cidade numa narrativa sensorial que envolve a relação da água na sua ancestralidade enquanto mulher preta.

 

REBENTO
Brasil, 2019, 17’
De Vinicius Eliziário, com Jessica Duarte, Juliete Nascimento, Pedro Riccardo, Gabriel Piedade, João Pedro

Zói, ao saber da gravidez de sua namorada, desata em si sentimentos suspensos. Pedro só queria terminar o desenho de sua família.

 

EU PRECISO DESTAS PALAVRAS ESCRITA
Brasil, 2017, 19’
De Milena Manfredini e Raquel Fernandes, com Luciano Quirino

O passado de Arthur Bispo do Rosario é praticamente desconhecido. Sabe-se apenas que era negro, marinheiro e pugilista. Em 1938 é internado na Colônia Juliano Moreira após um delírio místico. Com diagnóstico de esquizofrenia paranoide, é iniciada sua peregrinação em busca do divino e da catalogação do universo.

 

EU NÃO NASCI PRA SER DISCRETA
Brasil, 2018, 15’ | De Alek Lean

Jovens descendentes de negros, japoneses, índios e judeus falam como é difícil ser afeminado num mundo machista até mesmo no meio LGBTQ, onde há certa exigência em ser discreto para poder se relacionar afetivamente e ter uma boa convivência na sociedade em geral.

 

MARAKÁ’NÀ
Brasil, 2019, 21’ | De Grupo Popular Pesquisa em Ação

Esta é uma história semelhante a muitas lutas em todo o Brasil, contra os megaeventos e o modelo de desenvolvimento imposto de cima. Este filme usa testemunhos dos protagonistas e imagens históricas para relatar toda a violência e abusos que ocorreram devido à Copa do Mundo de 2014. Ao redor do estádio do Maracanã, levantaram-se diferentes lutas: aquele do movimento social “Não vai ter copa”, a resistência indígena da Aldeia Marakana, contra a remoção da Favela do Metrô Mangueira e da escola Municipal Friedenreich.

Categorias: Centro de Artes UFF

OS JOVENS BAUMANN

seg, 16/09/2019 - 17:06

Brasil, 2019, 70’, 12 anos
De Bruna Carvalho Almeida
Com Julia Burnier, Isabela Mariotto, Marília Fabbro

Em 1992, em um encontro de família nas férias de verão, toda a geração mais jovem de herdeiros da família Baumann desaparece misteriosamente. Através de fotos da viagem e registros em vídeo recém descobertos, reconstrói-se os últimos dias desses jovens, em uma tentativa de entender o mistério há tantos anos sem solução.

Categorias: Centro de Artes UFF

ALÉM DO ESPELHO

seg, 16/09/2019 - 17:03

Brasil, 2014, 53’, 12 anos
De Ana Flauzina
Com Edson Cardoso, Haile Gerima

O documentário conecta duas das mais importantes vozes da resistência negra no cenário internacional contemporâneo: o jornalista brasileiro Edson Cardoso e o cineasta etíope Haile Gerima que, em intenso diálogo, situam os desafios impostos pelo racismo e as possibilidades de superação de seus efeitos nefastos.

Categorias: Centro de Artes UFF

ERA UMA VEZ EM… HOLLYWOOD

seg, 16/09/2019 - 17:01

Once upon a time… in Hollywood, EUA, 161’, 16 anos
De Quentin Tarantino
Com Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Margot Robbie

Los Angeles, 1969. No melhor momento hippie em Hollywood e alguns meses antes dos assassinatos cometidos pelos seguidores de Charles Manson, Rick Dalton, ex estrela de televisão, junto com seu dublê, Cliff Booth, luta para vencer em uma nova indústria cinematográfica. Ele conhece muitas pessoas influentes, o que acaba levando-os às vítimas da seita de Manson, entre elas a atriz Sharon Tate, que na época estava grávida do diretor Roman Polanski. Palm Dog no festival de Cannes 2019.

Categorias: Centro de Artes UFF

21º FBCU – FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO

seg, 09/09/2019 - 16:54
  Quinta-feira 12 de setembro

 

14h – MOSTRA ACESSÍVEL, 48’, 12 anos

 

QUIM:ERA
Brasil, 2015, 2’, Cinema de Animação – UFPel
De Taíla Soliman, com vozes de Jorge Vasconcellos e Marcelo Barbosa

Dona Conceição e seu bonsai entram em uma viagem quimérica para compreender o tempo. Melhor Direção de Arte – 14º NOIA Festival Brasileiro de Cinema Universitário

 

GAROA
Brasil, 2015, 4’, Cinema de Animação – UFPEL
De Amanda Trindade

Uma garota usa a dança como forma de resgatar seu passado e encontrar sua liberdade.

 

PEDACINHO DO CÉU
Brasil, 2016, 15’, Cinema – UNESA
De Caio Alvarenga, com Léa Garcia, Vinícius Patrício, Silvia Bertelli e Andrey Castro

No coração do Rio de Janeiro, no ponto mais alto e isolado da favela Pedacinho do Céu, mora Maria da Graça, abnegada e batalhadora mãe de Pedro, que trabalha duro para manter os estudos de seu filho. Ele, por sua vez, aguarda ansiosamente o resultado do vestibular e de uma eventual bolsa de estudos. No contexto de uma sociedade competitiva e desigual, o fracasso de Pedro pode selar definitivamente a sua sorte, mas a vitória e superação também podem cobrar seu preço.

 

À BUSCA DA FELICIDADE
Brasil, 2015, 3’, Design Gráfico – Animacao e Ilustracao Digital – UVA
De Aline Mendonça

Homens estão correndo em direção a um muro, todos querem chegar do outro lado o mais rápido possível, mas acabam se atrapalhando no meio de seus desesperos. Enquanto apenas um cara caminha tranquilamente sem se preocupar com o caminho a percorrer até o outro lado.

 

FORA DE QUADRO
Brasil, 2016, 20’, Cinema – UFPE
De Txai Ferraz, com Francisca Maria, Vânia Soares, Robeyoncé Lima, Alberto Ananias

As histórias de vida do pedreiro azulejista Alberto, da professora Vânia, da empregada doméstica Chica e da estudante Rob. Pessoas comuns, assim como você.

 

IAMI
Brasil, 2016, 4’, Design de Mídia Digital – PUC Rio
De Thiago Macedo

Uanhã é um índio Mawé que certa noite presencia um fato inacreditável, o roubo da noite. Agora ele precisará da ajuda do pajé para ver a lua outra vez.

  Sexta-feira 13 de setembro

 

19h – Mostra Competitiva de Curtas Programa 1, 94’, 14 anos

(com debate após a sessão)

 

PERPÉTUO
Brasil, 2018, 25`, 12 anos, Comunicação Social – Rádio e TV – UFRJ
De Lorran Dias, com Rainha Timbuca, Gustavo Dias, Edna Toledo

Século XXI, América do Sul, Brasil, Rio de Janeiro, Baixada Fluminense, Nova Iguaçu, Cerâmica e Comendador Soares: Silvia e Alex voltam a morar juntos. Forças invisíveis do passado se atualizam nas ruínas do presente. Vida em movimento.

 

QUANDO ERA PRIMAVERA
Brasil, 2019, 14`, 10 anos, Cinema e Audiovisual, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
De Lara Damiane, com Gabriela Alves, Guilherme Augusto, Guilherme Santos

No final de 2015 eclodiram as ocupações das escolas estaduais em Goiás contra a implantação das Organizações Sociais. A primavera estudantil marcou um novo período de resistência e de radicalização das estratégias de luta dos estudantes. Em Goiás, o movimento estudantil foi vitorioso, e essa é nossa memória.

 

RONDA
Brasil, 2019, 25`, 12 anos, Curso Superior do Audiovisual, CTR – ECA – USP
De Mauricio Battistuci e Francisco Miguez, com João Filho, Georgette Fadel, Rogério Bandeira

Segurança desempregado, Hélio cai em uma espiral de encontros em São Paulo. Enquanto faz promessas de ascensão para sua companheira, que ainda não veio para a capital, passa a rondar a cidade, sem rumo, por sua função.

 

GLÓRIA
Brasil, 2019, 6`, 10 anos, Comunicação Social – Rádio e TV – UFRJ
De Yaminaah Abayomi e Nádia Oliveira, com Timbuca Hai, Maria Gilda Alves de Oliveira, Yaminaah Abayomi

Das lágrimas às tsunamis, toda água tem a mesma origem e um só fim.

 

ESPAVENTO
Brasil, 2019, 24`, 14 anos, Realização em Audiovisual, EAV-Vila das Artes – CE
De Ana Francelino, com Mara Rachel Oliveira, Lidia dos Anjos, Tupini

Em um futuro qualquer, a cidade de Fortaleza sofre a contaminação de uma patologia causada pela poluição das construções civis. A luta e as ações contra a principal empresa imobiliária são os motivos que levam Enya a resistir. Resistir como quem deseja.

  Sábado 14 de setembro

 

19h – Mostra Competitiva de Curtas Programa 2, 98’, 12 anos

(com debate após a sessão)

 

BEAT É PROTESTO – O FUNK PELA ÓTICA FEMININA
Brasil, 2018, 24`, 14 anos, Comunicação Social – Rádio, Tv, Internet, UMESP – Universidade Metodista de São Paulo
De Mayara Efe

Retrato da cena underground das mulheres no funk de protesto da última década de São Paulo com depoimentos de mulheres transgênero, cisgênero, que transitam em diferentes funções como cantoras, DJs, beatmakers, produtoras, empresárias, MCs, dançarinas, e também depoimentos de drag queens. O projeto investiga e dá voz a essas mulheres que estão fora da mídia atualmente, e explora temas como políticas públicas, mercado e o corpo feminino nesses espaços.

 

SUPER ESTRELA PRATEADA
Brasil, 2018, 28`, 12 anos, Cinema e Audiovisual, UNA – Centro Universitário UNA – MG
De Leonardo Branco
Com Rejane Faria, Marcelo Souza e Silva, Juninho Vende-se

Um casal aficcionado por fogos de artifício descobre o grande Super Estrela Prateada.

 

UM ESTRANHO NO ESCURO
Brasil, 2019, 15`, 12 anos, Cinema e Vídeo – IACS/UFF
De Matheus Albano
Com Aléssio Abdon e Fábio Ramalho

Um músico cego presencia um homicídio e é seguido até sua casa pelo assassino.

 

O REFLEXO DO ABISMO
Brasil, 2019, 14`, 12 anos, Cinema, UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina
De Rafael Minari , com Eduardo Alexandre

Memórias e pesadelos. O mergulho nas águas profundas do inconsciente nunca é sereno. As criaturas perambulam entre o sono e o real.

 

ADEUS ÀS COISAS
Brasil, 2019, 17`, livre, PPGArtes – Programa de Pós-graduação em Artes, UERJ
De Ian Schuler

Um pequeno cosmos para as coisas.

  Domingo 15 de setembro

 

19h – Mostra Competitiva de Curtas Programa 3, 98’, 12 anos

(com debate após a sessão)

 

DOS ANTIGOS AOS FILHOS DO AMANHÃ
Brasil, 2017, 30`, livre, Comunicação Social – Cinema, PUC-RJ
De Leonardo A. Gelio, com Antônio de Jesus, Alonso de Jesus, Vitor Cardoso

A luta pela manutenção da cultura caiçara através da construção de uma canoa, e a passagem desse conhecimento às gerações futuras, meninas da comunidade caiçara de Trindade, RJ.

 

SÓ SEI QUE FOI ASSIM
Brasil, 2018, 7`, 10 anos, Cinema de Animação, UFPEL – Universidade Federal de Pelotas
De Giovanna Muzel, com vozes de Giovanna Muzel e Jacson Piovesan

Quando Santiago, o melhor amigo de Júlia, encontra um livro falando sobre a selva e como é a vida lá, ele decide que está na hora de finalmente agir como um tigre e partir em uma jornada até a selva. Durante essa aventura eles confrontam suas inseguranças e encontram algumas das forças que possuem.

 

IMPERMEÁVEL PAVIO CURTO
Brasil, 2018, 21`, 12 anos, Cinema e audiovisual, UNA – MG
De Higor Gomes, com Kauane Tarcila, Juliana Floriano e Emanuele Paixão

Jaqueline tem aquilo que muitos chamariam de personalidade forte. A adolescente vive com a tia e enfrenta alguns problemas na escola. Sua companhia diária é uma bicicleta, com a qual passeia pelo bairro. Um dia, Jaqueline e a tia pegam a estrada, mas as coisas não saem como o esperado.

 

A VIDA É PRA VALER
Brasil, 2018, 24`, 10 anos, Cinema e Audiovisual, UFRB – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
De Marvin Pereira, com Igor Fróes, Tailana da Cruz, Amana Raha

Baseado na música “Marvin” do grupo Titãs, a trama conta a história de Cristóvão, adolescente que precisa assumir as responsabilidades e as dívidas deixadas por seu pai Antônio junto ao carrasco Seu Adolfo. Com uma linguagem que flerta entre o lúdico e o realismo fantástico, o curta traz referências do novelismo rural.

 

UM BEIJO PARA SOFIA
Brasil, 2018, 16`, livre, Cinema e Audiovisual, UNIMEP – Universidade Metodista de Piracicaba
De Calleb Jangrossi
Com Fernanda Viacava, Ana Sophia Delicato, Caio Laranjeira

Sofia é uma criança soropositiva, que com ajuda de sua mãe e o apoio de seu melhor amigo Davi, precisará enfrentar problemas nunca confrontados em sua infância. Entre medicações e unicórnios ela descobrirá uma amizade transformadora.

  Segunda-feira 16 de setembro

 

19h – Mostra Competitiva de Curtas Programa 4, 88’, 12 anos
(com debate após a sessão)

 

LAKIÃNÔ/XOKLENG: OS ÓRFÃOS DO VALE
Brasil, 2018, 31`, 10 anos, Jornalismo, UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina
De Andressa Santa Cruz e Clara Comandolli, com Carli Caxias Popó, Faustino Criri, Willi Ndilli

Resgate da história da população indígena Laklãnõ/Xokleng, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, através principalmente de depoimentos de indígenas, dividindo-se em três momentos: a chegada dos imigrantes e o genocídio indígena consequente, a violência e desapropriação de territórios através do alagamento de aldeias após construção da Barragem Norte e o cenário atual de ameaça com a não homologação da Terra Indígena Ibirama-Laklãnõ, aguardada desde 2003, e o assassinato de um líder indígena em janeiro de 2018.

 

LIBERDADE!
Brasil, 2018, 19`, 12 anos, Bacharelado em Audiovisual, SENAC – SP
De Ana Carolina Ferreira, com Raphael Meira, Ana Ferreira, Rafael Cabral

Apresentação de um lado bastante particular e pouco conhecido do bairro da Liberdade, localizado na cidade de São Paulo, e que hoje é famoso por concentrar a maior colônia japonesa no Brasil. Uma história violenta que foi deixada no esquecimento através de gerações.

 

#ELENÃO: MULHERES PARAENSES CONTRA O FASCISMO
Brasil, 2018, 20`, 10 anos, Jornalismo, UNAMA – Universidade da Amazônia
De Joyce Cursino, com Kalynka Cruz, Adima Monteiro, Flávia Câmara

O documentário revela como um movimento de mulheres inundou as redes e as ruas para dizer #EleNão. São relatos de mulheres em diferentes frentes da luta contra o fascismo, representado na candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da República nas eleições de 2018, que demarcam uma narrativa histórica e única no Pará, no Brasil e no mundo.

 

CASA DO POVO
Brasil, 2019, 11`, 10 anos, Curso Superior do Audiovisual, CTR – ECA – USP
De Clara Dias e Pedro Petriche, com Camila da Silva Costa, Marcos Antonio Alves Bezerra, Débora C. de Carvalho

A Arena Corinthians foi construída no bairro paulistano de Itaquera, aproximando as estruturas do clube a um grande reduto da sua torcida. A partir de filmagens no tour oficial da arena e de conversas com torcedores que moram no bairro, observa-se a relação dúbia que lá se estabeleceu após a construção do estádio.

 

O VERBO SE FEZ CARNE
Brasil, 2018, 7`, 12 anos, Cinema e Audiovisual, CAC – UFPE – Universidade Federal de Pernambuco
De Ziel Karapotó, com Ziel Karapotó

A colonização e suas estratégias para etnocídio de nações indígenas, visando a destruição de culturas e línguas originárias.

  Terça-feira 17 de setembro  

19h – Mostra Competitiva de Curtas Programa 5, 97’, 12 anos
(com debate após a sessão)

 

MAGALHÃES
Brasil, 2018, 23`, livre, Comunicação Social – Midialogia, Instituto de Artes – UNICAMP
De Lucas Lazarini

Nas eleições municipais de 1992, Magalhães Teixeira é eleito prefeito de Campinas. Filme-arquivo sobre um político em campanha, os embaraços de sua equipe de filmagem e eleitores desconfiados em meio ao impeachment do presidente Collor.

 

REBENTO
Brasil, 2019, 18`, 10 anos, Produção Audiovisual, UNIJORGE – Centro Universitário Jorge Amado
De Vinicius Eliziário, com Pedro Riccardo, Jéssica Moura, JP Santos

Zói, ao saber da gravidez de sua namorada, desata em si sentimentos suspensos. Pedro só queria terminar o desenho de sua família.

 

BR3
Brasil, 2019, 23`, 16 anos, Cinema e Audiovisual, IACS/UFF
De Bruno Ribeiro, com Dandara Vital, Johi Farias, Kamyla Galdeano

Kastelany chega na casa da Luciana. Mia se prepara para sair à noite com suas amigas. Dandara transa com Johi pela primeira vez.

 

BICHA-BOMBA
Brasil, 2019, 8`, 12 anos, Cinema e Vídeo, Faculdade de Artes do Paraná / UNESPAR
De Renan de Cillo, com as vozes de Luca Scarpelli, Lui Castanho, Marcelo Oriani

Este filme “não é capaz de vingar as mortes, redimir os sofrimentos, virar o jogo e mudar o mundo. Não há salvação. Isso aqui é uma barricada! Não uma bíblia.”

 

EU ESTOU VIVO
Brasil, 2019, 25`, 14 anos, Cinema e Audiovisual, Centro Universitário UNA
De Maíra Campos e Michel Ramos, com Daniel Jaber, Luiz Fábio Torres e Marcelo Souza e Silva

Ivo é um homem condenado. Há muitos anos, ele e outros homens na mesma situação, vivem reclusos em contêineres durante a noite e prestam serviços braçais durante o dia. Suas relações afetivas são proibidas, assim como suas comunicações são limitadas, levando-os a se expressarem por meio de uma linguagem não verbal. É através dela, que Ivo é convidado a uma fuga furtiva, para experimentar sensações há muito tempo esquecidas, e fugir de uma ameaça que ele não sabe de onde vem.

  Quarta-feira 18 de setembro

 

20h – ENCERRAMENTO

– Apresentação de curtas

– Homenagem a Profª Dra. Marília Franco

– Premiação do FBCU 2019

 

VIGIA
Brasil, 2018, 23`, 14 anos, Cinema e Audiovisual – IACS/UFF
De João Victor Borges, com Alexandre Amador, Artur Maia, Lucas Inácio Nascimento

Num grande supermercado, Magno vigia meninos de mochila nos corredores, enquanto a madrugada se arrasta lentamente para Bismarck, o caixa. Vencedor do Projeto Sal Grosso da 20ª edição do FBCU – 2017.

 

REFLEXO DO FRUTO
Brasil, 2018, 6`, 18 anos, Cinema e Audiovisual/UFPE – Universidade Federal de Pernambuco
De Inana e Giu, com Thaís Botelho

Ela experimenta seu prazer e seu olhar. Como quebrar espelhos? Vencedor da Oficina Filmes da 20ª edição do FBCU – 2017

 

IMPERMANÊNCIA
Brasil, 2019, 14`, 12 anos, Cinema – UFSCar
De Bárbara Roma, com Jane Fernandes e Isabella Firmino

Em um lugar isolado, cercado pela natureza bruta, uma mulher enfrenta o vazio em seu estado bruto. O silêncio da ausência. Perdida em suas lembranças, ela enfrenta uma doença misteriosa que se apodera lentamente de sua filha, sua última companhia. Vencedor do Projeto Sal Grosso da 17ª edição do FBCU – 2012.

 

ESCAPE!
2017, 13`, livre, PUC-RJ
De João Rabello, com Victor Bravo, Fred Klotz, Zé do Acordeon

Como toda grande cidade, o caos do Rio de Janeiro expõe os moradores a frequências sonoras muito nocivas, como o trânsito. E no meio da confusão, músicos de rua apresentam uma possibilidade de harmonização. Participante da Oficina Filmes da 20ª edição do FBCU – 2017.

Categorias: Centro de Artes UFF

TORRE DAS DONZELAS

seg, 09/09/2019 - 15:51

Brasil, 2018, 97`, 12 anos
De Susanna Lira
Com Elea Mercurio, Caroline Manchini, Carol Patrocinio, Denise Dietrich, Marilia Yazbek, Paloma Moreno, Scarlet Garcez

Quarenta anos após serem presas durante a ditadura militar na Torre das Donzelas, como era chamado o Presídio Tiradentes, ao lado da ex Presidente da República Dilma Roussef, um grupo de mulheres revisita a sua história em relatos carregados de emoção e atrizes encenam suas vivências no passado. Torre das donzelas é um exercício coletivo de memória feito por mulheres que acreditam que resistir ainda é o único modo de se manter livre. Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília 2018, Melhor Direção e Júri popular de Melhor Documentário no Festival do Rio 2018 e Melhor documentário do Júri Popular na Mostra São Paulo 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

O FIM DA VIAGEM, O COMEÇO DE TUDO

seg, 09/09/2019 - 15:47

Tabi no Owari Sekai no Hajimari, Japão/Uzb/Qat, 2019, 120’
De Kiyoshi Kurosawa
Com Atsuko Maeda, Shota Sometani, Tokio Emoto

A jovem japonesa Yoko está com sua pequena equipe de TV no Uzbequistão para filmar um novo episódio para o programa de variedades que apresenta. Apesar do perfil internacional do programa, Yoko tem um jeito discreto e tímido, mas os desafios culturais e pessoais que ela experimentará ao longo da viagem mudarão sua visão da vida.

Categorias: Centro de Artes UFF

EL CREDO

seg, 02/09/2019 - 16:11

Argentina, 2019, 87’, 14 anos
De Alan R. Sasiain

O filme relata a ascensão e queda de grupos fascistas autoproclamados na cidade litorânea de Mar del Plata. Em uma comunidade marcada pelo desemprego e pela precariedade dos jovens, uma organização neonazista caminha violentamente até encontrar uma sociedade mobilizada que enfrenta o ódio, o racismo, a xenofobia e a discriminação.

Categorias: Centro de Artes UFF

LIVRES

seg, 02/09/2019 - 16:08

Brasil, 2019, 80´, 14 anos
De Patrick Granja
Com Bagalá, Gilson da Maia, Fábio Gregorio, Fábio Gomes, Renee, Márcio Souza, Ellan Lustosa

Seis homens com um ideal: usar o cinema como instrumento de denúncia e visibilidade para as mazelas das prisões brasileiras. A vida na cadeia fez a imaginação desses ex-presos voar para fora das grades e usar a arte como potencial ferramenta de reconstrução humana. Livres é um docudrama que fala sobre racismo, prisão, tortura e violações de direitos, mas também grita sobre liberdade, sonhos e justiça.

Categorias: Centro de Artes UFF

Páginas