Cinema na UFF - Centro de Artes UFF

Subscrever feed Cinema na UFF - Centro de Artes UFF
Portal do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense
Atualizado: 5 horas 30 minutos atrás

18ª MFL – MINI MOSTRA DO FILME LIVRE

ter, 21/05/2019 - 13:01

Iniciada em 2002 com a pretensão de fazer uma mostra sem limitações com relação aos formatos, gêneros e durações dos filmes, a MFL segue abrindo espaço para obras mais independentes.

Dia 24, sexta, 19h | Curta + longa, 78’, livre  

 

POLIS
Brasil, 2018, 8´, Livre
De Rafael Baptista da Costa Magalhães

Uma máquina angustiada narra a crise que enfrenta ao tentar exercer sua função. Expressando com imagens urbanas suas dificuldades, ela tenta encontrar alguma solução.

 

TOKIO MAO O ÚLTIMO KAMIKAZE
Brasil, 2018, 70´, Livre
De Marina Pessanha
Com Tokio Mao, Kazumi Mao, Carlos Rosa.

Documentário sobre a vida de Tokio Mao, ex-piloto kamikaze que deveria ter morrido em uma ação de contra-ataque na ilha de Luzon, no mar das Filipinas, em novembro de 1944, mas sobreviveu. Dez anos depois do fim da guerra, Tokio Mao veio parar no Brasil a trabalho como engenheiro químico, e daqui nunca mais saiu. Dá aulas de karatê há mais de 40 anos em Niterói.

Dia 25, sábado, 19h | Curta + longa, 95’, 14 anos  

 

FUNERAL PARA A DÉCADA DE BRANCAS NUVENS
Brasil, 1979, 10´, 14 anos
De Geneton Moraes Neto
Com Ana Farache, Amin Stepple, Luiz Augusto Falcão

Colagem de imagens fotográficas marcantes, que retratam os anos 1960/1970, intercaladas por planos de dois jovens. Poeticamente melancólico, o curta dá “boa noite” aos repressores e, em tom esperançoso, dá “bom dia” aos que podem abrir as portas da liberdade.

 

SAGRADA FAMÍLIA
Brasil, 1970, 85´, 14 anos
De Sylvio Lanna
Com Paulo César Peréio, Walda Maria Franqueira, Milton Gontijo.

Sylvio Lanna pertence à anticonvencional família udigrúdi mineira. Neste filme de 1970, uma típica família burguesa embarca em uma estranha viagem, conduzida pelas mãos de um guru. Ao longo da jornada, eles vão se desfazendo dos bens materiais e de sua história. Porém, o guia desta viagem é uma criatura diabólica, que vai exterminando os integrantes desta família.

 Dia 26, domingo, 19h | Curta + longa, 100’, 10 anos  

 

THINYA
Brasil, 2019, 16´, Livre
De Lia Letícia

Minha primeira viagem ao Velho Mundo. Minha fantasia aventureira pós-colonial.

 

LA MANUELA
Brasil, 2017, 84’, 10 anos
De Clara Linhart

Em agosto de 2015, Manuela Picq Lavinas, jornalista e professora universitária franco-brasileira, foi presa numa manifestação em Quito, no Equador. Na mesma noite, revogaram seu visto de trabalho. Uma semana depois, ela saía do país onde tinha vivido por 10 anos, deixando para trás sua casa, seu trabalho e sua história de amor.

 Dia 27, segunda, 19h | Curta + longa, 94’, 14 anos

 

 

MEMÓRIAS DO SUBSOLO OU O HOMEM QUE CAVOU ATÉ ENCONTRAR UMA REDOMA
Brasil, 2017, 11´, 14 anos
De Felipe Camilo Mesquita Kardozo

Uma travessia subcutânea entre 1984 e 2016.

 

MEU NOME É DANIEL
Brasil, 2018, 83´, 14 anos
De Daniel Gonçalves
Com Daniel Gonçalves

Daniel de Castro Gonçalves nasceu com uma deficiência que nenhum médico foi capaz de diagnosticar. No documentário em primeira pessoa, o jovem relembra sua infância por meio de registros de família para tentar entender sua condição, enquanto busca novas respostas para sua doença.

 Dia 28, terça, 19h | Curta + longa, 109’, livre  

 

PRINCESA MORTA NO JACUÍ
Brasil, 2018, 17´, Livre
De Marcela Ilha Bordin
Com Gabriel Palma, Maíra Flores

O arqueólogo Margot Moreira retorna ao lugar onde nasceu, a zona de exclusão chamada Depressão Central. Lá, o sol nunca para de brilhar.

 

O CHALÉ É UMA ILHA BATIDA DE VENTO E CHUVA
Brasil, 2018, 92´, Livre
De Letícia Simões
Com Dalcídio Jurandir

Após uma viagem para o Pará, a diretora Letícia Simões entrou em contato com o livro de Dalcídio Jurandir. O documentário é uma homenagem ao romancista que, enquanto escrevia os livros que compõem sua saga de dez volumes, subia e descia o Rio Tapajós de barco para trabalhar como inspetor de escola.

 Dia 29, quarta, 19h | Sessão de curtas, 94’, 14 anos  

 

CALMA
Brasil, 30´, Livre
De Rafael Simões
Com Genilda Maria, Marília Coelho, Gedivan de Albuquerque

Uma cidade em constante processo de construção e desconstrução faz barulho e atrapalha o público. Uma mulher tem o seu apartamento invadido, mas não sabe por quem. Aos vizinhos, cabem as suposições, a dúvida se devem ou não ajudá-la e o medo de serem os próximos invadidos.

 

A PALAVRA DE DEUS
Brasil, 21´, 14 Anos
De Mg Katrina

Um brasileiro super-herói tentando achar seu lugar num universo paralelo parecido com o nosso. Atordoado pela sua consciência, suas memórias, esperanças e melancolias. Ele decide dar um rolezinho para refrescar a cabeça. Um filme na velocidade do pensamento.

 

SUR
Brasil, 2018, 23´, 14 Anos
De Marina Gurgel

Al sur al sur / está quieta esperando / Montevideo. Mario Benedetti

 

ELÃ!
Brasil, 2017, 20´, 14 Anos
De Lucio Branco
Com Leonel Brizola, Carlos Lacerda.

Abril de 1964. Sob a urgência do momento, em pronunciamentos radiofônicos improvisados, “ELÃ!” se apoia na performance retórica passional de dois ícones da vida pública brasileira, o deputado federal Leonel Brizola e o governador Carlos Lacerda. Cada discurso assinala conscientemente a ressonância histórica do momento, num filme composto apenas de material iconográfico.

Categorias: Centro de Artes UFF

PARQUE OESTE

ter, 21/05/2019 - 11:39

Cineclube Sala Escura – Exibição seguida de debate com Nina Tedesco (professora de Cinema e Vídeo e do Programa de Pós-Graduação em Cinema e Audiovisual da UFF) e Patricia Machado (pesquisadora, professora de cinema da PUC e doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ). Mediação de Reinaldo Cardenuto (pesquisador, professor de Cinema e Vídeo da UFF e doutor pela USP).

PARQUE OESTE
Brasil, 2018, 70’, 12 anos
De Fabiana Assis
Com Eronilde Nascimento

Depois de ser vítima de uma violenta desocupação ocorrida em Goiânia, no ano de 2005, uma mulher reconstrói sua vida a partir da luta por moradia. Em 2019, o filme foi consagrado com o Troféu Carlos Reichenbach na Mostra Olhos Livres, competitiva da 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes.

Categorias: Centro de Artes UFF

PARAÍSO PERDIDO

seg, 13/05/2019 - 16:49

Brasil, 2017, 110’, 14 anos
De Monique Gardenberg
Com Lee Taylor, Jaloo, Júlio Andrade, Erasmo Carlos, Julia Konrad, Humberto Carrão

Paraíso Perdido é um clube noturno gerenciado por José e movimentado por apresentações musicais de sua família. O policial Odair se aproxima da família ao ser contratado para fazer a segurança do jovem talento Ímã, neto de José e alvo frequente de homofóbicos. Aos poucos o laço entre o agente e o clã de artistas românticos vai se revelando mais e mais forte, com nós surpreendentes. Prêmio de Melhor Elenco pela APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte.

Categorias: Centro de Artes UFF

AÍDA

seg, 29/04/2019 - 18:52

Ópera em quatro atos de Giuseppe Verdi, Libreto de Antonio Ghislanzon, 2h28’, 10 anos
Festival de Salzburgo – Cantada em italiano
Maestro: Riccardo Muti
Com Anna Netrebko, Roberto Tagliavini, Ekaterina Semenchuk, Franceso Meli

Mênfis e Tebas na época dos faraós. O rei do Egito se encontra em guerra com Amonasro, rei da Etiópia, cuja filha, Aída, é mantida prisioneira por seus inimigos, tendo se tornado escrava da bela Amnéris, filha do faraó. Ambas se apaixonam por um jovem oficial chamado Radamés, que deve liderar os soldados no ataque aos etíopes. Radamés ama Aída e ignora que é contra o pai dela que terá de combater.

Categorias: Centro de Artes UFF

EM TRÂNSITO

seg, 29/04/2019 - 18:46

Transit, Alemanha/França, 2018, 101´, 12 anos
De Christian Petzold
Com Franz Rogowski, Paula Beer, Godehard Giese

A França está sob invasão e Georg precisa deixar Paris, mas antes ele deve procurar um escritor, que encontra morto. De posse dos documentos do escritor e de uma carta que ele deixou para a esposa, Georg seque para Marselha. Em situação irregular, ele quer entregar a carta à esposa do escritor e fugir do país, mas acaba se envolvendo com imigrantes ilegais e também em mal-entendidos que definirão seus caminhos. Baseado no romance da alemã Anna Seghers, escrito em 1942, o filme transporta toda a trajetória de Georg para os dias atuais.

Categorias: Centro de Artes UFF

DUMBO (Dublado | 2D)

seg, 29/04/2019 - 18:41

EUA, 2019, 112´, 10 Anos
De Tim Burton
Com Colin Farrell, Danny DeVito, Michael Keaton, Eva Green

1919, Joplin, Estados Unidos. Holt Farrier é uma ex-estrela de circo que, ao retornar da Primeira Guerra Mundial, encontra seu mundo virado de cabeça para baixo. Além de perder um braço no front, sua esposa faleceu e ele agora precisa criar os dois filhos. Soma-se a isso o fato de ter perdido seu antigo posto no circo, sendo agora o encarregado de cuidar de uma elefanta que está prestes a parir. Quando o bebê nasce, todos ficam surpresos com o tamanho de suas orelhas, o que faz com que de início seja desprezado. Cabe então aos filhos de Holt a tarefa de cuidar do pequenino Dumbo.

Categorias: Centro de Artes UFF

FAMÍLIA SUBMERSA

seg, 29/04/2019 - 18:36

Familia submergida, Argentina/Bra/Nor/Ale, 2018, 91’, 12 anos
De María Alché
Com Mercedes Moran, Marcelo Subiotto, Esteban Bigliardi, Luiz Carlos Vasconcelos

Quando Rina morre repentinamente, a vida de Marcela, sua irmã e companheira, é completamente abalada. O velório é sobreposto por conversas sobre o passado e assuntos familiares que incomodam Marcela, principalmente por estar recebendo todos em sua casa. O filme traz um olhar original sobre a classe média urbana argentina e também sobre o luto. Prêmio Horizontes no Festival de San Sebastián 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

LOS SILENCIOS

qua, 24/04/2019 - 16:06

Brasil/Fra/Col, 2018, 89’, 12 anos
De Beatriz Seigner, com Enrique Diaz, Marleyda Soto, Adolfo Savinvino

Amparo é mãe de dois filhos pequenos e está fugindo dos conflitos armados da Colômbia. Na tríplice fronteira do país com o Peru e o Brasil, ela e os meninos se abrigam em uma pequena ilha com casas de palafita no Rio Amazonas. No local, eles encontram o pai, que supostamente estava morto. Melhor Direção e Prêmio da Crítica no Festival de Brasília 2018 e Melhor Contribuição Artística no Festival de Havana 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

O ÚLTIMO SONHO

qua, 24/04/2019 - 15:43

De Alberto Alvares

No longa, a homenagem vem em forma de documentário sobre a memória do grande líder Guarani Wera Mirim. Guiado pelos sonhos, com orientação de Nhanderu, Wera Mirim, mesmo após seu passamento, continua a guiar seu povo através de sua sabedoria ancestral, para além da vida.

Categorias: Centro de Artes UFF

VIAJO PORQUE PRECISO, VOLTO PORQUE TE AMO

qua, 24/04/2019 - 15:26

Brasil, 2009, 75’, 14 anos
De Marcelo Gomes e Karim Aïnouz – Fotografia de Heloísa Passos
Com Irandhir Santos

José Renato tem 35 anos, é geólogo e foi enviado para realizar uma pesquisa, onde terá que atravessar todo o sertão nordestino. Sua missão é avaliar o possível percurso de um canal que será feito, desviando as águas do único rio caudaloso da região. À medida que a viagem ocorre ele percebe que possui muitas coisas em comum com os lugares por onde passa. Desde o vazio à sensação de abandono, até o isolamento, o que torna a viagem cada vez mais difícil. Melhor Fotografia e Melhor Direção no Festival do Rio 2009.

Categorias: Centro de Artes UFF

CHUVA É CANTORIA NA ALDEIA DOS MORTOS

seg, 15/04/2019 - 17:39

Brasil, 2018, 114’, 12 anos
De João Salaviza e Renée Nader Messora
Com Henrique Ihjãc Krahô, Kôtô Krahô

Ihjãc é um jovem do povo Krahô, aldeia indígena localizada em Pedra Branca, no interior do Brasil. Depois de ser surpreendido pela visita do espírito de seu falecido pai, ele se sente na obrigação de organizar uma festa de fim de luto, comemoração tradicional da comunidade. Prêmio do Júri na mostra Um certo olhar, no Festival de Cannes 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

BORDER

seg, 08/04/2019 - 17:14

Gräns, Suécia, 2018, 110’, 16 anos
De Ali Abbasi
Com Eva Melander, Eero Milonoff, Jörgen Thorsson

Tina é uma policial que trabalha no aeroporto fiscalizando bagagens e passageiros. Depois de ser atingida por um raio na infância, ela desenvolveu uma espécie de sexto sentido, fazendo com que seja capaz de “ler as pessoas” pelo olhar e pelo odor. Isso sempre representou uma vantagem na sua profissão, mas tudo muda quando ela identifica um criminoso em potencial e não consegue achar provas para justificar sua intuição. Após o episódio, ela passa a questionar seu dom, ao mesmo tempo em que fica obcecada em descobrir qual o verdadeiro segredo de Vore, seu único suspeito não legitimado. Vencedor da mostra Um Certo Olhar / Cannes 2018 e do Festival de Los Angeles 2018, Efeitos Especiais no Prêmio do Cinema Europeu e indicado ao Oscar de Maquiagem.

Categorias: Centro de Artes UFF

LOS SILENCIOS

seg, 08/04/2019 - 17:12

LOS SILENCIOS

Brasil/Fra/Col, 2018, 89’, 12 anos
De Beatriz Seigner, com Enrique Diaz, Marleyda Soto, Adolfo Savinvino

Amparo é mãe de dois filhos pequenos e está fugindo dos conflitos armados da Colômbia. Na tríplice fronteira do país com o Peru e o Brasil, ela e os meninos se abrigam em uma pequena ilha com casas de palafita no Rio Amazonas. No local, eles encontram o pai, que supostamente estava morto. Melhor Direção e Prêmio da Crítica no Festival de Brasília 2018 e Melhor Contribuição Artística no Festival de Havana 2018.

KAIRO (somente dia 12)

Brasil, 2018, 15’, 12 anos
De Fábio Rodrigo
Com Vaneza Oliveira, Pedro Guilherme, Samuel de Assis

Numa escola na periferia de São de Paulo, a assistente social Sônia precisa retirar o garoto Kairo, de nove anos, da sala de aula,  para ter uma conversa difícil.

Categorias: Centro de Artes UFF

AYKA

seg, 08/04/2019 - 16:58

Ayka, Rus/Pol/Ale/Cas/Chi, 2018, 100’, 14 anos
De Sergey Dvortsevoy
Com Samal Yeslyamova, Zhipara Abdilaeva, Sergey Mazur

Ayka acabou de dar à luz. Ela foge do hospital e abandona a criança. Imigrante do Quirguistão que vive ilegalmente em Moscou, Ayka tem um subemprego em um abatedouro de frangos, agiotas a perseguem para pagar uma antiga dívida e ela divide um quarto em uma pensão lotada. A câmera acompanha Ayka pelas ruas geladas de Moscou em busca do filho, de conseguir dinheiro e de se manter viva após as complicações do pós-parto. Melhor Atriz em Cannes 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

ACONTECEU NA QUARTA-FEIRA

seg, 08/04/2019 - 16:54

Brasil, 2018, 70’, classificação indicativa a definir
De Domingos Oliveira
Com Priscilla Rozenbaum, André Mattos, Ricardo Kosovski

Em uma realidade alternativa, o mundo como conhecemos é preenchido por dois tipos de pessoas: as normais e as suas cópias exatas. Para cada ser humano habitante na Terra, existe um outro que seja idêntico. Dentre os desafios que a situação envolve, o mais difícil de todos é justamente definir quem é a pessoa original e quem é a reprodução.

Categorias: Centro de Artes UFF

BR 716

seg, 08/04/2019 - 16:50

Brasil, 2016, 89’, 14 anos
De Domingos Oliveira
Com Caio Blat, Sophie Charlotte, Maria Ribeiro

Na intensa boemia carioca nos anos 1960, o engenheiro e aspirante a escritor Felipe leva uma vida regada aos prazeres do álcool, em festas alucinantes realizadas num apartamento dado por seu pai, na famosa rua Barata Ribeiro, em Copacabana. Lá, ele e seus amigos desfrutam de tudo que a liberdade pode oferecer, mesmo em meio a um momento político nefasto – às vésperas do golpe de 64. Melhor Filme, Diretor, Atriz Coadjuvante (Glauce Guima) e Trilha Sonora no Festival de Gramado 2016.

Categorias: Centro de Artes UFF

AS FILHAS DO FOGO

seg, 01/04/2019 - 18:10

as hijas del fuego, Argentina, 2018, 111’, 18 anos
De Albertina Carri
Com Cristina Banegas, Sofía Gala, Erica Rivas, Mijal Katzowicz, Carla Morales Ríos

Insatisfeitas com suas próprias vidas, três mulheres independentes de meia-idade se encontram por acaso, bem longe de suas casas, e começam a se relacionar de maneira poliamorosa. Quando percebem que estão livres daquilo que acreditam ser regras sociais possessivas, elas decidem formar um grupo cujo propósito é libertar outras mulheres que estejam passando pelos mesmos problemas. Prêmio de Melhor Filme Argentino no BAFICI 2018.

Categorias: Centro de Artes UFF

TUBARÃO

seg, 01/04/2019 - 18:06

Jaws, EUA, 1975, 124’, 14 anos
De Steven Spielberg
Com Roy Scheider, Robert Shaw, Richard Dreyfuss

Quando um tubarão assassino promove o caos em uma praia da pequena cidade de Amity, o xerife local pede ajuda a um ictiologista e a um pescador veterano para caçar o animal. Mas a missão vai ser mais complicada do que eles imaginavam. Oscar de Trilha Sonora Original, Montagem e Som.

Categorias: Centro de Artes UFF

A MULA

seg, 01/04/2019 - 18:04

The mule, EUA, 2018, 116’, 16 anos
De Clint Eastwood
Com Clint Eastwood, Bradley Cooper, Laurence Fishburne

Earl Stone é um homem de 80 anos que está falido, sozinho e enfrentando o fim de seus negócios. Nesse momento delicado, lhe oferecem um emprego cuja única responsabilidade é dirigir. Sem perceber, e pensando ser um trabalho fácil, Earl acaba se tornando uma “mula” responsável pelo transporte de drogas para um cartel mexicano.

Categorias: Centro de Artes UFF

FILMAMBIENTE 2019

qua, 27/03/2019 - 11:17
 5 de abril, sexta-feira

Amazonia, O despertar da Florestania
De Christiane Torloni e Miguel Przewodowski, 111 min, Brasil, 2018.  

O filme aborda como o meio ambiente vem sendo tratado, através do depoimento de históricos e representantes de diferentes segmentos. Exibição seguida de debate com os diretores.

 6 de abril, sábado

O Jabuti e a Anta
De Eliza Capai, 71 min, Brasil, 2016.

Uma viagem até as gigantescas represas construídas nos rios Xingu, Tapajós e Ene, na floresta Amazônica, para entender por que reservatórios no sudeste estão vazios.

 7 de abril, domingo  

Exibição de curtas em animação:

• Aquário (Aquarium) direção de Diego L Yánez Guzman, 4,3 min, Argentina ,2016. Os impactos das intervenções humanas na vida dos oceanos e como estes ecossistemas sobrevivem a tantos ataques.

• Água que Cai |(When it Rains) direção de Nick Iannaco, 2,5 min, EUA, 2016. Uma gotinha de chuva está determinada a fazer a água chegar numa flor protegida da chuva.

• Círculo Completo (Full Circle) direção de Tiffany Lin, 1,53 min, Canadá, 2015. O filme acompanha a jornada de uma sacola plástica, da beira da praia até o mar aberto.

• Copo D’ Água (Cup of Water) – direção de Manish Gupta, 2,47 min, Índia, 2017. No caminho para a escola, um menino aprende como às vezes é difícil ter acesso à água.

• KONAGXEKA – O Dilúvio Maxakali ( The Maxakali flood) – direção de Isael Maxakali e Charles Bicalho, 13 min, Brasil, 2016. Um filme indígena, feito pelos Maxakali, tribo localizada no município de Ladainha, em Minas Gerais. Falado em Maxakali, narra o mito do diluvio, com ilustrações feitas por eles.

• O caçador de Árvores Gigantes (The Hunter of Giant Trees) – direção de Antonio Pereira, 11 min, Brasil, 2016. Um menino brincando no quintal de casa descobre um baú enterrado revelando um segredo e, com a ajuda de seu amigo – raposa devoradora de insetos – vai caçar as árvores gigantes, que ele acredita estarem presas no céu.

• Primavera, verão, outono, inverno… e primavera (Spring, Summer, Autumn, Winter …. and Spring) – direção de Hamza Uysal, 7,04 min, Turquia, 2018. A árvore solitária está prestes a perder as esperanças na guerra do homem contra a natureza. 

• Segredos do Rio Grande – 5,41 min, Brasil, 2018. Brisa é aventureira, Dudu é medroso. Os dois peixinhos decidem buscar tesouros e descobrir os segredos do Rio Grande, numa jornada cheia de encontros inesperados.

• Socorro (Eau secours)direção de Herrygers Nagege, 3,12 min, França, 2017. A importância de economizar água.

• Tartaruguinha ( Small turtles / Chiripajas)  – direção de Jaume Quiles e Olga Poliektova, 1,55 min, Espanha, 2016. Uma tartaruguinha enfrenta perigos para chegar ao mar e reunir-se com a família.

• Viva a Água ( Save water)direção de Mustapha Benghernaout, 1 min, Algéria, 2016. A importância de usar água com sabedoria e sem desperdício.

• Offhand – direção de Nicolas de Oliveira, 1,36 min, França, 2017. As consequências das ações humanas sobre o meio ambiente e na vida dos outros animais que habitam o planeta.

 8 de abril, segunda-feira

Baía Urbana
De Ricardo Gomes, 70min, Brasil, 2017.

A vida marinha na baia de Guanabara, com imagens inéditas de golfinhos, tartarugas, corais, esponjas e mais de 50 espécies de peixes que sobrevivem nestas águas poluídas. Haverá debate com o diretor ao final da sessão.

 9 de abril, terça-feira  

Rio Sagrado (Des)sacralizado
De Peter McBride and Jake Norton, 60 min, USA, 2016.

Uma viagem por um dos rios mais venerados e aviltados do mundo, o Ganges, que é ao mesmo tempo fonte de vida e inspiração, bem como morte, poluição e tragédia.

 10 de abril, quarta-feira  

Exibição de curtas e médias:

• Exilia (Exile)– direção de Renata Claus, 23,36 min, Brasil, 2015. Duas senhores da ilha de Tatuoca se visitam e comentam como estão sendo deslocadas pela subida das marés e das mudanças climáticas.

• Esperas D’água(Waiting Water) – direção de Dêniston Diamantino, 1,35 min, Brasil, 2017. Uma poesia visual sobre a vital importância da água para os animais silvestres, os ciclos da água na natureza e como ela dá vida a tudo.

• Povo da Seca (People of Drought) – direção de Lior Sperandeo, 3,04 min, França, 2016. Estatísticas mostram que água poluída causa mais mortes que as guerras. Hoje em dia, mesmo com todo o conhecimento disponível, milhões de pessoas continuam sem nenhum acesso à água potável. Esse fardo recai, principalmente, sobre mulheres e crianças que passam os dias viajando longas horas em busca de sua única opção: água contaminada. Isso afeta não só sua saúde, como também suas oportunidades de ter educação e uma profissão, perpetuando um círculo vicioso de pobreza.

• Guerreiros da água (Water Warriors) – direção de Michael Premo, 21,31 min, Canadá e USA, 2016. Resistindo contra a indústria de gás natural. Quando uma companhia de energia começa a procurar por gás natural em New Brunswick, Canadá, indígenas e brancos se unem para expulsar a empresa numa campanha para proteger sua água e estilos de vida.

• O Complexo (The Complex) – direção de Thiago Foresti, 26 min, Brasil, 2016. Construído sobre solo sagrado indígena, o complexo hidroelétrico Teles Pires resulta em impactos ambientais na bacia do Alto Tapajós, localizada nos estados do Pará e Mato Grosso. O filme revela os vícios de licenciamento, estudos ambientais e compensação das obras mais caras do Brasil.

• Os fabricantes de chuva de Nganyi (The Rain makers of Nganyi) – direção de Steve McDonald, 8,33 min, África do Sul, 2017. Como os fazedores de chuva de Nganyi, no Quênia, estão enfrentando as mudanças climáticas? E como isto está afetando suas vidas e seu ganha-pão.

• Terraform (Terraform) – direção de Sil Van Der Woerd e Jorik Dozy, 5,06 min, Reino Unido, 2017. A verdade sobre os sacrifícios e dificuldades que os mineiros de enxofre do Kawahljen, na Indonésia passam para sustentar suas famílias.

Categorias: Centro de Artes UFF

Páginas